fbpx

quinta, 21 de janeiro de 2021

Plenário da Aleam adia a votação de projetos de lei mais uma vez

Todos os projetos de lei que estavam em pauta nesta terça-feira, somente devem ser apreciados na sessão de amanhã. A assessoria da Aleam alegou falta de quórum.

18 de agosto de 2020

Compartilhe

Com o plenário vazio, votação é adiada. (Foto: Izaías Godinho)

Mais uma vez a votação de projetos de lei da foi adiada para esta quarta-feira (19) na Assembleia do Amazonas (Aleam). O adiamento foi confirmado pela diretoria de Comunicação da Casa, mas não chegou a ser explicado de forma convincente.  

Segundo a assessoria da Aleam, o adiamento aconteceu porque, normalmente, as votações ocorrem às quartas-feiras. A ideia foi restabelecer este calendário para não interferir na rotina dos parlamentares.

Sem falar que a pauta prevista para esta terça-feira era das mais extensas. Antes do início dos trabalhos, foi distribuída a apreciação da pauta que totalizava 27 itens para a deliberação e votação.

Todos foram reagendados para esta quarta-feira, pela segunda-vez. Na última quinta-feira (13), a maioria dos parlamentares não retornou ao plenário após o intervalo para o almoço, empurrando a votação de 31 projetos de lei.

A continuidade da extensa pauta de votações que chegou a ser anunciada na tribuna pela vice-presidente da Casa, Alessandra Campêlo (MDB). Para que haja votação é necessário que estejam presentes no mínimo 13 deputados na sessão plenária.

Somente por volta das 10 horas desta terça-feira, apenas nove parlamentares haviam registrado presença no plenário e quatro deputados estavam em homeoffice. Com isso, foi alcançado o quórum, mas o adiamento já havia sido decretado.

Os deputados que registraram presença na casa foram Abdala Fraxe (Pode); Adjuto Afonso (PDT); Alessandra Campêlo (MDB); Cabo Maciel (PL); Delegado Péricles (PSL); Dermilson Chagas (Pode); Dr. Gomes (PSC); Roberto Cidade (PV); e Saullo Vianna (PV).

Em homeoffice, estiveram presentes os deputados estaduais Serafim Corrêa (PSB); Belarmino Lins (PP); Dra. Mayara (PP); e Álvaro Campêlo (PP).

Após esse horário, os deputados Carlinhos Bessa (PV) e Joana Darc (PL) também registraram suas presenças.

Veja mais notícias

Covid: 5 mil novos casos em 24 horas, mais um triste recorde no AM

Essa e outras notícias na coluna TEMPO REAL do portal RealTime1: Informação com credibilidade sobre política e os últimos acontecimentos do Amazonas.

21 de janeiro de 2021

Programa Mais Médicos tem mais de 150 inscritos para atuar em Manaus

Programa recebeu 153 inscrições de interessados em atuar no combate à Covid-19 na capital. Com o total de inscritos, todas as 108 vagas disponíveis poderão ser ocupadas.

21 de janeiro de 2021

Vacinação suspensa: campanha vai passar por reformulação em Manaus

Semsa se comprometeu em suspender as vacinas nesta quinta-feira para que seja feita a reprogramação da campanha. Segunda dose para profissionais já vacinados está garantida.

21 de janeiro de 2021

Cientista fala sobre atraso de insumos: ‘incompetência diplomática’

Emocionada ao receber premiação, Margareth Dalcomo fez um desabafo sobre a escassez de vacinas contra a Covid-19 no Brasil. Para ela é "injustificável" não ter imunizantes.

21 de janeiro de 2021

Portugueses vão enviar 50 mil Euros para hospital em Manaus

A ajuda chega num dos momentos mais desafiantes da pandemia de em Manaus, que enfrenta uma devastadora segunda onda de incidências de casos de covid-19.

21 de janeiro de 2021

É golpe: MS alerta sobre falso agendamento de vacinação contra covid-19

De acordo com o Ministério da Saúde, não existe nenhum agendamento, via telefone, do sendo realizado e "jamais pede esse tipo de confirmação de dados".

21 de janeiro de 2021

David quer informações sobre as obras que Arthur deixou inacabadas

O prefeito alega que por toda a capital existem obras a serem terminadas e que geram prejuízo para a população, como por exemplo os terminais de ônibus 4 e 5 e creches.

20 de janeiro de 2021

Covid: oito cidades do Brasil receberam 135 pacientes transferidos do AM

A medida, que conta com o apoio da Força Aérea, foi tomada para desafogar a rede do sistema de saúde público do Estado, que colapsou em meio à falta de oxigênio.

20 de janeiro de 2021