segunda-feira, 24 de junho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

UB PP e REPUBLICANOS

PP, Republicanos e União Brasil podem compor 'mega federação' para 2026

Ciro Nogueira diz que união entre o PP, Republicanos e UB cria força partidária de mais de 165 parlamentares e fundo partidário de R$ 1,5 bi
COMPARTILHE
Federação partidária,União Brasil,Republicanos,PP,Ciro Nogueira
A medida prevê que o roubo de dispositivo eletrônico ou informático (celular, por exemplo), tenha uma pena de 4 a 10 anos. (Foto: Divulgação)

O presidente do Partido Progressista, senador Ciro Nogueira (PP/PI), afirmou, no início desta semana, que está praticamente selada a Federação que envolverá, ainda, o partido Republicanos, ligado à Igreja Universal do Reino de Deus.

Ciro Nogueira ainda levantou a chance da nova federação contar ainda com o União Brasil, que passou em fevereiro por uma troca de comando turbulenta, com a saída da presidência do deputado federal Luciano Bivar (UB/PE) e a entrada do advogado Antônio Rueda.

Com os três partidos juntos surgiria um superbloco parlamentar com 17 senadores e 150 deputados federais, o maior da casa, superando o PL, do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tem 95 deputados.

O União é atualmente o maior partido desta possível Federação, com 59 deputados federais, dentre eles Pauderney Avelino e Saullo Vianna, da bancada do Amazonas.

O PP tem 50 deputados, mas nenhum da bancada amazonense. Já o Republicanos, com 41 deputados federais, tem os amazonenses Silas Câmara e Adail Filho na legenda.

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Com essa força, a Federação União, PP e Republicanos terá o controle de um fundo eleitoral de R$ 1,369 bilhão.

A força da nova Federação no Amazonas

O União Brasil é o partido mais forte dos três que podem formar a nova Federação Partidária. Conta com o governador Wilson Lima, e o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), deputado Roberto Cidade. Além, dos dois deputados federais.

Na Aleam, além de Cidade, o UB tem a deputada Joana Darc, Adjuto Afonso, George Lins e Mário Cesar Filho e com eles forma a maior bancada da Casa. Na Câmara Municipal de Manaus, o partido de Wilson Lima tem os vereadores Diego Afonso, Everton Assis e Professora Jacqueline, mas é possível que a bancada aumente até o fim da janela partidária.

Trajetórias

O Progressista no Amazonas foi, durante duas décadas, a casa de fortes grupos políticos do Estado: o principal deles formado pelo ex-vice-governador Francisco Garcia e a filha dele, a ex-deputada federal Rebecca Garcia. Atualmente, segue em reformulação sob o comando do delegado Rodrigo de Sá Barbosa, diretor do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) e muito próximo do governador Wilson Lima.

O Republicanos vive trajetória diferente, ampliando espaços de poder e ocupando cada vez mais cargos. Sucessor do PRB, partido fundado pelo pastor Edir Macedo, líder da Igreja Universal, o partido mudou de nome e abriga dois grupos fortes, os evangélicos e a família Pinheiro, de Coari.

Embalado pela bancada evangélica em aliança com os Pinheiros, o Republicanos elegeu dois deputados federais, um dos mais antigos da Casa, Silas Câmara, e o novato Adail Filho, ex-prefeito do município do médio Solimões e herdeiro do patriarca da família, o também ex-prefeito Adail Pinheiro.

Na Assembleia o desemprenho também foi acima da média e com a mesma característica, o partido elegeu o deputado João Luiz, ligado aos evangélicos, e Doutora Mayara Pinheiro, filha do patriarca Adail Pinheiro.

Na Câmara Municipal de Manaus, o Republicanos tinha bancada formada pelo Capitão Carpê, João Carlos e Márcio Tavares. O PP tem Jander Lobato. Esse quadro, contudo, pode mudar nas próximas horas também em decorrência do fim da janela de transferência partidária.

O que são as federações partidárias

As federações partidárias no Brasil são uma nova forma de organização e estratégia política dos partidos. Instituídas pela Lei nº 14.208, de 28 de setembro de 2021, elas permitem que partidos políticos se unam sem perder as próprias identidades, atuando como uma única entidade durante o período de, no mínimo, quatro anos.

No Brasil existem até o momento três federações partidárias registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE): Federação Brasil da Esperança (Fe Brasil), que inclui o PT, PC do B, e PV; Federação PSDB/Cidadania e Federação PSOL/REDE.

Leia mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COMPARTILHE