fbpx

quarta, 26 de janeiro de 2022

Prévia da inflação oficial de março fica em 0,93%, segundo o IBGE

Essa é a maior variação de preços para um mês de março desde 2015 (1,24%), de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira pelo IBGE. Só a gasolina subiu 11,18%.

25 de março de 2021

Compartilhe

Essa é a maior variação de preços para um mês de março desde 2015 (Foto: Reprodução)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, registrou taxa de 0,93% em março deste ano, acima do 0,48% de fevereiro deste ano e do 0,02% de março de 2020.

Essa é a maior variação de preços para um mês de março desde 2015 (1,24%), de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o resultado, o IPCA-15 acumula taxas de inflação de 2,21% no trimestre. A taxa trimestral, também conhecida como IPCA-E é a maior para um primeiro trimestre desde 2016 (2,79%). No acumulado de 12 meses, o IPCA-15 registra inflação de 5,52%.

Na prévia de março deste ano, a inflação foi puxada pelos transportes, que registraram taxa de 3,79%. O comportamento dos preços deste grupo de despesas pode ser explicado pelas altas dos combustíveis (11,63%).

Só a gasolina subiu 11,18%, mas também houve variações de preços do etanol (16,38%), óleo diesel (10,66%) e gás veicular (0,39%).

Outros itens de transportes com alta de preços foram automóveis novos (0,99%), automóveis usados (0,30%), seguro voluntário de veículo (2,57%), ônibus urbano (0,42%) e trem (1,61%).

A alta de preços de 0,71% do grupo de despesas habitação também teve impacto importante no IPCA-15 de março. A inflação no grupo foi puxada principalmente pelo gás de botijão (4,60%), gás encanado (2,52%) e taxa de água e esgoto (0,68%).

Os alimentos tiveram inflação de 0,12%, mas a taxa é inferior à registrada nas prévias de fevereiro (0,56%) e de janeiro (1,53%).

Apenas o grupo educação registrou deflação (queda de preços), com uma taxa de -0,51% na prévia de março. Os demais grupos tiveram as seguintes taxas de inflação: artigos de residência (0,55%), saúde e cuidados pessoais (0,24%), despesas pessoais (0,10%), vestuário (0,03%) e comunicação (0,02%).

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Entenda os fatores que pressionam a inflação no Brasil e no mundo

Tensões geopolíticas internacionais e fatores internos, como problemas climáticos e incertezas políticas deste ano, puxarão os índices de preços pelo menos no 1º trimestre.

26 de janeiro de 2022

Seis delegados e 25 chefes da Receita Federal no AM entregaram os cargos

Entrega de cargos de delegados e chefes da Receita Federal no Amazonas torna mais burocrática e morosa a liberação de mercadorias nos terminais do Amazonas.

26 de janeiro de 2022

Grupo amazonense de supermercados reforça vendas pelo Whatsapp

Grupo DB de supermercados aposta em serviço de delivery pelo perfil do Whatsapp para manter regularidade das vendas em meio a alta de casos de Covid-19 em Manaus.

26 de janeiro de 2022

Prévia da inflação, IPCA-15 de janeiro fica em 0,58%, informa IBGE

Resultado foi puxado pela queda de 0,41% no grupo dos transportes, que foi influenciado pela diminuição nos preços da gasolina (-1,78%) e das passagens aéreas (-18,21%).

26 de janeiro de 2022

Setor de energia solar quer reverter taxação sancionada por Bolsonaro

Movimento Solar Livre tem um ano para mobilizar o setor de energia solar e reverter a taxação sancionada em janeiro aos usuários desse sistema de energia limpa.

26 de janeiro de 2022

BNDES anuncia ampliação de orçamento do Fundo Socioambiental

Orçamento passa a ser de R$ 150 milhões. Segundo o presidente Bolsonaro, os recursos têm foco em projetos voltados para educação, meio ambiente e geração de emprego e renda.

26 de janeiro de 2022

Indústria termoplástica chega ao PIM com investimentos de R$ 17 milhões

Norpolim Nordeste Polímeros Indústria e Comércio de Termoplástico Ltda pertence ao grupo Plasvan que é referência no setor de termoplásticos no país.

26 de janeiro de 2022

Trabalhador formal está há 3 anos sem ganho salarial real, diz pesquisa

Salariômetro da Fipe confirma que o salário dos trabalhadores formais encerrou pelo terceiro ano (2021) consecutivo com reajustes abaixo da inflação medida pelo INPC.

26 de janeiro de 2022