sábado, 13 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Bolsonaro avança em votos nas cidades mais desmatadas na Amazônia

Candidato à reeleição, o presidente Bolsonaro (PL) ganhou no 1º turno em oito de dez cidades que mais desmataram na Amazônia. Na lista está Apuí, no Amazonas.
COMPARTILHE
Entre as cidades que mais dematam, Lula ganhou em Lábrea e Boslsonaro em Apuí, no Amazonas (Foto: Vitor Moryama/Imazon)
Entre as cidades que mais dematam, Lula ganhou em Lábrea e Boslsonaro em Apuí, no Amazonas (Foto: Vitor Moryama/Imazon)

O presidente Jair Bolsonaro (PL), que viu ao longo do seu mandato o desmatamento da Amazônia subir por três anos consecutivos, venceu o primeiro turno das eleições em oito das dez cidades mais desmatadas da região no ano passado.

No Amazonas, o presidente ganhou em Apuí saltando de 47,5% dos votos em 2018 para 57,8%, no último domingo (2). Já o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceu em Lábrea com 63,8% (taxa menor do que Haddad teve em 2018, de 69,7%).

No entanto, no Amazonas Lula foi o vencedor do 1º turno com 49,52% dos votos contra Bolsonaro que teve 42,80%.

Proporcionalmente, a quarta maior votação do presidente Bolsonaro no País se deu na quinta cidade mais desmatada no ano passado, Novo Progresso (PA), onde ele obteve 79,6% dos votos. Em 2018, Bolsonaro havia recebido 72,7% dos votos na cidade.

O município no oeste do Pará, localizado à beira da BR-163, foi palco do chamado “dia do fogo”, em agosto de 2019, quando fazendeiros, madeireiros e empresários locais fizeram uma ação coordenada para botar fogo em uma grande área.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Mas não é de hoje que a motosserra corre solta na região, em um processo de expansão da grilagem de terras e do agronegócio que se intensificou com a pavimentação da rodovia no início dos anos 2000 e voltou a crescer no governo Bolsonaro. O município tem experimentado também um aumento do garimpo.

Na lista das cidades com maiores taxas de desmatamento, Bolsonaro também ampliou sua votação em Altamira (PA), de 54,3% em 2018 para 57,7% em 2022; em São Félix do Xingu (PA), de 52,7% pra 63,1%; em Itaituba (PA), de 47,5% para 57,8%; e em Colniza (MT), de 62,1% para 71,1%.

Em Porto Velho, onde também venceu, a votação do candidato do PL ficou estável, com uma leve redução (passou de 57,8% para 56,8%).

Já em Pacajá (PA), onde Haddad havia liderado no primeiro turno de 2018, com 46,3%, neste ano Bolsonaro venceu com 55,3%.

Lula, além de vencer em Lábrea (AM), também foi o mais votado em Portel (PA), onde obteve 63,7%. Na cidade paraense Haddad também havia ficado à frente em 2018, mas com um percentual menor: 58,2%.

O cruzamento foi feito pelo Observatório do Clima com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e do sistema Prodes, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O Prodes fornece o dado oficial de desmatamento anual da Amazônia.

Texto: Giovana Girardi (Folhapress)

Leia Mais:

COMPARTILHE