domingo, 14 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

IBGE

Amazonas lidera produção de galinhas e codornas

Com uma produção de 86.333 dúzias de ovos de galinha, o Amazonas liderou a produção de ovos no país.
COMPARTILHE
Produção galinha Amazonas
Amazonas liderou, em 2022, com rebanhos de galinhas e codornas

O Amazonas liderou o ranking entre os estados da Região Norte na produção de galinhas e codornas em 2022, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os dados fazem parte da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM).

O estado possui nos rebanhos efetivos de galinhas 3.777.415 cabeças e codornas 53.378 cabeças, seguido por Tocantins com 2.770.363 galinhas e Rondônia com 30.265 codornas.

De acordo com a pesquisa do IBGE, o Amazonas também está na terceira posição do ranking na criação de bubalinos com 113.557 animais de grande porte.

A primeira colocação ficou com o Pará com 644.672 cabeças e a segunda com o Amapá com 312.355 cabeças.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

A produção de caprinos com 16.339 cabeças de rebanho efetivo deixou o Amazonas em segundo lugar, só perdendo para o Pará. Mas a produção de suínos prejudicou o estado e o deixou em último lugar da Região Norte.

Amazonas é o maior produtor de ovos do país

Superando o Espírito Santo que estava há dois anos seguidos liderando o ranking, o Amazonas lidera a produção de ovos do país com 86.333 dúzias de ovos de galinha e 753 mil dúzias de ovos de codorna.

O segundo lugar na produção de ovos de galinha ficou com o Estado do Tocantins (52.720 dúzias) e a terceira posição ficou com o Pará (39.778 dúzias).

Apesar de o ovo ter ficado mais caro, o IBGE explica que a concorrência com outros tipos de proteína manteve aquecida a demanda.

“Em 2022, com a elevação generalizada dos preços no setor de proteína animal, o ovo ganhou ainda mais destaque, sendo uma opção mais acessível aos consumidores, uma fonte relativamente mais econômica em comparação às carnes”, explica o IBGE.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COMPARTILHE