fbpx

sexta, 25 de junho de 2021

SES-AM se defende de crimes investigados pela Operação Sangria

Contratos firmados pelo Governo do Estado para reabrir hospital de campanha da Nilton Lins, em 2021, estão sendo apurados pela Polícia Federal por fraudes e superfaturamento.

3 de junho de 2021

Compartilhe

Órgão afirma que não fez nenhum pagamento para usar Hospital Nilton Lins em 2021 (Foto: Divulgação)

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) decidiu prestar esclarecimentos, nesta quinta-feira (3), sobre os contratos firmados para reabrir o Hospital de Combate ao Covid-19 da Nilton Lins, no início da segunda onda da pandemia em Manaus, em 2021. Os referidos contratos estão sendo investigados pela quarta fase da Operação Sangria, da Polícia Federal do Amazonas (PF-AM), deflagrada na última quarta-feira (2) em Manaus (AM) e Porto Alegre (RS).

Crime de fraudes e superfaturamento nos contratos para instalação do hospital de campanha envolvem empresários e servidores do alto escalão da SES-AM, conforme a PF. O secretário de Estado de Saúde, Marcellus Campêlo, foi preso, inclusive, por agentes da operação logo que desembarcou no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus, nesta quarta-feira à tarde. No mesmo dia de manhã, equipes da PF já tinham cumprido outros cinco mandados de prisão temporária e 19 mandados de busca e apreensão, 17 somente na capital do Estado.

O empresário Nilton Lins Júnior, proprietário do Hospital Nilton Lins requisitado pelo Governo do Amazonas em 2021 para tratar pacientes com Covid-19, foi um dos alvos dos dois tipos de mandados da Polícia Federal na Operação Sangria.

Na nota, a SES-AM informa que não chegou a realizar “qualquer pagamento em 2021 pela utilização do espaço físico do Hospital de Combate ao Covid-19 da Nilton Lins”. O órgão estadual de Saúde explica que, ao contrário do ano passado quando alugou o hospital particular, a unidade foi requisitada administrativamente, em 2021, pelo Governo do Amazonas, assim como a maioria dos serviços prestados desde o dia 26 de janeiro no local.

A SES-AM também esclarece que não realizou qualquer pagamento pelos serviços requisitados, já que os mesmos ainda estão em fase de instrução processual. “Além do prédio do hospital, foram requisitados os serviços de Limpeza e Conservação, Lavanderia Hospitalar, de Diagnóstico por Imagem, de alimentação entre outros necessários ao pleno funcionamento da unidade”, informa em nota.

A requisição administrativa, conforme reforça a SES-AM, é um ato previsto na Constituição Federal e na Lei nº 8.080/1990, que permite que em situação de calamidade o Estado possa requisitar serviços ou imóveis e depois proceder com o pagamento justo.

Sem efetivação

A SES-AM ainda explica que “quatro das sete contratações de serviços, resultante de Chamamento Público, citados na representação do Ministério Público Federal (MPF) que deu origem à operação da Polícia Federal, realizada na quarta-feira (2), não tiveram seus contratos efetivados. Entre essas empresas que participaram do certame e não assinaram contrato estão a Norte Serviços Médicos, a Líder Serviços de Apoio a Gestão e a Prime Atividades de Apoio à Gestão, citadas no inquérito como contratadas mesmo ‘indiciadas pela CPI da Saúde'”.

“Os serviços que seriam prestados pelas referidas empresas também foram requisitados de outros prestadores ou do próprio grupo Nilton Lins, que já tinha um serviço hospitalar em operação no complexo”, continua a SES-AM, em nota. “Limpeza e conservação é um dos exemplos de serviços prestado pelo próprio grupo Nilton Lins que foi requisitado pelo Estado e que está sendo investigado como se tivesse sido contratado”, se defende a secretaria de Saúde.

Em seguida, a SES-AM informa que a empresa Norte “não chegou a receber pelos serviços prestados no Hospital da Nilton Lins em 2020. Já a empresa Líder recebeu apenas um mês pelos serviços realizados em 2020, pois na sequência os serviços de diagnósticos foram assumidos à época pelos profissionais de saúde do Corpo de Bombeiros. Os serviços Médicos de Cirurgia Vascular, o de Serviços de Apoio Administrativos e de Locação de Contêiner Frigorífico foram os únicos entre os sete que resultaram em contratos e já receberam algum pagamento até o momento”.

E por último, o órgão estadual afirma que o “Chamamento Público, realizado junto com a Central de Serviços Compartilhados (CSC) entre os dias 9 e 12 de janeiro de 2021, foi presencial e aberto ao público, incluindo o recebimento de propostas e documentação de empresas, além de amplamente divulgado e com todas as etapas reportadas aos órgãos de controle, do início ao fim”.

Texto: Diogo Rocha, com informações da assessoria

Leia Mais:

Leia mais sobre Cidades

MP recomenda inclusão de escolas ribeirinhas de Manaus na Lei do Fundeb

A 59ª Promotoria de Justiça da Educação (PRODHED) explica que educação indígena difere da ribeirinha e que Semed precisa colocar essa representatividade na educação no campo.

25 de junho de 2021

Voluntários se mobilizam para ajudar famílias atingidas pela cheia

O grupo 'Parceiros Brilhantes' já conseguiu atender mil famílias de cinco municípios do Amazonas, além da capital, com alimentos e produtos de higiene pessoal.

25 de junho de 2021

FVS-AM testa em Coari nova geração de mosquiteiros no combate à malária

Estudo pioneiro no Amazonas avaliará como a utilização de dois inseticidas juntos nos mosquiteiros impactam na população do transmissor da doença.

25 de junho de 2021

Jornalista sofre agressão de servidores da prefeitura de Itacoatiara

Correspondente da Rede Amazônica, Leandro Marques, 22, foi atacado e ameaçado por assessores do prefeito Mário Abrahin durante reportagem; um servidor foi exonerado.

24 de junho de 2021

Campanha informa direitos de pessoas autistas no transporte coletivo

Objetivo é massificar a informação que a as pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) não pagam tarifas de ônibus e podem emitir credencial para estacionamento.

24 de junho de 2021

Prefeitura e Procon-AM vão atuar juntos na fiscalização de serviços públicos

A iniciativa terá vigência de dois anos e não representa ônus financeiros para nenhuma das instituições conveniadas.

24 de junho de 2021

Diretora de conteúdo da Lupa diz que desinformação é ‘problema social’

Jornalista Natália Leal participou do webinário do portal RealTime1, com o tema “FACT-CHECKING – As consequências da desinformação e das fake news para a democracia”.

23 de junho de 2021

Ephigênio Salles será alargada e vai ganhar passarela para pedestres

O alargamento da via acontecerá a partir da saída do viaduto Miguel Arraes, até a entrada da avenida Via Láctea, no conjunto Morada do Sol.

23 de junho de 2021