fbpx

domingo, 24 de outubro de 2021

Senadores descartam aprovação do novo Código Eleitoral até esta sexta-feira

Está sexta-feira é o prazo final para que projeto de lei complementar que criou o novo Código Eleitoral possa valer já para a eleição geral do próximo ano.

30 de setembro de 2021

Compartilhe

Eleições do próximo ano terão novas regras estabelecidas em uma emenda constitucional e duas leis ordinárias. (Foto: Reprodução)

Os senadores do Amazonas descartaram, em contato com o RealTime1, nesta quinta-feira (30), a possibilidade do Senado Federal analisar e votar o projeto de lei complementar 112/2021 que estabelece o novo Código Eleitoral, consolidando leis federais e resoluções e normas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O projeto foi aprovado na Câmara Federal, mas chegou há apenas uma semana ao senado.

Sem a análise do novo Código Eleitoral, restará aos partidos observar as regras criadas por outras legislações, aprovadas nas duas últimas semanas e consolidadas na chamada minirreforma eleitoral. Para se ter uma ideia da diferença, o novo código concentra quase 900 artigos, o que é invocado pelos senadores para não ser votado até esta sexta-feira.

“Não dá para analisar uma mudança deste porte em poucos dias”, afirmou o senador Plínio Valério (PSDB). “São assuntos de muita profundidade que não podemos analisar assim de maneira açodada. Esse novo Código Eleitoral não será votado!”, completou o senador Omar Aziz (PSD).

Ao contrário da amplitude do novo Código Eleitoral, a minirreforma envolve uma emenda constitucional, a 111/2021, e dois projetos de lei, o de número 783/2021 – pendente da sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) – e o de número 14.208/2021.

A emenda 111/2021 estabelece, entre outras coisas de menor impacto, a contagem em dobro dos votos dados às mulheres e candidatos negros (nas eleições de 2022 a 2030) para fins de cálculo de distribuição dos recursos do Fundo Partidário e Fundo Eleitoral, cujos valores também serão definidos no novo Código Eleitoral. Prevê ainda a mudança nas datas de posse do presidente, que a partir de 2027 acontecerá no dia 5 de janeiro, e dos governadores, estabelecida para o dia 6 de janeiro.

A lei 783/2021 estabelece o número máximo de candidatos por vaga nos parlamentos e o aproveitamento das sobras dos votos que formam o quociente eleitoral. A regra geral para o número máximo de candidaturas pelos partidos estabelece que um Estado, como o Amazonas, que tem oito vagas na Câmara Federal, poderá ter 12 candidatos. Na Assembleia Legislativa, que tem 24 vagas de deputados, cada partido poderá lançar 32 candidatos.

Sobre as sobras, a nova lei estabelece que só terão direito de disputá-las todo partido que alcançar 80% do quociente eleitoral. Atualmente o partido tem de alcançar 70% para ter direito a disputá-las. Estes assuntos também constam do projeto de lei complementar que estabelece o novo Código Eleitoral.

A lei 14.208/2021 estabelece a possibilidade dos partidos se organizarem em federações. A lei havia sido vetada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas o veto foi derrubado e a regra valerá para a eleição do próximo ano. A criação das federações é uma forma de manter o acesso de pequenos partidos aos Fundos Partidário e Eleitoral. É também uma resposta ao fim das coligações partidárias, instrumento que também é alvo de análise do novo Código Eleitoral.

Uma federação partidária, ao contrário das coligações, não poderão se desfazer após as eleições e os eleitos pela federação terão de permanecer nelas por todo o período da legislatura (quatro anos). Quem se desfiliar do partido integrante da federação poderá ser acusado de infidelidade partidária e perder o mandato obtido.

Texto: Gerson Severo Dantas

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Reta final da CPI tem definição de indiciados, votação e encaminhamento de Relatório

Como não possui poder de punição, último ato da CPI será o encaminhamento do Relatório Final aprovado aos órgãos responsáveis por apresentarem denúncias.

23 de outubro de 2021

Gilberto Kassab anuncia Rodrigo Pacheco como candidato a presidente

O presidente Nacional do PSD revelou, neste sábado, que o candidato do partido à presidência, no próximo ano, será o senador Rodrigo Pacheco, presidente do Senado.

23 de outubro de 2021

Wilson Lima e David Almeida assinam convênios de mais de meio bilhão

O governador Wilson Lima e o prefeito David Almeida assinarão, amanhã, uma série de convênios que representarão um presente para a cidade que fará 352 anos neste domingo.

23 de outubro de 2021

STF realiza audiência para discutir a criação do juiz de garantias

Juiz de garantias vai atuar fiscalizando a legalidade dos atos praticados pelo juiz da instrução criminal, o que gerou uma dúvida sobre a constitucionalidade desta novidade.

23 de outubro de 2021

Congresso abre prazo para apresentação de emendas a LOA da União

Lei Orçamentária Anual (LOA) do Governo Federal reservou R$ 16,2 bilhões para os parlamentares apresentarem emendas com execução obrigatória no próximo ano.

23 de outubro de 2021

Improbidade administrativa um problema recorrente das prefeituras

Para analista político, irregularidades na prestação de contas pode ser fruto da falta de pessoal, dificuldades dos servidores e até mesmo má fé com a causa pública.

23 de outubro de 2021

“Baixo orçamento é oriundo de Arthur Neto”, culpa Antônio Stroski

Titular da secretaria de meio ambiente disse que política de "encolhimento" de antecessor foi responsável pelo atual orçamento de R$ 17,1 milhões em 2022.

23 de outubro de 2021

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021