fbpx

sábado, 08 de maio de 2021

PT articula aliança com Braga para dar palanque a Lula no Amazonas

Presidente do PT no Amazonas, Sinésio Campos é um dos encarregados de negociar uma política de alianças que garanta um bom palanque ao ex-presidente

30 de março de 2021

Compartilhe

PT e MDB seguiram juntos durante os governos de Lula e Dilma, com Braga de principal aliado

O segredo que o PT do deputado estadual Sinésio Campos disse ao RealTime1 ser o “sucesso do negócio” ao falar da eleição de 2022 atende pelo nome de Eduardo Braga (MDB), segundo analistas políticos consultados pelo RT1.

O senador pode tirar do partido a candidatura própria ensaiada pelo deputado federal José Ricardo Wendling (PT) numa negociação que envolve a candidatura de Lula à presidência da República.

Lula e Braga foram íntimos aliados durante os governos deles entre 2003 e 2010. Já no Senado, Braga seguiu aliado do PT no governo de Dilma Rousseff, de quem foi ministro das Minas e Energia. Ele foi um dos últimos emedebistas a se decidir pelo impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

Em todos estes momentos, Sinésio Campos era o principal aliado do então governador, tendo inclusive indicado diversos secretários petistas para a gestão Braga no Governo do Estado.

O RealTime1 tem tentado falar com Sinésio sobre essas articulações, que são dadas como certas nos bastidores do partido, mas ele se esquiva de comentar e sequer retorna as mensagens da redação. Nesta terça-feira (30), após sessão da Assembleia, ele fugiu da reportagem.

O presidente do Diretório Estadual é apontado como o principal articulador, em nome de Lula, da candidatura Braga.

Na avaliação do grupo liderado pelo deputado estadual é uma candidatura muito mais competitiva e garantiria até um aumento da bancada do partido nas casas legislativas. Nessa articulação, aqui no Estado, é fundamental também o apoio do presidente do Diretório Municipal, Waldemir Santana, também muito ligado a Eduardo Braga nos anos em que ele foi governador do Estado.

Com a dobradinha Lula e Braga no poder, o PT conquistou uma vaga de deputado federal, com Francisco Praciano (2007-2015), colocou Sinésio (2003 até hoje) e Zé Ricardo (2011-2019) na Assembleia, e fez seguidas bancadas na Câmara Municipal: Praciano (2005-2006), que deu lugar a Waldemir José (2007-2017), Zé Ricardo (2005-2008), Professor Bibiano (2013-2017), Sassá da Construção Civil (2017-2020) na Câmara Municipal.

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Codajás recebe quase R$ 400 mil em projetos de crédito rural do Governo

Os valores foram destinados para pesca artesanal (R$301.656,85) e agricultura familiar (R$96.288,00), sendo financiados pela Agência de Fomento do Amazonas (Afeam).

7 de maio de 2021

Pacheco escreve a embaixador chinês e fala em ‘relação construtiva’

O presidente do Senado finaliza a carta convidando Yang Wanming para uma visita à Casa Legislativa assim que as condições pandêmicas tornarem o encontro favorável.

7 de maio de 2021

Auxílio Enchente começa a ser pago em Anamã pelo governador Wilson Lima

Operação Enchente leva ajuda humanitária, água potável e ações nas áreas social, de saúde e de fomento aos municípios em Situação de Emergência.

7 de maio de 2021

Gasolina do Cotão dos 24 deputados estaduais enche 300 tanques

No período em que a presença física nas sessões é facultativa, dois dos 24 deputados consumiram gasolina suficiente para ir e voltar sete vezes a Boca do Acre.

7 de maio de 2021

Carlos Almeida não deve ser ouvido pela CPI da Covid no Senado

Essa e outras notícias na coluna TEMPO REAL do portal RealTime1: Informação com credibilidade sobre política e os últimos acontecimentos do Amazonas.

7 de maio de 2021

Vereadores gastam R$ 272 mil com assessoria e divulgação

O vereador campeão nesse gasto foi Ivo Neto (Patriota), que utilizou R$ 19.800 nessas atividades. No entanto, assessoria não evitou que ele apresentasse um projeto repetido.

7 de maio de 2021

Não vai ter ‘pizza’: para 38% dos brasileiros, CPI atingirá objetivos

Segundo levantamento EXAME/IDEIA, 38% acreditam que a CPI vai apontar culpados pelas falhas no combate à pandemia, aumentar o ritmo da vacinação e a elevar valor do auxílio.

7 de maio de 2021

Mourão diz que Pazuello foi ‘risco’ à Saúde e o quer em ‘traje civil’ na CPI

Para o vice-presidente, decisão em colocar o general Pazuello à frente do Ministério foi um risco e que ser general 'da ativa ou reserva' não o impede de ir ao Senado depor.

7 de maio de 2021