fbpx

terça, 26 de janeiro de 2021

Arthur exonera Bisneto e Elisabeth Valeiko de cargos na prefeitura

Em edição extra do Diário Oficial do Município de Manaus de sexta-feira foi publicada a exoneração do filho e da esposa do prefeito de Manaus Arthur Neto

14 de dezembro de 2020

Compartilhe

A esposa e o filho do prefeito Arthur Neto eram titulares de secretarias municipais (Foto: Divulgação)

O prefeito de Manaus Arthur Neto (PSDB) exonerou o filho, o ex-deputado federal Arthur Bisneto e a primeira-dama do município, Elisabeth Valeiko da chefia da Casa Civil e da presidência do Fundo Manaus Solidária, respectivamente.

O decreto de exoneração, a contar de 1º janeiro de 2021, foi publicado em edição extra do DOM (Diário Oficial do Município de Manaus) de sexta-feira, 11.

O tucano nomeou o filho chefe da Casa Civil em 1º de setembro de 2017. Na ocasião, Arthur justificou que tomou a decisão “consciente” e a questão constitucional, em relação a prática de nepotismo, era “tudo uma tolice enorme”.

Antes, em maio, Arthur nomeou a esposa, Elisabeth Valeiko, para presidência do Fundo, com o status de secretária municipal e remuneração bruta de R$ 15 mil, segundo Portal da Transparência do Município.

Em junho de 2017, o Ministério Público de Contas do Amazonas emitiu recomendação ao prefeito de Manaus para que ele evitasse a prática de nepotismo, proibido pela Súmula 13 do Supremo Tribunal Federal, por meio da nomeação de “cônjuge, companheiro ou parente” em cargos de confiança ou comissionado dentro da administração municipal.

Na época, Arthur argumentou que não há nepotismo quando a natureza do cargo é política.

Eleição

Em abril de 2018, Bisneto entregou o cargo e disputou o Governo do Estado como vice na chapa do senador Omar Aziz (PSD), que ficou em terceiro lugar.

Após o pleito, ele reassumiu o comando da Casa Civil. Em 2019, o Ministério Público do Amazonas instaurou inquérito civil para investigar possível ato de nepotismo, praticado pelo tucano ao nomear o filho.

Na edição extra do DOM consta a exoneração de Luiz Alberto Carijó do cargo de secretário extraordinário; do procurador Rafael Albuquerque da chefia da Procuradoria Geral do Município; e Antônio Brandão da chefia da Casa Militar.

Entre os secretários da gestão tucana exonerados estão: Marcelo Magaldi (da Secretaria Municipal de Saúde), Kátia Schweickardt (da Secretaria Municipal de Educação), Lucas Bandiera (da Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão), Kellen Lopes (da Secretaria Municipal de Comunicação); Keltom Aguiar (da Secretaria Municipal de Infraestrutura).

Veja mais notícias

Mais de 83 mil EPIs são enviados para o interior do Amazonas

Ambas as cidades contaram ainda com 1.350 testes rápidos para detecção da Covid-19, além de medicamentos e materiais hospitalares, encaminhados nesse domingo (25).

25 de janeiro de 2021

Detran-AM suspende todas as atividades presenciais até final de janeiro

Nesse período, somente a fiscalização de trânsito, a perícia de acidentes de trânsito e os serviços de liberação de veículos removidos irão funcionar.

25 de janeiro de 2021

Veículos que chegam a Manaus passam por sanitização

Como mais uma medida para conter o avanço da Covid-19 em Manaus, a Prefeitura instalou barreiras de sanitização na AM-010, BR-174 e na ponte Rio Negro.

25 de janeiro de 2021

Parintins deve retomar aulas remotas na rede municipal

O programa “Aprendendo em casa nas ondas do rádio” foi implantado em abril, para não deixar de assistir os alunos na pandemia da Covid-19.

24 de janeiro de 2021

Central Integrada de Fiscalização vistoria sete estabelecimentos

Três bares foram flagrados funcionando, mas sem aglomeração, e os proprietários foram orientados a fechar o local.

23 de janeiro de 2021

Governo alinha critérios de vacinação dos trabalhadores da saúde

A expectativa é de que a imunização contra Covid-19 nos hospitais retorne ainda nesta sexta-feira (22) em 27 unidades, após a validação das propostas apresentadas.

22 de janeiro de 2021

Polícia prende 63 pessoas em bares clandestinos na zona Leste

A prisão aconteceu em cumprimento ao decreto governamental que proíbe a circulação e aglomeração de pessoas das 19h às 6h, devido à pandemia da Covid-19.

22 de janeiro de 2021

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

Medida considera “que a persistência e o agravamento da pandemia da Covid-19 no país impõem aos eleitores que não compareceram à votação nas eleições".

22 de janeiro de 2021