terça-feira, 16 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Cidade propõe audiência com órgãos federais para debater BR-319

Desabamentos de duas pontes deixaram quatro mortos, 14 feridos, um desaparecido e 100 mil isolados no Amazonas. Os incidentes ocorreram por falta de manutenção na rodovia.
COMPARTILHE
reunião gabinete
Nesta segunda-feira (10), o governador Wilson Lima decretou estado de emergência após o desabamento de uma segunda ponte no quilômetro 25 da rodovia federal no último sábado (Foto: Divulgação)

O deputado estadual Roberto Cidade (UB) afirmou, nesta segunda-feira (10), que irá propor ao presidente da Comissão de Transporte, Trânsito e Mobilidade da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Felipe Souza, a realização de uma audiência pública com órgãos federais em razão das graves consequências da queda de duas pontes na BR-319.

“Ver de que forma a Assembleia pode conduzir e contribuir com esses temas lamentáveis que vêm acontecendo no Amazonas, principalmente ali no Careiro Castanho, Careiro da Várzea e Manaquiri. O intuito é de ajudar, de contribuir, de fortalecer da melhor forma possível a cobrança dos poderes que têm a legitimidade para isso, que no caso é Governo Federal”, disse Cidade.

Os desabamentos ocorreram por falta de manutenção do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) na rodovia, cuja gestão passou a ser da Superintendência do órgão em Rondônia desde a publicação da portaria 3.521, em 23 de junho de 2022.

Estado de Emergência

Nesta segunda-feira (10), o governador Wilson Lima decretou estado de emergência após o desabamento de uma segunda ponte no quilômetro 25 da rodovia federal no último sábado (8).

O presidente da Aleam disse que na sessão plenária de terça-feira (11) irá reforçar a cobrança ao órgãos federais, entre eles o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Da redação com informações de assessoria

Leia Mais:

COMPARTILHE