fbpx

quinta, 30 de junho de 2022

‘Ele foi covarde e pequeno como sempre é’, diz Marcelo sobre Lira

Marcelo Ramos afirmou que sua saída do cargo de vice-presidente da Câmara foi uma questão política motivada pela ira de Bolsonaro e subserviência de Arthur Lira.

26 de maio de 2022

Compartilhe

Marcelo foi recebido por apoiadores no aeroporto Eduardo Gomes (Foto: João Luiz Onety/Portal RealTime1)

Nesta quinta-feira (26), o deputado federal Marcelo Ramos (PSD) desembarcou em Manaus pela primeira vez após ser destituído do cargo de vice-presidente da Câmara Federal. Ele comentou sobre seu último discurso proferido ainda no posto que, para alguns, soou como uma fala para “agradar minorias políticas”. A recepção do parlamentar foi feita por apoiadores e correligionários.

No entanto, Marcelo refutou e garantiu que seu discurso foi direcionado ao povo que lhe confiou o mandato e o elegeu deputado federal e, em consequência, aos demais brasileiros que acreditam no seu trabalho como parlamentar federal.

”Cada um demonstrou o tamanho que tem. Eu fiz um discurso para o Brasil, para o parlamento e ele [Arthur Lira] foi pequeno como sempre é”, disparou. Marcelo disse ainda que, no meio político, é difícil aceitar que pessoas de origem humilde ocupem cargos importantes.

”É muito difícil para esses políticos tradicionais, coronéis, aceitarem que um cara simples, filho de uma professora (…) que um amazonense, de uma bancada de oito entre 513 deputados, ocupe um espaço de destaque. Isso incomoda muito ele”, pontuou o parlamentar sobre Lira.

Precedente perigosíssimo

Marcelo afirmou que a decisão de Lira abre um precedente para que as instituições se fragilizem e que a democracia seja ainda mais atacada.

”Quando o Executivo ataca a democracia é perigoso, quando o Legislativo se consorcia com o Executivo para atacar a democracia é mortal. Eu fui eleito por 396 votos e fui destituído por um voto, mas página virada. O que é importante para o povo do Amazonas não é a cadeira de vice-presidente [da Câmara] é como que nós vamos proteger a Zona Franca […]. Eles ficam com o cargo e eu fico com meus ideais”. disse.

Regimento ou perseguição política

Marcelo se referia ao ato assinado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e publicado na última segunda-feira (23), que o destituiu da vice-presidência da Casa.

Na ocasião, Lira afirmou que a decisão é “estritamente regimental”. O regimento da Câmara prevê, em um de seus artigos, que “em caso de mudança de legenda partidária, o membro da Mesa perderá automaticamente o cargo que ocupa”.

No entanto, ao ser questionado se sua saída não poderia ser mais uma clara demonstração de perseguição política, Marcelo foi enfático e disse que Lira recebeu a ordem do presidente Jair Bolsonaro (PL).

”Eu já troquei de partido há cinco meses. Ele só me tirou da Mesa [Diretora] quando o presidente deu uma ordem pra ele através de uma live. E quando o presidente da Câmara recebe uma ordem do presidente da República, as coisas estão muito erradas e a democracia está muito frágil”.

O parlamentar afirmou ainda que há uma brecha na legislação que garantiria sua permanência no cargo.

”Há um dispositivo no regimento interno que é muito claro, o artigo 12 parágrafo 1º, os blocos partidários quando constituídos equivalem a partidos. Tanto que em 2016 houve uma troca na Mesa e a questão de ordem foi respondida neste sentido. Não é um regimento, é uma decisão política que se acovarda diante de uma ordem do presidente da República”.

Texto: João Luiz Onety

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

TSE define teto de gastos de campanha presidencial em R$ 88,3 milhões

A decisão unânime da corte foi no sentido de determinar que seja usado o mesmo teto de gastos de 2018, mas corrigido pela inflação. Ou seja, pelo IPCA.

30 de junho de 2022

Comissão realiza oitivas sobre falta de segurança em terra indígena

Comissão vai pedir providências sobre os assassinatos de Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, além de apurar a omissão do poder público na segurança dos indígenas.

30 de junho de 2022

Wilson entrega mais de R$ 10 milhões em materiais para Operação Enchente 2022

A entrega de 19 lanchas rápidas e 300 purificadores, que juntos somam o investimento de R$ 10,8 milhões dão continuidade nas ações de enfrentamento da enchente 2022.

30 de junho de 2022

‘Wilson Lima tem habilidade e é um dos favoritos da eleição’ , diz Hissa

Pré-candidato pelo Avante, Hissa Abraão afirmar que vai lutar pela Reforma Tributária e pela revisão dos impostos para que a classe média pague menos que os mais ricos.

30 de junho de 2022

‘Mesmo sob ditadura camuflada, golpe não virá’, avalia um dos criadores do PT

Foragido político por 15 anos, Carlos Augusto, para muitos Raimundo Cardoso viveu escondido em Manaus; integrou o PCdoB na década de 70 e está no PT há 43 anos.

30 de junho de 2022

Governo suspende publicações em redes sociais até o fim da eleição

Medida atende vedação prevista na legislação eleitoral que visa dar igualdade de disputa na corrida eleitoral minimizando o peso da máquina pública na eleição.

30 de junho de 2022

Federação PT, PV e PCdoB confirma pré-candidatos em 1º de agosto

O presidente estadual do PCdoB no Amazonas já definiu os nomes que vão ocupar as oito vagas da sigla na federação, sendo seis para Aleam e dois para a Câmara Federal.

30 de junho de 2022

Valdemir Santana ‘sonha’ com Lula no palanque de Ricardo Nicolau

Como motivos, o presidente municipal do PT destacou o apoio do Solidariedade, de Nicolau, em defesa da ZFM e a atuação da família do deputado no combate à Covid-19.

30 de junho de 2022