fbpx

domingo, 24 de outubro de 2021

CovacManaus testa AstraZeneca como 3ª dose nos participantes da pesquisa

Na nova pesquisa, podem receber a 3ª dose da vacina os trabalhadores da educação e da segurança pública de Manaus que foram completamente vacinados dentro do estudo inicial.

30 de setembro de 2021

Compartilhe

Por meio da Fapeam, Governo do Estado está investindo R$ 1 milhão na pesquisa, que também tem a parceria da FVS-RCP (Foto: Divulgação)

A pesquisa CovacManaus 2, que iniciou nesta quinta-feira (30), vai avaliar a reposta imune à aplicação da dose de reforço contra a Covid-19 com o imunizante AstraZeneca. Na nova pesquisa, podem receber a terceira dose da vacina os trabalhadores da educação e da segurança pública de Manaus que foram completamente vacinados dentro do primeiro estudo CovacManaus – iniciado em março deste ano – e mantiveram acompanhamento regular, conforme o protocolo do projeto.

A pesquisa é conduzida pela médica infectologista da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e pró-reitora de pesquisa e pós-graduação da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Maria Paula Mourão; e pelo médico infectologista da FMT-HVD e especialista em saúde pública do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia), Marcus Lacerda.

Os participantes, que no primeiro estudo CovacManaus receberam duas doses do imunizante CoronaVac; agora receberão a dose de reforço com a AstraZeneca. De acordo com o infectologista Marcus Lacerda, a intercambialidade entre as vacinas – já praticada em outros lugares – tem demonstrado resultados positivos.

“A gente começou, no início, a seguir os ensaios clínicos que mostravam as duas doses da mesma vacina com aquele resultado. Só que o resto do mundo começou, até pela falta de vacinas, a usar outras vacinas, de outros fabricantes. Então os resultados têm mostrado que a intercambialidade, que é usar duas doses de uma vacina e fazer o reforço com um outro fabricante, que a produção de anticorpos é maior”, ressaltou Lacerda.

As doses de vacina utilizadas no estudo foram doadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), produtora do imunizante no Brasil.

Investimento

O Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), investiu R$ 1 milhão na pesquisa, que também conta financiamento das empresas XP Investimentos e Stone Pagamentos, além de parceria da Fundação de Vigilância em Saúde Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) e da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa).

“O Governo do Amazonas, por meio da Fapeam, patrocina a CovacManaus desde o primeiro momento porque acredita fundamentalmente na importância da pesquisa, da ciência e no retorno que ela pode dar e vem dando, para que nós tenhamos formas de enfrentamento à Covid cada vez mais qualificadas”, disse Márcia Perales, diretora-presidente da Fapeam.

A diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, reconheceu a importância da pesquisa no enfrentamento da pandemia.

“Sabemos que os estudos geram construções, geram evidências científicas e subsidiam nossas estratégias de enfrentamento. O cenário epidemiológico hoje, a redução de casos, de óbitos e principalmente, dos casos de hospitalização, se devem, principalmente, ao esforço e intensificação da vacinação”, apontou Tatyana.

Participantes

Podem participar do estudo os trabalhadores da educação e da segurança pública de Manaus que receberam as duas doses da vacina CoronaVac pelo estudo CovacManaus, e que mantiveram o acompanhamento previsto pela pesquisa. A participação no CovacManaus 2 é voluntária.

Os indivíduos que estiverem aptos a ingressar no novo estudo receberão contato do call center do CovacManaus para, caso aceitem realizar a dose de reforço, assinar novo termo de consentimento e agendar a vacinação, que acontecerá na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira, na avenida Constantino Nery, zona centro-sul de Manaus. Não haverá recrutamento de outros públicos.

O professor Jonas Fernando Petry, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), vem sendo acompanhado há seis meses e avaliou como positiva a iniciativa da aplicação da dose de reforço nos participantes.

