fbpx

sexta, 27 de maio de 2022

Desemprego cai para 11,2% no trimestre até janeiro, a menor taxa desde 2016

Com forte reação do setor de comércio, o desemprego recuou no trimestre encerrado em janeiro, de acordo com a PNAD Contínua divulgada pelo IBGE, nesta sexta-feira (18).

18 de março de 2022

Compartilhe

Segundo o IBGE, o emprego no Comércio já supera o período pré-pandemia (Foto: Tomaz Silva/ABr)

A taxa de desocupação caiu para 11,2% no trimestre encerrado em janeiro, recuo de 0,9 ponto percentual na comparação com o trimestre anterior, encerrado em outubro. É a menor taxa de desemprego para o período desde 2016, quando registrou 9,6%. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta sexta-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já população desocupada foi de 12 milhões de pessoas, queda de 6,6% na mesma comparação, o que representa uma redução de 858 mil pessoas. No confronto com o mesmo período do ano anterior, a queda no percentual de desocupados é de 18,3%, o que representa 2,7 milhões de pessoas a menos em busca de trabalho.

A pesquisa também mostra que aproximadamente 95,4 milhões de pessoas estavam ocupadas, uma alta de 1,6%. Já o nível da ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) foi estimado em 55,3%, mais 0,7 ponto percentual frente ao trimestre anterior.

De acordo com a coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, Adriana Beringuy, o setor de comércio influenciou positivamente o resultado. “A expansão do comércio indica a manutenção da tendência de crescimento dessa atividade, principalmente, a partir do 2º semestre de 2021. No trimestre atual, a população ocupada no Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas (18,4 milhões de pessoas) já supera a registrada no período pré-pandemia (trimestre móvel de dez-jan-fev de 2020) ”, afirma.

No que diz respeito à informalidade, janeiro registrou 38,5 milhões de trabalhadores informais (40,4% da população ocupada), taxa menor que a do trimestre anterior (40,7%) e maior que o mesmo período do ano passado (39,2%).

Já o rendimento real habitual voltou a cair: menos 1,1% em relação ao último tri e uma queda ainda maior, de 9,7%, frente ao mesmo trimestre de 2021, ficando em R$ 2.489 de média. Nenhuma categoria apresentou alta no rendimento. Na indústria, houve queda de 4,1%, ou menos R$ 102), mesmo com alta na ocupação com empregos com carteira. “A retração dos rendimentos, que costuma ser associada ao trabalhador informal, esteve disseminada para outras formas de inserção e não apenas às relacionadas à informalidade”, explica Beringuy.

Com informações da Assessoria

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Audiovisual contrata 40% a menos com fim de editais e pandemia

Estudo Tela Amazônia identificou que a maioria das produtoras de audiovisual no Amazonas atua há dez anos no mercado e 98,4% estão formalizadas.

27 de maio de 2022

Bolsonaro recua de reajuste para policiais e sugere 5% para todos os servidores

Chefe do Executivo busca garantir o apoio de servidores federais à sua reeleição, mas afirma que tem enfrentado dificuldade para abrir espaço no Orçamento.

27 de maio de 2022

Plano de saúde individual vai subir 15%, a maior alta em 22 anos

Percentual deve impactar cerca de 8,9 milhões de consumidores de planos individuais de saúde no Brasil. Reajuste não vale para planos coletivos empresariais e por adesão.

27 de maio de 2022

Manejo florestal sustentável é aposta para diversificação econômica do AM

O Estado está preparando uma política de governo para o tema. O planejamento estratégico, orientado por Wilson Lima, vislumbra novos vetores que gerem emprego e renda.

27 de maio de 2022

‘Catastrófico’, cita Sefaz sobre projeto que unifica ICMS em 17%

Secretário da Sefaz afirma que caso projeto de unificação do ICMS em 17% seja sancionado, arrecadação estadual terá perda de R$ 1 bilhão ao ano, afetando serviços à população

27 de maio de 2022

Com R$ 195 bilhões, Receita bate recorde de arrecadação em abril

No quadrimestre (de janeiro a abril de 2022), a arrecadação da Receita Federal alcançou o valor de R$ 743,2 bilhões, o que representa um acréscimo de 11,05% pelo IPCA.

26 de maio de 2022

Redução do ICMS: Bolsonaro sinaliza veto a compensação para estados

Bolsonaro disse que compensação, prevista em projeto aprovado na Câmara que limita ICMS da energia e de combustíveis, "não tem cabimento" e que poderá vetar o dispositivo.

26 de maio de 2022

Criticado até por bolsonarista, salário mínimo de R$ 1.212 é aprovado

Valor já está em vigor desde o primeiro dia do ano, quando Bolsonaro editou a medida provisória. A proposta, no entanto, precisava ser confirmada pelo Congresso Nacional.

26 de maio de 2022