fbpx

sábado, 24 de julho de 2021

Pesquisa da UFRJ indica que tucumã pode substituir óleo de Palma

Diferentemente da palma, cujo plantio tem causado destruição de florestas, não há riscos na exploração do tucumã, já que ela é uma palmeira de ocorrência espontânea.

17 de junho de 2021

Compartilhe

Tucumã também pode ser usado no lugar da gordura vegetal hidrogenada (Foto: Divulgação/Embrapa)

A brasileira Maria Fernanda dos Santos Mota, doutoranda da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), encontrou no tucumã, fruto da Amazônia, um substituto sustentável para o óleo de palma, cujo consumo excessivo tem causado destruição de florestas tropicais para expansão do seu plantio e ameaça à sobrevivência de populações de orangotangos no mundo. A pesquisa foi apresentada na conferência Amanhãs Desejáveis, da UFRJ, em maio passado.

Hoje (16), à Agência Brasil, Maria Fernanda explicou que o tucumã tem as mesmas propriedades do óleo de palma, também conhecido como óleo ou azeite de dendê. “Em uma determinada temperatura, esse óleo (de tucumã) fraciona, formando uma fração mais líquida, que a gente chama de oleína, e uma fração mais sólida denominada estearina.”, diz. Segundo ela, as frações mais pesadas são usadas como substituto da gordura vegetal hidrogenada.

Demanda crescente

Segundo relatou Maria Fernanda, quando descobriram todos os problemas gerados pela gordura vegetal hidrogenada os pesquisadores perceberam a propriedade do óleo de palma como substituto dessa gordura, inclusive pelo seu custo mais baixo. Só que, com isso, a demanda pelo ingrediente cresceu de forma exponencial e, desde os anos 2000, o óleo de palma é o mais consumido no mundo inteiro.

“Essa demanda tão grande por óleo de palma tem causado sérios problemas ambientais, principalmente na Malásia, Indonésia, porque eles estão destruindo as florestas tropicais para plantar mais palma, para ter mais óleo”. Esses dois países respondem por 87% do produto consumido no mundo todo.

O  Brasil é responsável por 0,5% de todo o óleo de palma extraído no planeta e suas plantações ficam quase todas na Bahia. Maria Fernanda diz que não há riscos na exploração do tucumã, já que ela é uma palmeira de ocorrência espontânea em áreas de regeneração natural.

A ideia não é substituir completamente o óleo de palma por óleo de tucumã, mas ter uma outra alternativa, até para produtos com apelo mais sustentável e funcional, porque o óleo de tucumã é mais rico em ácidos graxos poli-insaturados, quando comparado ao óleo de palma. “Então, ele tem também um benefício à saúde”.

Amazônia

O plantio mais forte do tucumã no Brasil é encontrado na região amazônica, no sistema de agrofloresta. “São pequenos produtores que plantam, extraem e vendem o tucumã e estão organizados em cooperativas, na Amazônia. O sistema é bem organizado e ajuda a prevenir a retirada de floresta, porque você torna o fruto algo rentável em comparação com algumas outras coisas que precisam da retirada da floresta local, algumas até irregulares”, afirmou.

A parte da pesquisa de fracionamento do óleo de tucumã não refinado foi realizada na UFRJ, enquanto a parte de análise das frações foi desenvolvida em laboratório especializado da Monash University, na Austrália, dentro do Programa Institucional de Internacionalização (PrInt), criado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), da qual Maria Fernanda participou. Outra pesquisa, em desenvolvimento na UFRJ, busca a utilização do tucumã para a fabricação de biscoitos. Maria Fernanda considera que o fracionamento do óleo de tucumã em uma cadeia parecida com a do óleo de palma constitui um primeiro passo para que novas pesquisas mostrem como utilizá-lo em comidas industrializadas.

Propriedades

O óleo de tucumã ainda é pouco usado pela indústria de alimentos no Brasil. Ele é mais usado na área de cosméticos, principalmente a manteiga do tucumã. Há pesquisas também para sua utilização visando a fabricação de biodiesel. “Eu enxergo um óleo que é rico em propriedades funcionais. É rico em carotenoides, em antioxidantes, rico nas chamadas gorduras boas. Quando a gente vê um óleo assim, a gente pensa mais em produção de alimentos do que em biocombustíveis”, assegurou Maria Fernanda.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais Dia a Dia

Hortaliças cultivadas no sistema prisional são doadas a instituições

Os produtos orgânicos são cultivados na horta do Centro de Detenção Provisória de Manaus 2 e foram doados a instituições de acolhimento.

23 de julho de 2021

Fiscalização do combustível de veículos da Semed em Humaitá é redobrada

A partir de agora, toda tentativa de abastecimento ilegal deve ser comunicada aos órgãos de controle, a fim de evitar fornecimento em desacordo com o solicitado.

23 de julho de 2021

Cadastro do Auxílio Estadual para trabalhadores da cultura é reaberto

O novo prazo foi determinado em decreto, que também simplifica as regras para o acesso. O valor do benefício é de R$ 600.

23 de julho de 2021

Negligenciada por Arthur, cratera na avenida Brasil será reparada

Segundo o vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, o problema na via é antigo e foi negligenciado pela última administração, prejudicando uma faixa da pista.

23 de julho de 2021

Prefeitura e gestores tratam sobre a volta das aulas 100% presenciais

A meta da Prefeitura de Manaus é que os alunos do 5º ao 9º ano do ensino fundamental voltem a ter aulas 100% presenciais ainda este ano.

23 de julho de 2021

UBS Luiz Montenegro é entregue em novo endereço no bairro Planalto

Conforme a Prefeitura de Manaus, o endereço original da UBS é no bairro Lírio do Vale, mas o imóvel onde funcionava a unidade de saúde enfrenta problemas estruturais.

23 de julho de 2021

MPF-AM recomenda que 30% da merenda escolar saia da agricultura familiar

O MPF estabelece prazo de 15 dias, contados a partir do recebimento do documento, para prestação das informações sobre as medidas recomendadas.

23 de julho de 2021

UEA ganha prêmio internacional por balsa com recursos anti-Covid

Projeto 'Arapaima Gigas', desenvolvido pelo grupo de estudantes, teria capacidade para levar 300 pessoas de Manaus a Tefé, num percurso de 20 horas.

22 de julho de 2021