fbpx

sábado, 29 de janeiro de 2022

CPI confirma 14 novos investigados após homenagear vítimas da Covid

Renan Calheiro havia decidido monocraticamente que 14 testemunhas passariam a condição de investigados. CPI também fez homenagem as vítimas da doença.

22 de junho de 2021

Compartilhe

Senadores fizeram um minuto de silêncio em homenagem aos mortos pela Covid-19 ao longo da pandemia (Foto: Reprodução)

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19 do Senado Federal fez um minuto de silêncio pelas 502.802 mortes de brasileiros pela doença desde março de 2020. A homenagem foi uma proposta do senador Rogério Carvalho (PT-SE) e antecedeu o depoimento do deputado Osmar Terra (MDB-RS) na comissão.

Após a homenagem, a CPI pegou fogo com uma questão de ordem do senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS) para que a colegiado analisasse a decisão do relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), de transformar 14 depoentes de testemunhas para a condição de investigados, um status bem mais grave e que poderá levá-los a responder processos na Justiça civil e criminal.

Após muita discussão, o líder do governo, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), pediu que fosse retirado o nome do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, dessa lista, o que não foi aceito pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD). “Ele tem responsabilidade sim, comprou vacinas da Pfizer por preço muito mais alto e ainda avalizou a realização da Copa América no Brasil”, afirmou Omar.

Após esse debate, os senadores aprovaram a decisão do relator e os 14 passaram a condição de investigados.

Confira a lista:

 Marcelo Queiroga, Ministro da Saúde;

 Marcellus Campêlo, ex-secretário de Saúde do Amazonas;

 Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde;

 Ernesto Araújo, ex-ministro das Relações Exteriores;

 Élcio Franco, ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde;

 Hélio Angotti Neto, ex-secretário de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde;

 Fábio Wajngarten, ex-secretário de Comunicação da Presidência da República;

 Mayra Pinheiro, secretária de gestão e trabalho do Ministério da Saúde;

 Luciano Dias Azevêdo, tenente-médico da Marinha

 Nise Yamaguchi, médica oncologista;

 Paulo Zanoto, médico virologista;

 Carlos Wizard, empresário;

 Arthur Weintraub, ex-assessor da Presidência da República;

 Francieli Fantinato Fontana, coordenadora do Programa Nacional de Imunização.

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Justiça suspende aumento do ‘cotão’ aprovado pela Câmara de Manaus

A decisão da Justiça sobre o Cotão, que saiu na tarde desta sexta-feira (28) e cabe recurso, prevê também multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento.

28 de janeiro de 2022

Damares libera ‘Disque 100’ para não-vacinados relatarem discriminação

Em nota, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos ainda se manifestou contra a obrigatoriedade da vacinação de crianças contra a Covid.

28 de janeiro de 2022

Moraes nega recurso da AGU e mantém obrigação de Bolsonaro depor na PF

Depoimento estava marcado por Moraes para esta sexta-feira, mas o presidente novamente decidiu faltar com intervenção da Advocacia Geral da União (AGU).

28 de janeiro de 2022

PT entra com ação no STF por ampliação de prazo para federações

O PT entende que o prazo previsto na Lei para a formação das federações é muito curto e pede que seja estendido pelo STF pelo menos até maio deste ano, ou até agosto.

28 de janeiro de 2022

Bolsonaristas apelam para reajuste de professores para cativar votos

Reajuste de 33,24% concedido pelo presidente Jair Bolsonaro ignorou técnico do Ministério do Educação e não considerou a pressão nas contas dos governadores e prefeitos.

28 de janeiro de 2022

Pré-candidato a deputado federal, Saullo Vianna caminha com Wilson e David

À TV RealTime1, o deputado revelou os planos dele para disputar uma vaga na Câmara Federal, bastidores da política local e quem está na frente na corrida presidencial no AM.

28 de janeiro de 2022

Bolsonaro avalia com AGU se vai ou não prestar depoimento à PF

O ministro Bruno Bianco analisa os precedentes que podem ser aplicados a Bolsonaro para tentar minimizar o desgaste que poderia sofrer ao prestar depoimento.

28 de janeiro de 2022

Justiça do Distrito Federal arquiva caso do tríplex contra Lula

O MPF afirma que os crimes imputados ao ex-presidente Lula prescreveram. O petista tem 76 anos e, mesmo se condenado, a pena estaria prescrita até que pudesse ser cumprida.

28 de janeiro de 2022