fbpx

sábado, 27 de novembro de 2021

Ministro desconversa sobre apoio do governo a reajuste anual no Auxílio

Pela previsão do governo, o pagamento no valor de R$ 400 será feito apenas até o final de 2022, ano em que o presidente Jair Bolsonaro vai disputar a reeleição.

24 de novembro de 2021

Compartilhe

Ministro da Cidadania, João Roma (Foto: Reprodução)

O ministro da Cidadania, João Roma, defendeu ajustes no relatório do deputado Marcelo Aro (Progressistas-MG) da Medida Provisória que criou o Auxílio Brasil, o novo programa social do governo. Mas, apesar da insistência dos jornalistas que questionaram várias vezes se ele era a favor ou não do reajuste anual dos benefícios do programa, previsto no parecer, o ministro evitou bater de frente com o relator. Ele não disse categoricamente nem que é a favor ou contra, mas afirmou que está confiante na aprovação do texto.

Segundo ele, é importante “harmonizar” o texto para avançar na política social sem ferir as regras fiscais do Brasil. “É uma aspiração natural a busca de uma correção anual das políticas de transferências de renda. Naturalmente precisamos buscar os ajustes na área econômica”, disse.

O ministro afirmou que, desde o princípio da discussão do novo programa, tem dito que a área social e econômica são as duas faces da mesma moeda e é muito importante estabelecer um diálogo para que o texto expresse da melhor maneira a proteção social e a responsabilidade fiscal. Segundo ele, o governo já corrigiu o benefício que está sendo pago em 17,9% na comparação com a média do Bolsa Família.

Roma defendeu um programa permanente de R$ 400 (pela previsão do governo, esse pagamento será feito apenas até o final de 2022, ano em que o presidente Jair Bolsonaro vai disputar a reeleição), mas ponderou que é importante identificar as fontes de recursos.

“Estamos buscando o fortalecimento das políticas para que possamos encontrar no orçamento soluções plausíveis para abraçar uma quantidade ainda maior (de famílias)”, afirmou sobre a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou que o governo implemente em 2022 um programa de renda básica no País.

Com informações do Estadão Conteúdo

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Coari: Justiça libera entrega de cartões do Auxílio Estadual e cestas básicas

No último dia 20, populares se revoltaram com o ex-prefeito de Coari, Adail Filho, após a juíza da eleição suplementar, Mônica do Carmo, ter proibido a entrega dos cartões.

26 de novembro de 2021

‘Dinheiro pro espaço’: Aleam compra direito de uso em satélite

Mesmo diante de uma grave crise econômica, o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Roberto Cidade não tem feito esforços para poupar o erário público.

26 de novembro de 2021

Plínio vota em Eduardo Leite e descarta Arthur Neto nas prévias do PSDB

'Manda quem tem mandato. E eu tenho', diz Plínio sobre disputa com Arthur. Avalia disputar a eleição para o Governo, mas não conta com a garantia de apoio do ex-prefeito.

26 de novembro de 2021

Prefeito reúne secretariado para alinhar estratégias econômicas para 2022

Entre os projetos está a construção de seis viadutos; o Mirante da Ilha de São Vicente; o Mirante “Encontro das Águas” Rosa Almeida; e a reforma de paradas de ônibus.

26 de novembro de 2021

Candidato à presidência pelo PSDB deve ser revelado neste sábado

Após cinco dias de suspensão por conta de problemas no aplicativo de votação, o PSDB vai retomar suas prévias presidenciais a partir deste sábado (27), das 8h às 17h.

26 de novembro de 2021

Lula diz que Bolsonaro segue sendo o maior aliado do coronavírus no país

Ex-presidente responsabiliza atual governante por manter fronteiras abertas mesmo com novas variantes detectadas. Hoje, a Anvisa recomendou algumas restrições para viajantes.

26 de novembro de 2021

Texto que institui Auxílio Brasil será analisado pelo Senado Federal

A manutenção da famílias beneficiárias dependerá, no mínimo, do cumprimento de algumas condições relativas à realização do pré-natal, calendário de vacinação e entre outras.

26 de novembro de 2021

Teste do pezinho é ampliado e passa a detectar até 53 doenças no bebê

O projeto aprovado pelo Senado Federal ampliou o alcance do exame, detectando até doenças raras e que só podem ser descobertas após testes na rede particular de saúde.

26 de novembro de 2021