fbpx

quinta, 09 de dezembro de 2021

Representantes de 17 etnias se reúnem para discutir Educação Indígena

O encontro está sendo realizados no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, Distrito Industrial I, Av. Silves, 2222, bairro Crespo, zona sul de Manaus.

25 de novembro de 2021

Compartilhe

Indígenas (Foto Euzivaldo QueirozSeduc)

Com o tema “Os desafios da educação escolar indígena no contexto da pandemia do COVID-19”, representantes de 17 etnias participam da primeira Reunião do Conselho Estadual de Educação Escolar Indígena (Ceei-AM).

O evento, realizado com o apoio do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto, acontece até o dia 26 de novembro e tem como foco debater as demandas da educação indígena, além de proporcionar formação para os conselheiros no âmbito das políticas públicas frente às realidades no Amazonas.

O encontro está sendo realizados no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, Distrito Industrial I, Av. Silves, 2222, bairro Crespo, zona sul de Manaus.

Nesta quarta-feira (24), foi realizada a abertura oficial, com a presença da secretária Executiva Adjunta Pedagógica, Hellen Matute, a secretária Executiva Adjunta da Capital, Arlete Mendonça e a secretária Executiva Adjunta de Gestão, Rosalina Lobo.

Por determinação do governador Wilson Lima, a Secretaria de Educação é a responsável pela viabilização do evento. Desde 2019, a pasta tem trabalhado para atender às demandas no que diz respeito à Educação Escolar Indígena, de acordo com a secretária Kuka Chaves. “Temos avançado em questões que vão desde a contratação de profissionais até a aquisição de merenda escolar específica”, afirmou Chaves, que participou do evento de maneira virtual.

A secretária Executiva Adjunta Pedagógica, Hellen Matute, reiterou o papel fundamental do executivo estadual em viabilizar as ações voltadas à educação escolar indígena. “Nós estamos aqui para demonstrar nosso total apoio às necessidades de aprendizagem dos estudantes indígenas e, assim, propor novas estratégias que garantam o direito à educação que busca minimizar os impactos devastadores desta pandemia”, lembrou.

Avanços

Em sua fala, a secretária de Educação, Kuka Chaves, destacou que desde 2019, foram 1.058 profissionais convocados para atuação na Educação Indígena, por meio de Processo Seletivo Simplificado (PSS). Além disso, a continuidade do “Projeto Pirayawara”, que permite aumentar o número de comunidades e populações indígenas atendidas também se destaca.

Em relação ao Conselho, foi destacada a parceria, com a oferta de estrutura necessária, servidores capacitados e a logística para a execução das atividades.

Entre as conquistas nestes últimos 3 anos, destaca-se o modelo de alimentação escolar indígena, adotado na rede pública estadual do Amazonas, que é referência para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Desde o ano passado, o Governo do Amazonas tem realizado aquisições para a alimentação escolar indígena. O Amazonas é o único a cumprir a proposta, que envolve diversas instituições.

CEEI-AM

De acordo com o presidente do CEEI-AM, Jesiel Santos dos Santos, o encontro visa discutir e ter um novo olhar sobre a educação indígena. “Essa é a primeira vez que nos vemos após o ápice da Covid-19 no Amazonas. Então, este é um momento histórico, dialogar com os nossos parentes sobre as demandas que nós vivemos é muito importante, nossas especificidades e a nossa realidade precisa ser debatida. E assim, eu acredito que a ideia é essa, pois estamos no mesmo barco pela luta a favor da educação escolar indígena”, destacou Jesiel.

Representante da Região do Baixo Amazonas, o conselheiro Elizeu Hixkaryana, cita a importância de reunir indígenas de todas as calhas do Estado. “A gente busca se unir com os diferentes povos, tudo com um único objetivo, a melhoria da qualidade da educação escolar indígena do Amazonas. Logo, é muito importante para nós dos povos indígenas do Amazonas, ter as nossas demandas sendo ouvidas”, reiterou Elizeu da etnia Hixkaryana, localizada no município de Nhamundá.

O Conselho de Educação Escolar Indígena (Ceei) foi instituído por meio do Decreto Governamental nº 18.749, de 6/5/1998, como parte integrante da estrutura da Seduc-AM e institucionalizado no I Seminário de Educação Escolar Indígena no Estado, realizado em 1998.

Com informações da assessoria

Leia Mais:

Leia mais Dia a Dia

Festejos à Padroeira do Amazonas ocorrem durante toda a quarta-feira

Os festejos ocorrerão até às 17h com a realização de uma missa campal na avenida Eduardo Ribeiro, no Centro.

8 de dezembro de 2021

Prefeitura premia curtas do ‘Programa Ampliando Horizontes’

O objetivo do programa é estimular nos alunos a comunicação pela língua, estudada em curto espaço de tempo, usando diálogos, músicas, imagens e sons.

8 de dezembro de 2021

Prefeitura mantém serviços essenciais durante o feriado

Serviços relacionados à saúde e limpeza terão continuidade no feriado da Padroeira do Amazonas, Nossa Senhora da Conceição.

8 de dezembro de 2021

Governo anuncia suspensão de eventos com mais de 3 mil pessoas

Governo adotou medida após dados epidemiológicos indicarem aumento nos casos de Covid-19, e em função da variante Ômicron.

8 de dezembro de 2021

Acesso à praia da Ponta Negra é liberado no feriado desta quarta-feira

Agora, o complexo voltou a funcionar de segunda a domingo, de 9h às 17h (para banho no rio). Antes, o acesso à praia estava interditado aos finais de semana e feriados.

7 de dezembro de 2021

Famílias da calha do Juruá começam a receber Auxílio Estadual Permanente

A entrega do benefício é feita somente para o titular do cartão, mediante apresentação de documento de identificação com foto, coleta de assinatura e registro no app SASI.

7 de dezembro de 2021

FGV divulga resultado final do concurso para o Tribunal de Contas do AM

Mário de Mello, presidente do órgão, disse que o sentimento é de "dever cumprido" por ter conseguido renovar o quadro de colaboradores do TCE-AM.

7 de dezembro de 2021

Nova rede de água de Envira terá investimento de R$ 4,3 milhões

Prefeitura de Envira havia declarado estado de calamidade pública devido ao nível crítico de funcionamento e contaminação dos poços de captação na cidade.

7 de dezembro de 2021