fbpx

segunda, 23 de maio de 2022

PT entra com representação contra fala de Michelle Bolsonaro no Dia das Mães

Na representação, o partido alegou que Michelle utilizou seu pronunciamento em cadeia nacional no domingo (8) para fazer propaganda eleitoral antecipada para Jair Bolsonaro.

10 de maio de 2022

Compartilhe

Espaço era destinado à ministra ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Cristiane Brito (Foto: Reprodução)

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu, nesta segunda-feira (9), uma representação apresentada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, por propaganda eleitoral antecipada.

Na representação, o partido alegou que Michelle utilizou seu pronunciamento em cadeia nacional no domingo (8) para fazer propaganda eleitoral para Bolsonaro, valendo-se do espaço destinado à ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, Cristiane Brito.

“O pronunciamento nacional, tido como atípico pela mídia nacional, teve duração de, aproximadamente, quatro minutos e 15 segundos, no qual a ministra e a representada intercalaram falas acerca de programas governamentais, de forma a exaltar a gestão do atual presidente”, diz o PT, que também destaca a inexistência de pronunciamentos semelhantes em anos anteriores no governo Bolsonaro.

Confira o vídeo abaixo:

Assinada pelos advogados do partido, Eugênio Aragão e Cristiano Zanin, e endereçada ao presidente do TSE, Edson Fachin, a representação afirma ainda que “pronunciamentos oficiais do governo federal devem tratar de assunto de relevante importância para o país”.

O partido pede ainda que o TSE determine a remoção de um vídeo do pronunciamento divulgado no Instagram de Michelle Bolsonaro, além do pagamento de multa, no valor máximo previsto em lei, pela prática de campanha eleitoral antecipada.

Com informações do portal Estação de Notícias

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Saiba quem são os famosos que já anunciaram em quem votam para presidente

Na lista estão a cantora Pabllo Vittar, que segurou uma bandeira de Lula no Lollapalooza, e a modelo Andressa Urach, que quis registrar o filho com o nome de Bolsonaro.

22 de maio de 2022

Escorregões de Lula em linguagem inclusiva viram alvo de aliados e rivais

Em defesa do ex-presidente Lula, auxiliares minimizam a gravidade das falhas e evitam expô-las em público para não criar mais ruídos na comunicação com o eleitor.

22 de maio de 2022

Justiça Eleitoral reformula cinco aplicativos para as eleições no Brasil

Além do aplicativo e-Título, em que é possível obter a via digital do Título de Eleitor, o app Boletim na Mão dá cópia digital do boletim de urna e o Pardal recebe denúncias.

22 de maio de 2022

Presidente descarta taxar compra por meio de aplicativos estrangeiros

Para Bolsonaro, irregularidades devem ser combatidas com fiscalização e o aumento dos impostos não é uma saída para o Governo com as empresas que ofertam compras online.

22 de maio de 2022

Temor com lei eleitoral trava medidas econômicas do governo federal

A lei eleitoral proíbe, no ano da disputa, a "distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios por parte do governo", o que impossibilita alguns planos de Bolsonaro.

22 de maio de 2022

João Pedro se lança ao Governo do AM, mas apoio da Federação ainda é incerto

O ex-senador João Pedro inscreveu pré-candidatura no Partido dos Trabalhadores e defende legado do ex-presidente Lula com o Estado do Amazonas.

22 de maio de 2022

Bolsonaro diz na Marcha para Jesus que ‘só Deus’ o tira do Palácio do Planalto

Em Curitiba, com um discurso com várias citações bíblicas, Jair Bolsonaro voltou a fazer críticas aos ministros do Supremo e a falar sobre "liberdade de expressão".

21 de maio de 2022

STF nega por unanimidade obrigar Lira a analisar impeachments

Decisão unânime do STF que desobriga Lira a cumprir prazos de análise de impeachment ocorreu nesta sexta-feira (20), mantendo 144 processos engavetados.

21 de maio de 2022