fbpx

segunda, 08 de agosto de 2022

AAMP entrega R$ 15 mil em doações a crianças com TEA e TDAH em Manaus

Crianças atendidas pela Associação Mães Unidas Pelo Autismo foram contempladas com doações e um dia de lazer na sede campestre da Associação Amazonense do Ministério Público.

10 de dezembro de 2021

Compartilhe

A Associação Amazonense do Ministério Público (AAMP) entregou, nesta sexta-feira (10), 120 cestas básicas, brinquedos e equipamentos para auxiliar profissionais de psicologia e fonoaudologia no tratamento de crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) e Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) atendidas pela Associação Mães Unidas Pelo Autismo (Amua).

Juntas, as doações somam aproximadamente R$ 15 mil. O presidente da AAMP, promotor de justiça Alessandro Samartin de Gouvea, destaca que a ação é em prol das comemorações dos 50 anos da Associação, completados no dia 26 de novembro deste ano.

“Em comemoração a esse jubileu de ouro, e para cumprir a sua missão social e também de fortalecimento a PcDs [Pessoas com deficiência] e toda a sociedade amazonense, a Associação do Ministério Público conseguiu reunir materiais e cestas básicas, que permitem que a Amua possa desenvolver um trabalho ainda mais na comunidade onde ela está localizada”, destacou Samartin.

Conforme o presidente da AAMP, a ação não se resume apenas às doações entregues hoje. Toda a estrutura da sede campestre da AAMP foi disponibilizada para os associados da Amua.

“O intuito é proporcionar a essas crianças, jovens e pais um dia de lazer. Aqui, o público vai poder usar a piscina, brinquedoteca, campo de futebol, o salão de festas e muito mais, para se divertirem e aproveitarem a infância como ela deve ser: feliz e cheia de brincadeiras em família”, ponderou o promotor de justiça Alessandro Samartin.

Apoio da AAMP auxília trabalho social com famílias que dependem de atendimento psicossocial na Amua

As cestas básicas com itens de necessidade imediata e os materiais destinados à terapia ocupacional beneficiarão diretamente, aproximadamente, 200 pessoas. Hoje, a Amua conta com 60 famílias associadas. A presidente fundadora da associação social, Núbia Brasil, de 43 anos, revela que o trabalho vai muito além das famílias associadas.

“A gente consegue atingir um número muito maior de pessoas na sociedade, pois trabalhamos com atendimento jurídico e a prestação de informações, por meio de eventos e palestras, para que essas pessoas com TEA ou TDAH possam ser acolhidas. Além disso, a gente busca orientar e também trocar experiências com essas famílias”, ressalta Núbia Brasil.

Hoje, as famílias associadas à Amua pagam uma taxa para usufruir dos serviços. O atendimento é diário e dividido em dois turnos, sendo 20 atendimentos pela manhã e 40 pela tarde, esse último período com consultas e avaliações de profissionais das áreas de psicologia e fonoaudiologia. Os recursos mantenedores são reunidos de mensalidades dos associados, rifas e bazar.

Entre os itens entregues pela AAMP à Amua está uma máquina de lavar roupas, que será sorteada em uma rifa beneficente para angariar fundos para investimentos no desenvolvimento das crianças.

A cabeleireira Lena Ribeiro, de 42 anos, explica que na Amua encontrou amparo tanto para si quanto para o filho, uma criança de quatro anos com diagnóstico de TEA.

“Cheguei na associação no fundo do poço, com depressão pós-diagnóstico do meu filho porque não existe uma mãe que se prepare para isso. Na associação, encontrei todo o apoio que precisava. Meu filho é bem assistido com psicólogos e fonoaudiólogos e vi que não formei apenas amizades, mas também uma nova família. Hoje, a Amua só cresce e, com esse apoio das doações da Associação Amazonense do Ministério Público, agora começa a desenvolver um trabalho mais intensivo com foco na melhoria do desenvolvimento dos nossos filhos”, avalia a cabeleireira.

