fbpx

quinta, 21 de outubro de 2021

Menezes x Pazuello: quem será o escolhido de Bolsonaro ao Senado?

Menezes e Pazuello tiveram suas gestões frente à órgãos federais cercadas de polêmica. Menezes, por exemplo, deixou a Suframa acusado de improbidade administrativa.

8 de outubro de 2021

Compartilhe

O ex-superintendente da Suframa, Coronel Menzes (à esquerda), e o ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello (à direita) (Foto: Divulgação)

O Coronel Menezes (Patriotas) divulga seu nome aos quatro cantos como pré-candidato ao Senado. Mas os planos do ex-superintendente da Suframa podem vir por água abaixo. Isso porque, ao RealTime1, o coronel deu pistas de que o aval para sua candidatura ao Senado virá do presidente Bolsonaro (sem partido).

É que o presidente, segundo a Folha de São Paulo divulgou esta semana, teria outro nome como possível candidato à vaga: o também militar, general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, que poderia sair candidato pelo Amazonas, Roraima ou Rio de Janeiro.

Sobre o fato, considerada uma bola dividida, Menezes disse ao RealTime1, na quarta-feira (6), que não há divergência entre os dois militares. Isso porquê, segundo o coronel, ambos fazem parte do mesmo time de Bolsonaro. “Estamos unidos buscando o mesmo objetivo, que é vencer as eleições em 2022”, ressaltou.

Denúncias de favorecimento

Sua passagem pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) ficou marcada por polêmicas. O Ministério Público Federal (MPF) chegou, inclusive, a instaurar procedimento para apurar denúncia de improbidade administrativa quando Menezes esteve no cargo de superintendente do órgão.

Desempenho de Menezes nas urnas

Na primeira eleição que disputou, em 2020, Menezes ficou em quinto lugar, com 11,32% dos votos válidos, em um total de 11 candidatos.

Nos bastidores

Pazuello, por enquanto, figura mais nos bastidores. Por ser militar da ativa, o general caminha sobre as sombras do presidente Bolsonaro, que o colocou como titular do Ministério da Saúde em meio a maior crise de saúde do Brasil e do mundo: a Pandemia de Covid-19.

Da Redação

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Após manobra para Auxílio de R$ 400, secretários de Guedes pedem demissão

A decisão ocorre no mesmo dia em que o governo definiu um acordo para rever a regra do teto de gastos em busca de garantir o Auxílio Brasil de R$ 400.

21 de outubro de 2021

Presidente do Senado quer mediar reunião entre estados e Petrobras

Os governadores reclamam que a matéria, que agora precisa passar pela análise do Senado, implica na perda de R$ 24,1 bilhões em arrecadação apenas para os estados.

21 de outubro de 2021

Militares perdem ação no TJAM e vão ter de pagar mais pela previdência

ADIN apresentada pela Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia e Bombeiros questionava lei que estabelece novas alíquotas de contribuição deles para a previdência.

21 de outubro de 2021

Confira: relatório da CPI não ficou só nas sugestões de indiciamentos

Além do indiciamento de 66 pessoas e duas empresas, relatório de Renan Calheiros propõe 15 projetos de lei, um projeto de lei complementar e uma PEC.

21 de outubro de 2021

Senado avalia projeto que destina 10% das vagas no Sine às mulheres violentadas

Pesquisa encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revelou que, em 2020, uma em cada 4 mulheres acima de 16 anos afirmou ter sofrido algum tipo de violência.

21 de outubro de 2021

Semmas seguirá com baixo orçamento pelos próximos quatro anos

Plano Plurianual em análise na Câmara prevê que pasta do Meio Ambiente receberá em média, de 2022 a 2025, somente R$ 17,1 milhões, o menor orçamento dentre as secretárias.

21 de outubro de 2021

Último lugar em transparência do MPC, Aleam quer ‘ensinar’ Câmaras

Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) vai promover Fórum Estadual das Casas Legislativas do interior mesmo estando em último lugar em ranking de transparência do MPC.

21 de outubro de 2021

5 de dezembro: coarienses definirão quem vai controlar 2º maior orçamento do AM

Eleição suplementar em Coari vai escolher quem comandará o segundo maior orçamento do estado. Adail Filho aposta no nome do primo para sua sucessão.

21 de outubro de 2021