“Não tive nenhuma reação e hoje estou aqui novamente para o acompanhamento, monitoramento. Estou surpreso, nem esperava que nós tivéssemos a terceira dose. Então só o fato de fazer mais uma pesquisa, receber a terceira dose, é algo inusitado, sem sombra de dúvidas. Acabei de tomar, não senti nada, estou em estado de alegria”, comemorou Petry.

CovacManaus

O estudo CovacManaus iniciou em 18 de março deste ano com o objetivo de avaliar o benefício de se antecipar a vacinação contra a Covid-19 em trabalhadores da educação e da segurança pública de Manaus em exercício, com idade entre 18 e 49 anos, e com comorbidades associadas ao risco de doença grave por Covid-19.

Foram vacinados com a primeira dose de CoronaVac, doadas pelo Instituto Butantan exclusivamente para uso em pesquisa, 5.087 participantes e com a segunda dose, 5.071 participantes.

Após os seis primeiros meses de acompanhamento, os pesquisadores divulgaram os dados preliminares do estudo. Entre os vacinados, 91% apresentaram anticorpos detectáveis após a 1ª dose da vacina, e 99,8% dos vacinados apresentaram anticorpos detectáveis após a 2ª dose. Neste período, 2,6% tiveram infecções confirmadas por Covid-19, 0,1% foram hospitalizados pela doença; um óbito foi registrado (0.02%).

Entre as principais comorbidades estão a obesidade (72%) e a diabetes (54%). Os dados apresentados serão submetidos à publicação científica.

“Nos primeiros seis meses nós demonstramos uma eficácia da CoronaVac muito superior ao que vinha sendo demonstrado no restante do mundo, e um sucesso muito importante de proteção dos nossos participantes para formas graves e para óbitos. Dos 5.071 vacinados, tivemos um óbito e 130 infecções por Covid ao longo desses seis meses. Demonstra uma vacina com alto poder de proteção, junto com as medidas todas que a gente tem, continua seguindo”, detalhou Maria Paula Mourão.

Com informações da assessoria

Leia Mais:

Leia mais Dia a Dia

Wilson Lima inaugura feira de produtos regionais na Ponta Negra

Feira da ADS será realizada todos os domingos, a partir do dia 31. Neste primeiro momento, o espaço contará com 35 feirantes e terá uma ala exclusiva de produtos orgânicos.

23 de outubro de 2021

Campanha realiza entrega de brinquedos para instituição da zona leste

Campanha “Doe um Brinquedo e Ganhe Sorrisos” realizou entrega de 200 brinquedos para crianças assistidas pelo Instituto Transformando Vidas (ITV), na Colônia Antônio Aleixo.

23 de outubro de 2021

Governo do Amazonas recebe 70.200 doses de vacina contra Covid-19

Doses foram transportadas para armazenamento na Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), onde foram contabilizadas e armazenadas.

23 de outubro de 2021

Tarifa social de água e esgoto beneficia 500 mil pessoas em Manaus

Famílias de baixa renda receberão 50% de desconto no pagamento de suas tarifas junto à empresa Águas de Manaus, em relação à água e esgoto.

23 de outubro de 2021

Estacionamento irregular debaixo de viaduto em Manaus é desativado

Obstruções de calçadas e logradouros públicos correspondem a 50% de todas as notificações da Prefeitura de Manaus feitas de janeiro a setembro de 2021.

22 de outubro de 2021

Veículo, equipamentos e brinquedos são doados a instituição Amar

A Associação oferece oficinas de corte e costura e para a realização dessas atividades foram entregues máquinas de costura reta.

22 de outubro de 2021

Estudo de cores é desenvolvido pela prefeitura para dar viva ao Centro

A exemplo do que foi feito na rua Bernardo Ramos, a Prefeitura de Manaus está montando um skyline, uma proposta de intervenção para a Frei José dos Inocentes.

21 de outubro de 2021

No Amazonas, 58 municípios estão com internações por Covid-19 zeradas

A taxa de ocupação de leitos no interior está entre as mais baixas desde o início da pandemia. Apenas Fonte Boa, Coari e Itacoatiara possuem leitos de Covid-19 ocupados.

20 de outubro de 2021