quarta-feira, 17 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

AM e RR querem comissão de deputados para cobrar soluções para BR-174

Assembleia Legislativa recebe comitiva deputados de Roraima, para tratar sobre o estado precário de infraestrutura e manutenção da estrada da BR-174.
COMPARTILHE
BR 174

Rodovia que interliga o Amazonas ao estado de Roraima, a BR-174 voltou a ser motivo para dor de cabeça entre empresários, turistas e moradores dos dois estados. Uma das rotas de escoamento de produtos feitos no Polo Industrial de Manaus, a estrada federal apresenta condições precárias em diversos trechos.

Deputados estaduais do Amazonas e de Roraima estão se debruçando sobre o assunto e pretendem criar uma comissão unindo as duas casas legislativas para cobrar, em conjunto, medidas efetivas do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), responsável pela manutenção e conservação da estrada.

Para os deputados do Amazonas, a situação isola o estado cada vez mais. A outra ligação terrestre utilizada pelo setor produtivo é a BR-319, que conecta o estado ao restante do país, e que está intransitável em diversos trechos.

No Careiro da Várzea, onde uma ponte desabou ano passado e matou quatro pessoas, a travessia improvisada pelo governo do ex-presidente Jair Bolsonaro desmoronou.

Na BR-174, os buracos atrapalham o fluxo comercial entre o Amazonas e Roraima. É que grande parte das mercadorias que abastecem Boa Vista são produzidas em Manaus.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

A estrada é também a única rota para entrada de produtos na capital roraimense, que não possui portos.

“Como Boa Vista demanda muitos produtos que vêm ou passam por Manaus, o risco de desabastecimento por lá é muito grande. Na verdade, fornecemos para o comércio de Roraima, lá não tem porto, nem terminal de cargas no aeroporto, ou seja, eles dependem totalmente da BR-174”, disse o empresário Wilson Périco, segundo vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM).

É de Manaus, por exemplo, que sai o oxigênio que abastece os hospitais de Boa Vista. Fornecedora do gás para toda a rede pública de saúde, a empresa Carbox tem aumentado as despesas com manutenção dos caminhões que fazem o transporte do produto.

Além de alimentar toda a rede pública, a empresa também fornece o gás para a rede privada e indústrias nas áreas de metalurgia, construção e alimentação. Até choperias, bares e fabricantes de bebidas da cidade compram o gás de Manaus.

“A realidade é bem dolorosa. Nossos produtos são essenciais à vida e temos que chegar, independente das condições. A cada semana são diversos caminhões com danos caros de consertar. Ambulâncias nem sempre conseguem passar. Produtos perecíveis também sofrem”, disse o empresário Marcelo Dutra, um dos sócios da Carbox.

Assembleias querem cobrar governo federal

Sem diálogos durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), os deputados do Amazonas e de Roraima devem se unir para cobrar o governo Lula por reparos na estrada. Na última terça-feira (14), uma comitiva de sete deputados estaduais de Roraima se reuniu, em Manaus, com deputados do Amazonas para discutir o problema.

Segundo a deputada Alessandra Campêlo (PSC-AM), a condição da rodovia federal BR-174 é lamentável e aumenta o isolamento regional.

“Roraima só consegue chegar ao Amazonas pela BR-174 e quando chega aqui continuamos ilhados, porque a BR-319 continua intrafegável. Somos ilhas, temos restrito o nosso direito de ir e vir. Isso afeta nossas economias, aumenta o custo das coisas aqui e em Roraima. A minha sugestão é que se faça uma Comissão das duas Assembleias para que possamos ir até nossas bancadas federais e que seja solicitado ao DNIT um relatório que explique o que foi feito nos últimos anos pelo DNIT com os recursos federais que recebe para atuar nessas estradas.”

De acordo com o deputado Renato Silva (Pros-RR), resolver o problema da estrada é uma questão de sobrevivência. Silva preside a Comissão de Viação, Transporte e Obras da Assembleia Legislativa de Roraima.

“É a única estrada que dá acesso ao restante do país. Se esta estrada ficar intrafegável em 48 horas, o estado de Roraima não terá mais energia. Sabemos que a responsabilidade é do Governo Federal, mas não impede que os estados façam convênio entre si. Pedimos o apoio da Assembleia do Amazonas para intervir e nos apoiar na solução desse problema”, pediu Renato Silva, ressaltando que a responsabilidade pela manutenção da estrada é do DNIT.

BR 174
Deputados do Amazonas e de Roraima debatem soluções para BR-174. (Foto: Divulgação Aleam)

“A última viagem que eu fiz de carro pela BR-174 foi traumática. Tem muita gente daqui que tem negócios em Roraima daqui e precisa dessa estrada. É todo um prejuízo. Podem contar comigo nessa luta”, salientou o deputado Mário César Filho, responsável pela comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

Leia mais:

COMPARTILHE