segunda-feira, 24 de junho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

ECONOMIA

Vou receber 13º salário: o que fazer com o dinheiro extra?

Fim de ano se aproxima e com ele chega o que muitos trabalhadores aguardam: o pagamento do 13º salário.
COMPARTILHE
13° salário
Consultora de negócios do Sicredi dá dicas sobre como aproveitar melhor o benefício, que neste fim de ano contempla cerca de 87,7 milhões de brasileiros. (Foto: Divulgação)

Fim de ano se aproxima e com ele chega o que muitos trabalhadores aguardam: o pagamento do 13º salário. Em 2023, cerca de 87,7 milhões de brasileiros receberão o benefício, que tem o potencial de injetar aproximadamente R$ 291 bilhões na economia, montante que representa 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do País, conforme levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Aos trabalhadores que ainda estão pensando sobre o que fazer com essa quantia, a consultora de negócios do Sicredi, Djully Mantoani adianta que este é um bom momento para quitar dívidas e se organizar para o próximo ano.

Segundo o Dieese, dos R$ 291 bilhões que serão pagos, os trabalhadores dos estados das regiões Centro-Oeste e Norte do país receberão 8,8% e 5%, respectivamente. Considerado um pagamento extra, o 13º é equivalente à média recebida em um mês trabalhado. Este ano, o valor médio do bônus que será recebido pelos brasileiros é de R$ 3.057.

E como gerenciar este dinheiro extra? Djully Mantoani aconselha: se existe alguma conta em atraso, o ideal é procurar uma renegociação ou liquidação da dívida para que a situação financeira esteja em dia no início do novo ano.

“Sempre é necessário compreender como está o seu momento atual e saúde financeira e a partir disso entender como o recurso extra pode te auxiliar”, diz ao exemplificar dizendo que a pessoa pode imaginar se o dinheiro extra consegue liquidar alguma dívida em aberto, se pode servir como um valor inicial para uma renegociação.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

“Início de ano comumente temos diversas despesas ‘extras’, como impostos municipais, IPVA e despesas escolares, e caso não tenha se programado para custear essas contas, o recurso proveniente do 13º salário pode ser um grande auxílio”, pontua.

Para aqueles que já estão com a vida financeira organizada, a especialista afirma que é válido utilizar o valor para iniciar ou ampliar uma poupança, fazer investimentos, para a realização de desejos e sonhos ou, até mesmo, destiná-lo aos possíveis gastos extras que surgem com as festividades de fim de ano.

“Para quem não ainda não começou a investir e tem esse interesse este é um excelente momento. Neste caso é sempre indicado começar com um produto que traga uma maior liquidez. Caso já seja um investidor, pode utilizar para diversificar um pouco mais sua carteira.”

“Lembrando que sempre indicamos realizar a sua API (análise de perfil do investidor) e conversar com o seu gerente do Sicredi para que ele possa indicar o melhor produto para o seu momento de vida”, enfatiza Djully.

A consultora de negócios alerta sobre situações que não devem ocorrer. “Não é saudável para a vida financeira contar com o recebimento deste valor para fazer dívidas/compras desde o início do ano. Isso porque, por mais que seja um benefício que milhares de pessoas têm direito, podem ocorrer diversos imprevistos que impedem o recebimento desse valor, como uma demissão, por exemplo”, aconselha a consultora.

Os brasileiros que são terceirizados, que são microempreendedores ou trabalhadores informais, também podem se organizar para ter um salário extra no fim do ano.

“O ideal nesse caso é se preparar durante o ano anterior, ir reservando um volume de recurso a cada mês para utilizar nesse período que costuma ter uma maior necessidade de recursos. Ao se organizar dessa forma, a pessoa consegue ter um menor impacto no orçamento do início do ano.”

“Caso não tenha se programado para este momento, vale verificar quais as opções de parcelamento e os descontos que existem, e assim fazer a melhor opção para o seu momento financeiro”, finaliza Djully.

Leia mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COMPARTILHE