quinta-feira, 25 de julho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

Crédito Emergencial ajuda pequenos empresários a driblar a crise

Manter empreendimentos ativos, com capital de giro e em pleno funcionamento tem sido um desafio para pequenos empresários amazonenses.
COMPARTILHE
crédito emergencial

Como forma de minimizar os impactos econômicos causados pela pandemia da Covid-19, o Governo do Estado, por meio da Agência de Fomento do Amazonas (Afeam), vem apoiando profissionais autônomos, MEIs (microempreendedores individuais) e micro, pequenas e médias empresas com o Crédito Emergencial.

O programa, que impulsionou, entre abril e julho, cerca de R$ 3,6 mil negócios e garantiu a manutenção de mais de 13 mil empregos, já liberou R$ 50 milhões e vai disponibilizar, ainda, outros R$ 40 milhões até novembro.

Muito além de manter vivos os pequenos negócios, o Crédito Emergencial possibilita também o crescimento de setores, entre os quais o terciário, que engloba serviços e comércio de produtos, incluindo atividades de estivas em geral, venda de confecção, perfumaria, restaurantes e lanchonetes, salão de beleza e transporte rodoviário.

Crescimento

A costureira Regina Caster realizou, nessa quinta-feira, o quarto financiamento junto à Afeam. Com o recurso, a empreendedora está reformando, aos poucos, o espaço onde costura e já comemora o aumento na quantidade de clientes.

“A Afeam foi tudo para mim. Depois que eu conheci a Afeam, comecei a dar valor ao meu trabalho. Minha vida mudou depois que a Afeam apareceu”, enfatiza Regina, que utiliza três máquinas de costura para dar conta da demanda.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Expandir o negócio também é o objetivo do alfaiate Olavo Xavier, que concretizou o terceiro financiamento na Afeam. “Fui comprando tecido, linha, botão, tudo o que é preciso para uma confecção”, enfatizou o alfaiate.

Dessa maneira, Xavier, quer construir uma espécie de vitrine em frente à sua casa para expor seus produtos. Além disso, o pequeno empreendedor quer ampliar a mão de obra do ateliê.

Ao todo, o Governo do Amazonas destinou R$ 90 milhões para serem investidos na economia, por meio do Crédito Emergencial, com taxas de juros mais baixas e prazos flexíveis.

As condições especiais desta modalidade de financiamento foram prorrogadas até novembro.

Renegociação

De acordo com o diretor-presidente da Afeam, Marcos Vinícius Castro, é importante salientar também que não fizemos só o crédito, fizemos também a renegociação emergencial. Os clientes que a Afeam tinha e também foram impactados com a economia.

“A Afeam, sensível a essa causa, prorrogou também esse prazo de flexibilização, de renegociação, sem incluir o nome de ninguém no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) ou Serasa, sem mandar para cartório”, destacou o diretor-presidente da Afeam, Marcos Vinícius Castro.

Atendimento

Na capital, a Agência montou um processo especial de atendimento aos que já estão na última fase de acesso ao Crédito Emergencial. Sendo assim, como medida de segurança, os clientes são agendados, em horários alternados, para a assinatura de contrato e atendidos em uma área externa.

Para quem deseja obter o financiamento, todo o processo é feito exclusivamente pelo site da Afeam.

Devido ao novo Portal do Cliente Pessoa Jurídica, lançado em julho, com o objetivo de diminuir o prazo entre o pedido do crédito e a liberação do recurso na conta do cliente, as solicitações das empresas estão sendo atendidas de forma mais rápida.

Interior

Nos municípios, os interessados no Crédito Emergencial devem procurar as salas do Agente de Desenvolvimento, mantidas em parceria com as prefeituras municipais.

Podem procurar também, a Sala do Empreendedor, do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-AM), ou a unidade local do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

Além disso, a Afeam também possui seis Postos de Atendimento, no interior, localizados em Itacoatiara, Manacapuru, Manicoré, Parintins, Rio Preto da Eva e Tefé. Os endereços e números de contato podem ser encontrados no site Afeam.

Veja também:

COMPARTILHE