fbpx

quarta, 28 de julho de 2021

Judicialização da política não é interferência, avaliam analistas

O cientista político Helso Ribeiro explica que, uma vez provocada, a Justiça tem a obrigação de se manifestar. A decisão final, no entanto, pode desagradar alguns grupos.

7 de dezembro de 2020

Compartilhe

Coube à Justiça decidir, em duas situações, sobre o futuro de eleições em Casas Legislativas nesta semana (Foto: Reprodução)

Na última semana, coube à Justiça decidir, em duas situações, sobre o futuro de eleições em Casas Legislativas.

A eleição relâmpago da nova mesa diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) foi parar nos Tribunais.

Uma decisão desembargador Wellington José Araújo suspendeu, no último sábado (5), o processo que elegeu o deputado Roberto Cidade (PV) novo presidente da Casa.

No mesmo dia, a procuradoria da Aleam entrou com ação no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) pedindo a suspensão do mandado de segurança que anulou os efeitos da PEC que adiantou a votação para a formação da nova mesa diretora do órgão.

Da mesma forma, no âmbito nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, neste domingo (6), que os atuais presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP); não podem disputar a reeleição na mesma legislatura.

Esta cada mais frequente influência da Justiça dentro dos poderes executivo e legislativo é conhecida como judicialização da política.

Para o analista político Helso Ribeiro, a participação da Justiça nas decisões importantes de outros poderes não configura interferência, uma vez que o poder judiciário só age quando provocado.

Justiça não age por ofício

Sendo assim, uma vez provocada a Justiça tem a obrigação de se manifestar. A decisão, no entanto, pode desagradar alguns grupos, que tendem a acusar o poder de interferir no outro.

“As pessoas às vezes confundem atribuições com interferência. Tanto em nível federal quanto a nível estadual, o poder judiciário foi provocado. O desembargador Wellington não agiu de ofício. Quem se sente prejudicado tem o direito de procurar a justiça e a justiça é obrigada a se manifestar. A decisão sempre vai agradar a algumas pessoas e ofender a outras. Quem está mais distante desse processo costuma achar que é intromissão”, resumiu Helso.

De fato, a decisão do desembargador Wellington José Araújo que suspendeu a eleição da mesa diretora da Aleam atendeu a Mandato de Segurança impetrado pelos parlamentares Alessandra Campêlo (MDB), Belarmino Lins (PP) e Saullo Vianna (PTB), contra os atos ilegais da chapa vencedora da eleição.

“No âmbito nacional foi o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) que entrou com a ação e o Supremo decidiu por 6 a 5, para você ver como o direito não é exato”, finalizou o analista.

Excesso de interpretação pode atrapalhar

Já o cientista político, Breno Rodrigo Messias, explica que a judicialização da política – ou a politização da justiça – ganha força no Brasil em especial após a promulgação da Constituição de 1988.

Ele reforça o caráter constitucional da prática, mas destaca algumas armadilhas que podem macular todo o processo.

Na opinião de Breno, há um excesso de interpretação às vezes atrapalha a condução do processo legal e, a consequência direta disso é a insegurança jurídica.

“O grande problema é que esses atores do judiciário tendem a, não só aplicar a Lei, mas também interpretá-la. Aí já é uma questão de fundo político-ideológico. O juízes brasileiros se veem, em muitas vezes tentando corrigir a própria constituição. Eles tiram a letra da lei e dão uma interpretação alternativa ao texto constitucional. Esse excesso de hermenêutica jurídica me parece um problema grave”, acredita o cientista.

Reportagem: Lucas Raposo

Leia mais:

Leia mais Dia a Dia

Mutirão atende famílias de PcDs neste sábado; veja lista dos serviços oferecidos

Ação ocorre das 8h ao meio-dia no Núcleo PcD da Sejusc, localizado no bairro Adrianópolis, oferecendo serviços como inclusão na Tarifa Social da Amazonas Energia.

28 de julho de 2021

Curso de especialização para motorista de ambulância terá nova turma no Detran-AM

Curso abrange aulas teóricas e práticas com questões relativas a primeiros socorros, cuidados especiais, relacionamento interpessoal e atribuições que o condutor deve ter.

28 de julho de 2021

Ministério homologa tombamento do Centro Histórico de Manaus

O espaço abrange uma área entre a orla do Rio Negro e o entorno do Teatro Amazonas, de forma a manter aspectos simbólicos e densos de realizações artístico-construtivas.

28 de julho de 2021

Em menos de 4 anos, Praça da Matriz pode voltar a ser revitalizada

A proposta prevê a retirada do terminal que existe hoje, que apresenta diversos problemas operacionais e de manutenção, tendo ainda uma tipologia menos moderna e integrada

27 de julho de 2021

Secretaria de Educação abre matrículas para novos alunos da EJA

Os candidatos à modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) devem ficar atentos ao procedimento de matrícula, que será feito de maneira on-line e presencial.

27 de julho de 2021

No Dia do Motociclista, Detran-AM alerta sobre cuidados no trânsito

Ao mesmo tempo em que oferecem praticidade e agilidade, as motos também exigem um comportamento em que a atenção e o respeito às regras de trânsito devem ser prioridades.

27 de julho de 2021

CEL Ninimbergue Guerra será entregue reformado nesta sexta-feira

O CEL Ninimbergue Guerra recebeu melhorias como pintura interna e externa, revitalização da quadra poliesportiva, manutenção do placar, reforma dos banheiros e vestiários.

27 de julho de 2021

Mutirão de entrega de quase 4 mil RGs nos PACs acontece sábado

Para receber o RG, é necessário que o usuário se dirija ao PAC onde solicitou a emissão do documento e apresente um comprovante de identificação.

26 de julho de 2021