fbpx

sexta, 27 de maio de 2022

Vinci Airports lança operações em sete aeroportos da Amazônia

Os aeroportos amazônicos de Manaus, Porto Velho, Rio Branco, Boa Vista, Cruzeiro do Sul, Tabatinga e Tefé estão agora totalmente integrados à rede da Vinci Airports.

31 de março de 2022

Compartilhe

Lançamento oficial aconteceu nesta quarta-feira (30) (Foto: Divulgação)

As operações dos aeroportos da Vinci Airports na Amazônia tiveram lançamento oficial nesta quarta-feira (30) no Aeroporto Internacional de Manaus, com a presença de Nicolas Notebaert, CEO da Vinci Concessions e Presidente da Vinci Airports, de representantes dos poderes públicos estadual e municipal e da sociedade civil, além de colaboradores da empresa. 

Com um contrato de concessão de 30 anos, os aeroportos amazônicos de Manaus, Porto Velho, Rio Branco, Boa Vista, Cruzeiro do Sul, Tabatinga e Tefé estão agora totalmente integrados à rede da Vinci Airports, após um plano de transição de 6 meses concluído com a Empresa de Infraestrutura Aeroportuária do governo (Infraero). 

Durante o evento, a Vinci Airports divulgou seu modelo integrado para melhorar a mobilidade na região amazônica com um plano de ação que inclui: melhorar a infraestrutura aeroportuária: investimento global para modernizar a infraestrutura; reduzir a pegada de carbono dos aeroportos em 50% até 2030 e atingir emissões líquidas zero até 2050; abrir novas rotas e destinos, trabalhando com suas 250 companhias aéreas parceiras; implantar o programa de experiência do cliente do Vinci Airports, com Wi-Fi gratuito, proteção sanitária e de saúde contra a Covid-19 e áreas comerciais renovadas. 

“Aqui na região amazônica, onde a conectividade aérea é essencial, a Vinci Airports buscará criar benefícios de longo prazo para a mobilidade das pessoas e da cadeia de suprimentos. Vamos mobilizar o modelo industrial para desbloquear o potencial aeroportuário e ativar as sinergias com o aeroporto de Salvador que operamos com sucesso desde 2018”, declarou Nicolas Notebaert, CEO da Vinci Concessions e Presidente da Vinci Airports. 

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Plano de saúde individual vai subir 15%, a maior alta em 22 anos

Percentual deve impactar cerca de 8,9 milhões de consumidores de planos individuais de saúde no Brasil. Reajuste não vale para planos coletivos empresariais e por adesão.

27 de maio de 2022

Manejo florestal sustentável é aposta para diversificação econômica do AM

O Estado está preparando uma política de governo para o tema. O planejamento estratégico, orientado por Wilson Lima, vislumbra novos vetores que gerem emprego e renda.

27 de maio de 2022

‘Catastrófico’, cita Sefaz sobre projeto que unifica ICMS em 17%

Secretário da Sefaz afirma que caso projeto de unificação do ICMS em 17% seja sancionado, arrecadação estadual terá perda de R$ 1 bilhão ao ano, afetando serviços à população

27 de maio de 2022

Com R$ 195 bilhões, Receita bate recorde de arrecadação em abril

No quadrimestre (de janeiro a abril de 2022), a arrecadação da Receita Federal alcançou o valor de R$ 743,2 bilhões, o que representa um acréscimo de 11,05% pelo IPCA.

26 de maio de 2022

Redução do ICMS: Bolsonaro sinaliza veto a compensação para estados

Bolsonaro disse que compensação, prevista em projeto aprovado na Câmara que limita ICMS da energia e de combustíveis, "não tem cabimento" e que poderá vetar o dispositivo.

26 de maio de 2022

Criticado até por bolsonarista, salário mínimo de R$ 1.212 é aprovado

Valor já está em vigor desde o primeiro dia do ano, quando Bolsonaro editou a medida provisória. A proposta, no entanto, precisava ser confirmada pelo Congresso Nacional.

26 de maio de 2022

Wilson Lima anuncia investimentos de quase R$ 25 milhões para CT&I

Por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado (Fapeam), os recursos serão aplicados em sete editais, sendo seis inéditos, de programas de apoio a pesquisas científicas.

26 de maio de 2022

Para economistas, ICMS em 17% terá pouco impacto na redução de preços

Economistas acreditam que projeto que estipula teto de 17% na cobrança de ICMS não resultará em redução expressiva no preço do combustível, com queda de até 5% nos preços.

26 de maio de 2022