fbpx

segunda, 08 de agosto de 2022

‘Verdade vencerá a covardia de aproveitadores’, diz Campêlo em apoio a Wilson

A "verdade vencerá a covardia dos aproveitadores políticos"; escreveu Marcellus Campêlo, que ocupou a SES-AM de agosto do ano passado a junho deste ano.

21 de setembro de 2021

Compartilhe

Marcellus Campelo chegou a ser preso em um dos desdobramentos da operação Sangria (Foto: Divulgação)

O ex-secretário de Estado de Saúde (SES-AM), Marcellus Campêlo, prestou solidariedade ao governador Wilson Lima (PSC) após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) tê-lo classificado como réu pela compra de respiradores supostamente superfaturados pela empresa F.J.A.P, conhecida como Vineria Adega.

Marcellus comentou numa publicação que o governador se declara inocente das acusações do Ministério Público Federal, acatada pelo STJ, e que a “verdade vencerá a covardia dos aproveitadores políticos”.

“(…) Ficaram no conforto dos seus lares enquanto líderes como o Governador Wilson Lima e equipe colocaram suas vidas diuturnamente em risco para salvar outras tantas vidas que precisavam de um governo sempre presente. Deus saberá fazer a justiça necessária e colocar a Verdade sempre acima de tudo. Força, Governador! Estamos com o senhor!”, escreveu o atual coordenador da Unidade Gestora de Projetos Especiais do Governo do Amazonas.

Ontem, o governador Wilson Lima, o vice-governador Carlos Alberto Almeida (PSDB) e mais 14 pessoas foram tornados réus no âmbito da operação Sangria pela Corte Especial do Superior do STJ. Eles foram denunciados pelos crimes de organização criminosa, dispensa de licitação sem observância das formalidades legais, fraude à licitação, aumento abusivo de preço, sobrepreço e peculato.

Marcellus Campêlo ocupou a SES-AM de agosto do ano passado a junho deste ano. Chegou a ser preso durante uma operação da Polícia Federal (PF) durante um desdobramento da Sangria e foi libertado quando o prazo para a sua prisão temporária expirou. O então secretário pediu demissão no dia 8 de junho.

Campêlo assumiu a pasta depois da prisão da ex-secretária Simone Papaiz, que foi retirada da lista de réus do STJ por falta de provas. A Corte decidiu que existe falta de prova contra ela. O MPF apresentou apenas um e-mail como prova da participação de Papaiz na suposta organização criminosa.

Texto: Jefferson Ramos

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Wilson Lima se reúne com agricultores no Ramal do Brasileirinho

Governador conversou com cerca de 1 mil agricultores do ramal do Brasileirinho, na zona rural de Manaus, onde ouviu demandas do setor primário do Estado.

7 de agosto de 2022

Multidão invade ruas de Maués em apoio à comitiva do PSD e aliados

A comitiva percorreu ruas do município e foi seguida por uma multidão de apoiadores que prestigiaram o lançamento da candidatura de Sidney Leite à reeleição na Câmara.

7 de agosto de 2022

Bolsonaro paga R$ 89 milhões em campanhas que elogiam sua gestão

Três campanhas institucionais são as mais caras pagas pelo Governo Bolsonaro. 60% do valor gasto até o momento é com ênfase nas redes sociais.

7 de agosto de 2022

Campanha de Lula quer Petrobras fora de privatização e ações da Eletrobras

Proposta da campanha de Lula inclui ainda a fusão da Petrobras com a Eletrobras criando uma estatal da energia. Assessores veem erros nas privatizações de Bolsonaro.

7 de agosto de 2022

Ambev pode sair do Amazonas e causar desemprego, alerta senador

Omar Aziz alertou que decretos de redução do IPI de concentrados ameaçam empregos em Maués, pois a Ambev, que compra guaraná do município; pode sair do Amazonas.

7 de agosto de 2022

Michelle Bolsonaro diz em culto que Planalto já foi ‘consagrado a demônios’

Michelle Bolsonaro reforça aspecto evangélico da campanha de Bolsonaro e tenta diminuir rejeição do presidente junto ao eleitorado das mulheres.

7 de agosto de 2022

1º debate com candidatos ao Governo do AM acontece neste domingo

Band Amazonas mantém tradição com debate e com o formato, anunciando o fim do botão de tempo que era administrado pelos próprios candidatos.

7 de agosto de 2022

Mais de 23 milhões de eleitores estão aptos a votar voluntariamente

A Constituição Federal estabelece o voto facultativo, ou seja, opcional, para os jovens de 16 e 17 anos de idade; pessoas com 70 anos ou mais e também para analfabetos.

7 de agosto de 2022