fbpx

sexta, 27 de maio de 2022

Caged: Brasil gerou mais de 155 mil empregos formais em janeiro

Em janeiro, quatro dos cinco grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo, com destaque para o setor de serviços, com a geração de 102.026 novos postos.

10 de março de 2022

Compartilhe

Estoque de empregos formais no país passa de 40,8 milhões (Foto: Reprodução)

O Brasil fechou o mês de janeiro de 2022 com um saldo de 155.178 empregos formais, segundo balanço do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) apresentado nesta quinta-feira (10) pelo Ministério da Economia. O saldo de janeiro foi resultado de 1.777.646 admissões e 1.622.468 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos formais no país chegou a 40.833.533, o que representa uma variação de 0,38% em relação ao estoque do mês anterior.

Os números mostram que, no mês de janeiro, quatro dos cinco grupamentos de atividades econômicas apresentaram saldo positivo, com destaque para o setor de serviços, com a geração de 102.026 novos postos de trabalho formais. O destaque fica para as atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, que geraram 58.773 postos.

Na sequência vem a indústria geral, que gerou 51.419 postos; construção civil, com 36.809 postos e Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, com 25.014 postos. O setor de comércio teve saldo negativo de 60.088 postos.

“Foram 15.600 admissões e 12.517 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente – empresa contrata um funcionário para prestar serviços de forma esporádica – gerando saldo de 3.083 empregos, envolvendo 3.784 estabelecimentos contratantes. Um total de 201 empregados efetuou mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente”, informou a pasta.

Em janeiro de 2022, houve 21.367 admissões e 17.538 desligamentos na modalidade de trabalho intermitente, gerando saldo de 3.829 empregos, envolvendo 4.827 estabelecimentos contratantes. Além disso, 355 empregados celebraram mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente.

“Do ponto de vista das atividades econômicas, o saldo de emprego na modalidade de trabalho intermitente distribuiu-se por serviços (+2.592 postos), construção civil (+1.256 postos), indústria geral (+824 postos), agropecuária (+81 postos) e comércio (-924 postos)”, informou o Ministério da Economia.

Já em relação ao trabalho em regime de tempo parcial foram registradas 16.370 admissões e 15.687 desligamentos, gerando saldo de 683 empregos, envolvendo 6.578 estabelecimentos contratantes. Um total de 96 empregados celebrou mais de um contrato em regime de tempo parcial.

Entre as atividades econômicas, o saldo de emprego em regime de tempo parcial ficou distribuído da seguinte forma: indústria geral, com 1.312 postos; serviços, com 121 postos; construção, com 55 vagas, agropecuária, com 32 postos e comércio, com saldo negativo de 773 postos.

Em janeiro de 2022, houve 17.975 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado, envolvendo 12.294 estabelecimentos, em um universo de 11.419 empresas. Houve 49 empregados que realizaram mais de um desligamento.

Estados

De acordo com o Novo Caged, no mês de janeiro de 2022, apenas 19, dos 27 estados registraram saldos positivos. Entre os estados que mais geraram vagas, o destaque é para São Paulo, com 48.355 novos postos. Santa Catarina, com 23.358, e Paraná, com 18.351.

Os estados que apresentaram maior saldo negativo de vagas foram: Sergipe, com -1.253 postos; Ceará, com -1.508 postos e Rio Grande do Norte, com -2.430 postos.

Salário

Para o conjunto do território nacional, o salário médio de admissão em janeiro/2022 foi de R$ 1.920,59. Comparado ao mês anterior, houve aumento real de R$ 115,24 no salário médio de admissão, uma variação em torno de 6,38%.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Com R$ 195 bilhões, Receita bate recorde de arrecadação em abril

No quadrimestre (de janeiro a abril de 2022), a arrecadação da Receita Federal alcançou o valor de R$ 743,2 bilhões, o que representa um acréscimo de 11,05% pelo IPCA.

26 de maio de 2022

Redução do ICMS: Bolsonaro sinaliza veto a compensação para estados

Bolsonaro disse que compensação, prevista em projeto aprovado na Câmara que limita ICMS da energia e de combustíveis, "não tem cabimento" e que poderá vetar o dispositivo.

26 de maio de 2022

Criticado até por bolsonarista, salário mínimo de R$ 1.212 é aprovado

Valor já está em vigor desde o primeiro dia do ano, quando Bolsonaro editou a medida provisória. A proposta, no entanto, precisava ser confirmada pelo Congresso Nacional.

26 de maio de 2022

Wilson Lima anuncia investimentos de quase R$ 25 milhões para CT&I

Por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapeam), os recursos serão aplicados em sete editais, sendo seis inéditos, de programas de apoio a pesquisas científicas.

26 de maio de 2022

Para economistas, ICMS em 17% terá pouco impacto na redução de preços

Economistas acreditam que projeto que estipula teto de 17% na cobrança de ICMS não resultará em redução expressiva no preço do combustível, com queda de até 5% nos preços.

26 de maio de 2022

Novamed anuncia expansão no PIM com investimento de R$ 50 milhões

Empresa pretende aumentar a produção de 1 bilhão e 100 milhões de comprimidos/mês para 1 bilhão e 400 milhões/mês, além da garantia de cerca de 900 postos de trabalho.

26 de maio de 2022

Indígenas Tikuna participam de oficina de artesanato em Benjamin Constant

O Workshop, promovido em parceria com o Sebrae Amazonas, contou com a presença de consultores de artesanato do Ceará, do Espírito Santo, Colômbia e Brasília.

26 de maio de 2022

Caixa amplia em até 21,4% subsídio do programa Casa Verde Amarela

Percentuais vão variar de 12,5% a 21,4%. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional, acréscimo varia conforme região, renda familiar e população do município.

26 de maio de 2022