fbpx

quinta, 20 de janeiro de 2022

Texto que institui Auxílio Brasil será analisado pelo Senado Federal

A manutenção da famílias beneficiárias dependerá, no mínimo, do cumprimento de algumas condições relativas à realização do pré-natal, calendário de vacinação e entre outras.

26 de novembro de 2021

Compartilhe

A MP, na forma do texto do relator, foi aprovada pela Câmara nesta quinta-feira (Foto: Reprodução)

O Senado vai analisar a Medida Provisória 1.061/2021, que institui o programa Auxílio Brasil para substituir o programa Bolsa Família, criado em 2003. A MP, na forma do texto do relator, deputado Marcelo Aro (PP-MG), foi aprovada pela Câmara nesta quinta-feira (25).

Nas votações dos destaques apresentados pelos partidos na tentativa de mudar trechos do texto do relator, o Plenário da Câmara aprovou emenda para incluir na lei o Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), registro público eletrônico de informações socioeconômicas das famílias de baixa renda. A emenda, de autoria do deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG), foi aprovada por 187 votos a 115.

Beneficiários

O PLV prevê como elegíveis ao Programa Auxílio Brasil as famílias em situação de pobreza, cuja renda familiar per capita mensal se situe entre R$105,01 e R$210,00; e as famílias em situação de extrema pobreza, com renda familiar per capita mensal igual ou inferior a R$ 105,00. Estes valores são maiores do que os previstos inicialmente pelo governo.

A manutenção da condição de família beneficiária dependerá, no mínimo, do cumprimento de condicionalidades relativas à realização do pré-natal, cumprimento do calendário nacional de vacinação e acompanhamento do estado nutricional, e frequência escolar mínima. Regulamento vai detalhar estas condicionalidades.

O texto institui quatro benefícios financeiros dentro do Programa Auxílio Brasil:

  • Benefício Primeira Infância: no valor de R$ 130 mensais, destinado às famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza que possuam em sua composição crianças com idade entre zero e 36 meses incompletos;
  • Benefício Composição Familiar: no valor de R$ 65 mensais, destinado às famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza que possuam gestantes, nutrizes ou pessoas com idade entre três e 21 incompletos;
  • Benefício de Superação da Extrema Pobreza: destinado às famílias em situação de extrema pobreza, cuja renda familiar per capita mensal, mesmo somada aos dois benefícios anteriores eventualmente recebidos, seja igual ou inferior ao valor da linha de extrema pobreza; e
  • Benefício Compensatório de Transição: concedido às famílias beneficiárias do Bolsa Família que tiverem redução no valor a ser recebido em decorrência do enquadramento na nova estrutura de benefícios financeiros.

Os três primeiros benefícios poderão ser pagos cumulativamente às famílias. Em qualquer caso, o pagamento será feito preferencialmente à mulher. O PLV prevê ainda que os benefícios poderão ser pagos por meio de conta digital, popularizadas na concessão do auxílio emergencial durante a pandemia.

O texto prevê ainda regras para saída do programa das famílias que tiverem aumento de renda e metas para taxas de pobreza.

Após negociação com os deputados, foram estabelecidas as seguintes metas nos três anos subsequentes à publicação da lei: taxa geral de pobreza inferior a 12%, 11% e 10%; e taxa de extrema pobreza inferior a 6%, 4% e 3%. Para os anos seguintes, o governo estabelecerá metas inferiores e decrescentes. Segundo o relator, as taxas de pobreza e de extrema pobreza entre a população atingiram, em julho de 2020, os patamares de 20,3% e 2,4%, respectivamente.

Fonte: Agência Senado

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Governo mantém sigilo de 100 anos e nega acesso a processo de Pazuello

Pazuello foi ministro da Saúde de setembro de 2020 a março de 2021 e encampou, em sua gestão, várias das posições negacionistas bancadas por Bolsonaro no combate à pandemia.

20 de janeiro de 2022

Eleição ficou mais difícil com novas regras, avaliam advogados

Novas regras, como a que instituiu a cláusula de barreira e a formação de federações, foram tema da segunda parte da série de entrevistas promovidas pela TV RealTim1.

20 de janeiro de 2022

Depois de críticas à aglomeração por testagem, prefeito suspende eventos

David Almeida suspendeu por 30 dias a concessão de permissão e licenças para eventos de qualquer natureza. A decisão não proibiu eventos esportivos que serão analisados.

20 de janeiro de 2022

TSE estuda bloquear Telegram no Brasil para evitar fake news nas eleições

Ao menos 11 países já bloquearam ou ainda bloqueiam a plataforma do Telegram, um deles é a Rússia, país de origem, onde o acesso ficou suspenso entre os anos de 2018 e 2020.

20 de janeiro de 2022

Lewandowski manda Ministério Público fiscalizar pais antivacina

No ofício, Lewandowski diz que os MP´s devem garantir que as medidas necessárias para fiscalizar a vacinação das crianças estão sendo adotadas conforme prevê o ECA.

20 de janeiro de 2022

Pandemia pode suspender concursos da Segurança; TCE-AM analisa pedido

A principal linha de questionamento da representação é que a realização do concurso no cenário de alta de casos de Covid-19 colocará em risco a saúde dos candidatos.

20 de janeiro de 2022

MP-AM quer exoneração de parentes do prefeito e vice de Canutama

A recomendação foi feita após denúncias de suposta prática de nepotismo na nomeação de familiares do prefeito José Torres (PSC) e do seu vice, Raimundo Cordeiro (MDB).

20 de janeiro de 2022

Alexandre Saraiva questiona decisão que liberou madeira apreendida pela PF

Ex-superintendente da PF no Amazonas, delegado Alexandre Saraiva, foi o pivô da queda do então ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Saraiva foi transferido para o Rio.

20 de janeiro de 2022