O reinício em Manaus

A técnica em enfermagem, Neila Santos, de 46 anos, deixou tudo para trás em Belém, no Pará, em busca de melhorias em Manaus para o filho de nove anos. A criança foi diagnosticada com TDAH aos sete anos. Os dois são naturais da capital amazonense, porém acabaram morando por um tempo no estado vizinho onde o pai da criança e ex-marido morava.

Ela conta que, por atuar como profissional da área de saúde, identificou que o filho poderia precisar de ajuda especializada, mas não recebeu apoio do ex-marido, da família e nem dos médicos de Belém.

“Todos diziam que não havia nada de diferente no meu filho. Quando ele nasceu, ele tinha convulções, e isso já despertou a minha atenção. Até os dois anos, ele tomou medicações para tratar essas convulções, mas depois desse período o pai, juntamente com a família dele, me obrigou a retirar essas medicações – e que eu teria que que seguir com minha vida e a criação dele. Foi o que eu fiz”, lembra a técnica em enfermagem.

No entanto, Neila conta que com o passar dos anos o comportamento do filho piorou. “Ele não falava, e eu o levava para consultas com a fonoaudióloga e ela disse que ele não tinha nada, era normal, e que na verdade eu precisava ter pulso forte. Mas eu sabia que não era só ter pulso forte. Ele só conseguiu falar com sete anos, pois antes ele só babuciava e não dava para entender nada”, explica a manauense.

A mãe revela que esse ano separou-se do pai de seu filho e voltou para Manaus, sua terra natal, em busca de um reinício. “Ele treina jui-jítsu, e foi justavamente durante as aulas que eu tive contato com outras mães que fazem parte da Amua. Fiquei sabendo do projeto, das ações desenvolvidas e busquei assistência. Hoje, meu filho tem acompanhamento semanal com profissional de fonoaudiologia e psicologia e o quadro dele evoluiu bastante.

Com informações da assessoria

Leia Mais:

Leia mais Dia a Dia

‘Prêmio Thiago de Mello’ movimenta R$ 1,6 milhão na economia de Manaus

Os projetos aprovados terão um prazo de seis meses para realizar suas atividades, a contar da data do recebimento dos recursos financeiros, de forma gratuita em Manaus.

7 de agosto de 2022

2ª Corrida da Guarda Municipal reúne mais de mil participantes, em Manaus

A Corrida da Guarda Municipal, na Ponta Negra, serviu como um esquenta para a Maratona Internacional de Manaus, que será realizada nos dias 22 e 23 de outubro.

7 de agosto de 2022

Anvisa recebe pedido de registro para teste de varíola dos macacos

Pedido técnico para a Anvisa de registro de kit de testagem para o diagnóstico da varíola do macaco já está em análise pela equipe técnica da Agência.

6 de agosto de 2022

Prefeitura recompõe calçadão de pedras portuguesas da Ponta Negra

Trabalho manual dos servidores da Prefeitura de Manaus recupera aspecto original do calçadão da Ponta Negra, na zona Oeste de Manaus.

6 de agosto de 2022

PF prende três suspeitos de ocultar corpos de Dom e Bruno no Amazonas

Sete mandados de prisão preventiva e dez de busca e apreensão foram cumpridos neste sábado (6) em uma ação decorrente da investigação dos homicídios no Vale do Javari.

6 de agosto de 2022

Documentário mostra manifestações que sacudiram o Brasil em 2013

O doc explora os protestos que marcaram o Brasil em junho de 2013. Da intensa disputa de 2014 à eleição de 2018, o país ainda sente os ecos de um mês que não terminou.

5 de agosto de 2022

Morre Jô Soares, artista e humorista que marcou a cultura do país

Jô interpretou dezenas de personagens, criou bordões e apresentou o mais conhecido programa de entrevistas da TV brasileira. O velório não será aberto ao público.

5 de agosto de 2022

AM reforça aparato de segurança com viaturas e material de informática

Viaturas, caminhão de combustível e computadores serão entregues pela Secretaria de Estado da Segurança, para a PM, PC e a Polícia Científica.

4 de agosto de 2022