terça-feira, 23 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Profissionais de Saúde denunciam falta de pagamento

Os profissionais de saúde, enviados pelo Governo Federal para combate à Covid no Amazonas, até agora não receberam o pagamento pelo trabalho.
COMPARTILHE
profissionais de saúde

Os profissionais de Saúde, enviados pelo Governo Federal para combate à Covid no Amazonas, até agora não receberam o pagamento pelo trabalho.

O Ministério da Saúde enviou médicos e enfermeiros de várias regiões do Brasil para ajudar no combate à doença, na região.

De acordo com um denunciante, “a gente veio com toda a força para fazer um grande trabalho, mas, diante de um cenário de tantas incertezas, é difícil trabalhar dessa forma”, diz.

No dia 4 de maio, os primeiros profissionais de saúde do programa “Brasil conta Comigo”, do Ministério da Saúde, desembarcaram em Manaus.

No total, 267 voluntários foram para o Amazonas. Quando chegaram, muitos médicos e enfermeiros reclamaram da demora nos trâmites burocráticos.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Alguns tiveram que aguardar duas semanas até começarem a trabalhar. Depois da dificuldade para conseguir trabalhar, agora os profissionais da saúde denunciam que o governo federal não pagou o salário.

Profissionais contam que estão há quase dois meses à disposição do Ministério da Saúde sem remuneração. A promessa era de pagamento no quinto dia útil de junho.

“A sensação é frustrante, de desânimo, de tristeza e de muito medo ainda de não receber o que foi cumprido a nós”, lamenta outro denunciante.

Ao todo, 159 contratados pelo programa continuam atuando no sistema público de saúde do estado. A maioria está hospedada em um hotel com diárias, hospedagem e alimentação pagas pelo governo federal.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI no Amazonas, que já chegou a 96%, hoje está em 67%. O hospital de campanha municipal foi fechado.

Em nota, o Ministério da Saúde, agradeceu a dedicação dos profissionais e afirmou que vai quitar os salários atrasados no primeiro dia útil do mês que vem.

Fonte: G1

COMPARTILHE