fbpx

segunda, 04 de julho de 2022

Diretora de conteúdo da Lupa diz que desinformação é ‘problema social’

Jornalista Natália Leal participou do webinário do portal RealTime1, com o tema “FACT-CHECKING – As consequências da desinformação e das fake news para a democracia”.

23 de junho de 2021

Compartilhe

Natália Leal comanda Agência Lupa, primeira agência de checagem de notícias do Brasil (Foto: Reprodução)

Fake news [notícias falsas], desinformação ou simplesmente mentiras… Não importa o termo mais apropriado. Se você acredita e espalha uma notícia mesmo quando as fontes das informações são duvidosas, a culpa não é da imprensa. É o que defende a jornalista e diretora de conteúdo da Agência Lupa, Natália Leal.

“A desinformação não é um problema jornalístico. É um problema social e muitas vezes psicológico”, afirmou Natália, jornalista e diretora de conteúdo da Agência Lupa, a primeira agência de fact-checking (checagem de notícias) do Brasil.

A declaração pode até parecer uma tentativa da profissional de “tirar o corpo fora” em relação à responsabilidade do jornalismo em checar e divulgar informações verdadeiras ao público. Mas faz sentido quando escutamos tudo que foi dito pela palestrante do terceiro webinário do portal RealTime1, realizado nesta terça-feira (22), com o tema “FACT-CHECKING – As consequências da desinformação e das fake news para a democracia”.

Natália afirmou que os trabalhos das empresas de checagem também são postos em descrédito, a exemplo dos ataques que veículos de comunicação e jornalistas sofrem em relação à veracidade do que informam.

“Volta um pouco para aquela questão do quanto as pessoas querem acreditar nisso [fake news] e reafirma um outro argumento que trouxe que a desinformação não é um problema jornalístico. É um problema social e muitas vezes psicológico. Já temos alguns estudos de neuropsicologia e neurociência que mostram que algumas estruturas cerebrais são mais ou menos desenvolvidas em quem acredita ou não acredita em desinformação. Em quem propaga ou não”, declarou. 

Fatores subjetivos

A diretora de conteúdo da Agência Lupa também explicou que a desinformação se fortalece à medida em que o trabalho jornalístico é desacreditado por quem tem interesse em divulgar notícias falsas. Mas fatores subjetivos interferem também. 

“Nós sempre temos uma parcela da população que não se dobra. Que é tão apegada às suas próprias crenças, que é muito difícil falar com essas pessoas. Isso não é só para os checadores [de notícias], isso é para o jornalismo de um modo geral e isso é para vários outros âmbitos da nossa vida em sociedade”, disse Leal, ao afirmar que o comunicador precisa recuperar seu espaço como fonte confiável de notícias.

Critérios questionáveis

Coordenador do curso de Jornalismo da Faculdade Boas Novas, Hernán Gutiérrez, também participou do debate sobre “FACT-CHECKING – As consequências da desinformação e das fake news para a democracia”, do webinário RealTime1+1. Ele afirmou que a produção de notícias falsas é intensa por ut critérios questionáveis.

“Temos mais pessoas acreditando na repercussão do fato do que no fato em si”, declarou Gutiérrez, ao analisar que criar desinformação exige um trabalho raso e que na maiorias das vezes possui cunho ideológico. “Por isso é difundido rapidamente [as fake news]“, completou.

Último debate

E na próxima terça-feira (29), às 15h, o quarto e último evento do webinário será uma mesa-virtual com o tema “JORNALISMO, MENTIRAS E DESINFORMAÇÃO | A manipulação da informação na produção de conteúdo”, com a participação do presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Amazonas, Wilson Reis, além do sociólogo e professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Marcelo Seráfico.

Confira o webinário na íntegra:

Texto: Diogo Rocha

Leia Mais:

Leia mais Dia a Dia

AM volta à fase amarela após explosão de casos de Covid-19

Conforme boletim da FVS, a taxa de positividade de testes de Covid-19 no estado passou de 6%, no início do mês, para 24% na última semana.

4 de julho de 2022

Maioria apoia inclusão de crianças com deficiência em escolas comuns

Para o fundador do Instituto Rodrigo Mendes, o atual governo tem encampado retrocessos na inclusão de alunos com deficiência em escolas regulares.

4 de julho de 2022

Após dois anos, Fuá acontece neste domingo no Largo São Sebastião

Feira Urbana de Alternativas retoma as atividades neste domingo e reúne diversos expositores, abrindo oportunidade de geração de renda a artistas e artesãos locais.

2 de julho de 2022

Duas toneladas de lixo coletado no Festival de Parintins serão recicladas

Projeto fomentou ações de incentivo à reciclagem dentro e fora do Bumbódromo, com a instalação de pontos de entrega voluntária de lixo reciclável.

2 de julho de 2022

Programa Asfalta Manaus já recuperou mil ruas em dois meses

Os bairros Santa Etelvina, Santo Antônio, Compensa, Parque 10 de Novembro, Tancredo Neves, Planalto, Japiim, Alvorada, Coroado, Nova Cidade, entre outros, já receberam obras.

2 de julho de 2022

Manaus tem 12 locais de vacinação contra a Covid-19 neste sábado (2)

Quem for receber a segunda dose deve estar atento aos intervalos dos diferentes imunizantes. Nos últimos dois dias, foram vacinadas 29,2 mil pessoas em Manaus.

2 de julho de 2022

Resultados dos concursos da PGE, Detran e SSP são homologadas no Amazonas

Governador do Amazonas, Wilson Lima homologou os resultados finais dos concursos do Detran, SSP e PGE e destacou convocações de outros certames e edital da Afeam.

1 de julho de 2022

Incêndios na Amazônia atingem maior volume para junho em 15 anos

Programa Queimadas do Inpe contabilizou 2.562 focos de incêndio no bioma ao longo do mês. O recorde anterior foi registrado em junho de 2007, com 3.519 focos de queimada.

1 de julho de 2022