fbpx

terça, 26 de outubro de 2021

AM pode ganhar novos profissionais no Mais Médicos por ação civil do MPF

Ação civil pública pede que União mantenha vagas já ativas para o estado, com providências para preenchimento imediato, e lance edital para possibilitar o aumento de vagas.

11 de junho de 2021

Compartilhe

A insuficiência de médicos em atuação no Amazonas agrava o cenário já deficiente de atenção à saúde no estado (Foto: Reprodução)

O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação civil pública para assegurar o aumento de vagas no Programa Mais Médicos do Brasil (PMMB) para o Amazonas, além da manutenção das vagas já ativas para o estado. A insuficiência de médicos em atuação no Amazonas agrava o cenário já deficiente de atenção à saúde no estado.

Na ação, o MPF pede, em caráter liminar, que a União seja proibida de reduzir as vagas do programa já autorizadas, homologadas e alocadas no Amazonas, com a adoção de medidas para assegurar o preenchimento imediato das vagas atualmente sem médico designado.

Além disso, o pedido liminar inclui o lançamento de edital para que todos os municípios do Amazonas possam solicitar aumento de vagas do PMMB, a partir de parâmetros atualizados, e que sejam adotadas as providências para preenchimento das novas vagas.

De acordo com o MPF, a crise causada pela pandemia de coronavírus evidenciou o déficit e as desigualdades regionais da distribuição de profissionais de saúde no país. Mesmo antes da pandemia, a escassez de médicos na região norte já era notória.

Migração e problemas sociais

Na ação civil pública, o MPF aponta que, nos moldes atuais de prestação de serviços básicos de saúde, onde há um vácuo assistencial, as populações rurais amazônicas são obrigadas a migrarem para as sedes dos municípios. “O êxodo rural no Estado não é uma opção, mas uma imposição para quem deseja dispor do mínimo necessário à subsistência digna. Mesmo para aqueles que não se mudam em definitivo para as áreas urbanas, o deslocamento desde as comunidades rurais pode levar dias de trajeto, que é feito, na maioria das vezes, por vias fluviais”, explicou o MPF.

Com a migração, as sedes dos municípios recebem população de forma desordenada, com aumento significativo de problemas sociais diversos, além do agravamento de doenças que poderiam ser prevenidas ou diagnosticadas e tratadas em tempo oportuno, com menores gastos para o poder público. Há também o aumento de enfermidades para as quais determinadas comunidades nunca foram imunizadas, o que pode levar a mortes evitáveis.

Apesar de ter conseguido alocar um número considerável de médicos em municípios do interior do Amazonas, por exemplo, o Programa Mais Médicos vem sofrendo com vagas ociosas desde 2018 a partir do massivo desligamento de médicos, quando o governo cubano decidiu não continuar participando do programa.

O Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas informou ao MPF que as principais dificuldades enfrentadas relacionadas ao Programa Mais Médicos são o não preenchimento das vagas pelos médicos em cidades remotas, a não apresentação do profissional no município, e ausência de reposição imediata do médico por desistência, abandono, morte e licenças.

A Secretaria Municipal de Saúde de Manaus acrescentou que a demora na análise das solicitações de desligamento por parte da coordenação nacional do programa também é uma dificuldade, que contribui para a defasagem do sistema e a divergência no quantitativo de vagas disponíveis. A secretaria citou o caso de um médico que foi homologado pelo Edital nº 18/2018 e nunca chegou a desenvolver as atividades no município, tendo pedido desligamento em janeiro de 2019, que só foi deferido pela coordenação de novembro de 2019.

Além dos pedidos para que a Justiça Federal determine à União, de forma imediata, que não reduza as vagas existentes e que lance novo edital apara contratação de médicos para o Amazonas, o MPF pediu também a condenação da União ao pagamento de indenização por danos morais coletivos no valor mínimo de R$ 1 milhão.

A ação tramita sob o nº 1011816-62.2021.4.01.3200, na 3ª Vara Federal no Amazonas, onde aguarda julgamento.

Com informações da assessoria

Leia Mais:

Leia mais Dia a Dia

Jogo entre Manaus e Tombense poderá ter 50% de público na Arena da Amazônia

Entre as obrigações para o jogo do Gavião do Norte está a aquisição do ingresso e acesso ao jogo somente aos que tenham completado o esquema vacinal contra a Covid-19.

25 de outubro de 2021

Segurança no interior do Amazonas vai ganhar reforço de 404 policiais

Os novos policiais foram aprovados no concurso de 2011 e convocados pelo governador Wilson Lima em 2020. Eles participaram da formatura nesta segunda-feira (25).

25 de outubro de 2021

Lourenço Braga é ampliada para reorganização do trânsito na Manaus Moderna

Os comerciantes irregulares que ficavam no entorno das feiras e do mercado municipal, retirados no primeiro dia da operação, estão recebendo atenção especial da prefeitura.

25 de outubro de 2021

Galeria Espírito Santo recebe famílias para atualizar cadastro habitacional

Atendimento é exclusivo para as pessoas que já têm cadastro habitacional. Quem não tem, deve esperar uma nova fase, que ainda será anunciada.

25 de outubro de 2021

Você sabia que a Bemol Farma realiza exames clínicos? Confira os preços

A Bemol Farma, além do teste para detecção da Covid-19, realiza outros exames laboratoriais que custam entre R$ 29,99 e R$ 99.

25 de outubro de 2021

‘Ballet das Águas’ marca início das festividades natalinas em Manaus

Além do chafariz, está previsto para a orla da Ponta Negra a instalação do maior presépio em movimento do Brasil, além da já tradicional árvore de Natal.

25 de outubro de 2021

Covid-19: Semsa dispõe de 39 pontos de vacinação até sexta-feira

Podem receber a 1ª dose pessoas da população a partir de 12 anos. A 2ª dose está disponível para todas as pessoas que estejam nos intervalos indicados pelas farmacêuticas.

25 de outubro de 2021

Edifício solar e centro de mídias será inaugurado hoje no Amazonas

Além do Edifício Solar, serão entregues 7 estações solarimétricas em Manaus, Benjamim Constant, Coari, Humaitá, Itacoatiara e Parintins.

25 de outubro de 2021