fbpx

segunda, 04 de julho de 2022

Alta nos preços dos combustíveis deve encarecer produtos do PIM

Reajuste no preço dos combustíveis afetará o setor industrial em cadeia, com encarecimento nos custos do frete e da geração de energia. Produto final deverá onerar.

7 de julho de 2021

Compartilhe

Aumento do combustível deverá encarecer produção industrial. (Foto: Reprodução)

O novo reajuste nos preços da gasolina e do diesel, em vigor a partir desta terça-feira (6), deverá impactar em todos os segmentos produtivos, inclusive no setor industrial. Com isso, os custos referentes à logística e à geração de energia elétrica, fundamentais para a cadeia produtiva, deverão ser onerados incidindo no preço final dos produtos, nos próximos meses.

De acordo com o presidente do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco, as fabricantes dependem do frete tanto para o recebimento quanto para o envio de produtos aos demais estados, e o combustível é o insumo necessário para essa logística. O resultado é o encarecimento nos preços em cadeia (fabricante e consumidor final).

Prejuízos vão além do transporte

Além disso, Périco ainda explicou que a energia fornecida às indústrias por meio de geradores, e pelas termelétricas, é gerada a partir do diesel, e também deverá ter os custos acrescidos.

“O custo do que compramos de outros estados e do que entregamos para outros estados deverá ter aumento. Muito da energia gerada pelos geradores das indústrias e pelas termelétricas são a diesel. Isso pode trazer sim aumento no custo de tudo. Da energia elétrica, do frete do transporte, conjunto que vai afetar o preço do produto”, analisou o empresário.

Reajuste do salário mínimo não acompanha alta dos preços

Segundo o presidente do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM), Martinho Luís Azevedo, os constantes reajustes nos preços dos combustíveis estão atrelados a questões dos mercados internacional e interno. Ele destaca que a principal problemática no cenário atual é que o valor do salário mínimo não acompanha os aumentos nos preços.

“Os agentes econômicos estão sempre se ajustando ao patamar do mercado. Não há como impedir os reajustes, e o consumidor tem que se adequar aos preços”, comenta.

Por fim, Azevedo acredita que os impactos decorrentes dos aumentos nos preços dos combustíveis poderão gerar elevação no preço final do que é fabricado pelas indústrias, nos próximos meses.

“O setor industrial trabalha com planejamento. A repercussão poderá ser sentida em alguns meses, com o reflexo desse reajuste no preço final do que é fabricado pelas indústrias no estado”.

Texto: Priscila Caldas

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

BNDES reúne bancos de desenvolvimento globais na ExpoAmazônia

Tema sustentabilidade norteou boa parte das discussões ao longo dos objetivos principais da ExpoAmazônia sediada em Manaus.

3 de julho de 2022

Alta da Selic atrai investidores para renda fixa isenta de Imposto de Renda

Com a alta da taxa básica de juros, o mercado tem oferecido aos investidores títulos emitidos por grandes empresas, sem cobrança de impostos, com retorno real.

3 de julho de 2022

Petrobras tem trabalhadores e bancos como minoritários no Governo Bolsonaro

Acionistas viraram alvo de Jair Bolsonaro em meio à crise provocada pelas conturbadas trocas de comando na Petrobras, que resiste em elevar os preços dos combustíveis.

3 de julho de 2022

Infraestrutura de conectividade pauta palestra na ExpoAmazônia

Diretor de projetos do Ministério das Comunicações disse que leitos dos rios é a forma mais sustentável de implantar cabos subfluviais para conectar internet na Amazônia.

3 de julho de 2022

Receita Federal alerta para golpe do falso IOF antecipado via Pix

A Receita Federal informa que jamais fornece dados para recolhimento de tributos ou de taxas via transferência. Os fraudadores fornecem documentos falsos de notificação.

2 de julho de 2022

Aumenta o número de brasileiros endividados acima de 60 anos

Ao todo, o país tem 66,1 milhões de endividados – recorde da série histórica iniciada em 2016. Antes, o pico do endividamento foi atingido em abril de 2020, com 65,9 milhões.

2 de julho de 2022

Leis que beneficiam policiais e professores são sancionadas no AM

Governador do Amazonas beneficia policiais civis com equiparação da aposentadoria e professores da rede pública estadual de ensino com 14º e 15º salários.

2 de julho de 2022

Manaus vai sediar maior evento de networking de Tecnologia e Inovação

Estão abertas as inscrições para o ‘AATEC Day 2022’, evento gratuito voltado para gestores e profissionais de Tecnologia e Inovação. Evento vai acontecer em 23 de julho.

1 de julho de 2022