fbpx

domingo, 16 de janeiro de 2022

O que se sabe até agora sobre a presença da Ômicron no Brasil

As primeiras observações da Anvisa indicam que ela se espalha mais facilmente do que o vírus Sars-CoV-2 originário e do que variantes como a Delta.

11 de dezembro de 2021

Compartilhe

No Brasil, até o momento, foram confirmados seis casos no país (Foto: Reuters)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou esta semana o que se sabe, até o momento, sobre a variante Ômicron. As primeiras observações indicam que ela se espalha mais facilmente do que o vírus Sars-CoV-2 originário e do que variantes como a Delta. No Brasil, até o momento, foram confirmados seis casos, sendo três em São Paulo, dois no Distrito Federal e um no Rio Grande do Sul. Há ainda, de acordo com o Ministério da Saúde, pelo menos um caso em investigação em São Paulo.

A maioria dos pacientes em questão, segundo a pasta, estão assintomáticos e foram colocados em isolamento. Todos os infectados contabilizados até o momento completaram o esquema vacinal contra a covid-19 e são considerados casos importados, já que estiveram em locais onde há circulação da variante ou têm vínculo com alguém que veio dessas localidades. Pessoas próximas aos casos confirmados estão sendo monitorados por autoridades sanitárias dos três estados em questão.

Confira abaixo as principais perguntas e respostas e o que se sabe sobre a variante Ômicron:

A Ômicron causa doenças mais graves?
De acordo com a agência, ainda são necessários mais dados para saber se as infecções pela variante causam doenças mais graves ou mais mortes do que a infecção por outras variantes. Também não se sabe ainda se haverá reinfecções e infecções emergentes em pessoas totalmente vacinadas contra a covid-19.

As vacinas funcionam contra a Ômicron?
A Anvisa já solicitou aos desenvolvedores de vacinas contra a covid-19 aplicadas no Brasil que avaliem o impacto da variante na eficácia de seus imunobiológicos. A princípio, acredita-se que as doses atuais devem proteger contra doenças graves, hospitalizações e mortes mesmo em casos de infecção pela Ômicron, o que, segundo a agência, ressalta ainda mais a importância da vacinação completa e da dose de reforço, especialmente para os mais vulneráveis: idosos, indígenas, imunocomprometidos, pessoas com comorbidades e profissionais de saúde.

Os medicamentos combatem a Ômicron?
A agência informou que está acompanhando as discussões internacionais sobre o tema, sobretudo em relação a anticorpos monoclonais. Cientistas estão trabalhando para determinar o quão bem os tratamentos existentes para covid-19 funcionam em casos de infecção pela variante. A princípio, segundo a Anvisa, alguns tratamentos provavelmente permanecerão eficazes, enquanto outros podem ser menos eficazes.

As máscaras funcionam contra a Ômicron?
De acordo com a agência, as máscaras faciais oferecem proteção contra todas as variantes da covid-19. Por esse motivo, a Anvisa continua a recomendar o uso da máscara, independentemente do estado de vacinação da pessoa. Até que se saiba mais sobre o risco da Ômicron, é importante, segundo a agência, usar todas as ferramentas disponíveis para proteger a população.

Vigilância
Para melhor proteger a saúde pública, a Anvisa destacou a importância da ampliação da testagem e da vigilância genômica para rastrear variantes do Sars-CoV-2.

Alerta
Até que se saiba mais sobre o risco da Ômicron, a agência lembrou que é importante que se tenha tranquilidade e que se utilize todas as ferramentas disponíveis para a proteção individual e coletiva. A Anvisa reafirmou a importância da vacinação e da utilização de medidas não farmacológicas, como o uso de máscara, o distanciamento social e a higienização das mãos. Isso porque a covid-19 se espalha por meio do contato próximo com pessoas que têm o vírus, mesmo quem não apresenta sintomas.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais Dia a Dia

Matrículas para novos alunos da rede pública estadual iniciam nesta segunda-feira

Reserva da vaga poderá ser realizada via site de matrículas e presencialmente, nas escolas públicas da rede estadual e municipal. O prazo vence na terça-feira (18).

16 de janeiro de 2022

Manaus registra o segundo maior número de enterros de janeiro

Neste sábado (15), foram registrados 45 enterros em cemitérios da Prefeitura. Dois enterros tiveram como causa a covid-19. A partir do dia 3, os números passaram de 40.

16 de janeiro de 2022

Brasil recebe segunda remessa com 1,2 milhão de doses da vacina pediátrica da Pfizer

A vacinação de criança de 5 a 11 anos começou neste fim de semana na maioria dos estados brasileiros. Em Manaus, a vacinação infantil inicia nesta segunda-feira (16).

16 de janeiro de 2022

Centro Municipal de Testagem no Studio 5 retoma exames nesta segunda-feira

O centro funciona de segunda a sábado das 09h00 às 19h00 no Centro de Convecções Studio 5, Distrito Industrial I. O ponto de testagem funciona desde esta quarta-feira (12).

16 de janeiro de 2022

Prefeitura de Manaus oferta 183 vagas de emprego nesta segunda–feira

As 183 vagas oferecidas pela Prefeitura são de várias áreas de atuação. O cadastro para as vagas pode ser feito de forma digital ou presencialmente no Posto do Sine Manaus.

16 de janeiro de 2022

Vacinação de crianças de 5 a 11 anos inicia nesta segunda-feira em quatro postos

Na lista de postos, há shopping, parque, clube e centro de convivência da família que receberão o público infantil. A vacinação começa por indígenas e quilombolas.

16 de janeiro de 2022

Amazonas registra 2.638 casos de covid-19; sexto dia com registros acima de mil

Este sábado foi o segundo dia com o maior registros de casos de covid-19, perdendo só para esta sexta-feira (14), quando o estado registrou 2.782 casos positivos da doença.

15 de janeiro de 2022

Depois de quase desaparecer, Programa Antártico brasileiro completa 40 anos

Fundada em 1984, a estação sofreu um incêndio de grandes proporções em 2012. Na tragédia, dois militares morreram e 70% das instalações foram perdidas.

15 de janeiro de 2022