fbpx

domingo, 14 de agosto de 2022

Ministério da Saúde reajusta valores pagos no SUS para hemodiálise

"Cerca de 75% da população brasileira depende exclusivamente do SUS. E nosso objetivo é fortalecer cada vez esse cenário”, disse, hoje, o ministro Marcelo Queiroga.

29 de dezembro de 2021

Compartilhe

Atualmente 723 estabelecimentos fazem este procedimento no país (Foto: Reprodução)

O Ministério da Saúde (MS) reajustou em 12,5% os valores para pagamento de serviços de hemodiálise e 24,3% para diálise peritoneal pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A Portaria com esse objetivo foi assinada nesta quarta-feira (29), em Brasília. Segundo a pasta, o impacto financeiro anual com os novos valores é de R$ 401 milhões. A maior parte do valor – R$ 369,9 milhões – é para hemodiálise e o restante, R$ 31,1 milhões, para diálise peritoneal.

Dados do MS apontam que, atualmente, 723 estabelecimentos de saúde estão habilitados no país para o cuidado desses pacientes. Desses, 688 oferecem a diálise peritoneal. O SUS conta, atualmente, com mais de 26,3 mil máquinas de hemodiálise pelo país. “Cerca de 75% da população brasileira depende exclusivamente do SUS. E a maneira mais segura de dar sustentabilidade ao SUS é dando melhorias na assistência. E nosso objetivo é fortalecer cada vez esse cenário”, disse o ministro Marcelo Queiroga.

A estimativa é que 184 mil brasileiros estejam passando por alguma Terapia Renal Substitutiva (TRS), ou seja, quando há a necessidade de suprir a função dos rins em pacientes que apresentam falência renal aguda ou crônica. Segundo o ministro da Cidadania, João Roma, que participou da cerimônia de assinatura e citou os esforços do Governo Federal no apoio às famílias vítimas das fortes chuvas na Bahia, o Brasil precisa cada vez mais unir forças.

“Políticas públicas como essa chegam a pessoas que estão em situação de vulnerabilidade, que precisam desse tipo de serviço. Tenho a certeza de que essa medida vai se desdobrar na melhoria de qualidade de vida de muitas famílias.”, destacou o ministro Roma.

Os novos custos foram definidos por um grupo de trabalho para calcular a necessidade de alteração dos preços praticados. Além disso, foram realizadas consultas com as entidades que representam o setor de nefrologia e sociedades médicas, como a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) e a Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante (ABCDT).

“Sabemos que os fatores de risco dessa enfermidade são a hipertensão, diabetes e obesidade. Precisamos ter atenção a essas doenças. Esse esforço demonstra o compromisso que o país tem no enfrentamento a esta doença, especialmente no SUS, que é uma coluna vertebral, um sistema de capilaridade de atenção que tem como objetivo poder destinar essa atenção em saúde que a população que precisa”, disse o coordenador da Unidade de Doenças Transmissíveis e Determinantes Ambientais da Saúde da OPAS/OMS, Miguel Aragon.

Doenças Crônicas

As Doenças Renais Crônicas são um termo geral para alterações que afetam tanto a estrutura quanto a função renal, com múltiplas causas e múltiplos fatores de risco. Trata-se de uma doença de curso prolongado, que pode parecer benigna, mas que muitas vezes se torna grave e que na maior parte do tempo tem evolução assintomática, fazendo com que o diagnóstico seja feito tardiamente. Nesses casos, o principal tratamento imediato é o procedimento de hemodiálise.

Os rins são fundamentais no funcionamento do corpo. Eles filtram o sangue e auxiliam na eliminação de toxinas do organismo. A doença renal crônica é silenciosa, não apresenta sintomas e tem registrado crescente prevalência, alta mortalidade e elevados custos para os sistemas de saúde no mundo.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Patrimônio de Arthur Neto cresceu 1496% entre 2016 e 2022

Arthur Neto pediu o registro de candidatura ao Senado na sexta-feira e declarou possuir R$ 2,5 milhões em bens. Nas eleições de 2016, o tucano declarou R$160,7 mil.

14 de agosto de 2022

Moraes assume TSE após carreira centralizadora e ligada à política

Moraes é personagem central no noticiário nacional dos últimos anos devido aos inquéritos sob sua responsabilidade que investigam o presidente Jair Bolsonaro e apoiadores.

14 de agosto de 2022

Bolsonaro e Lula travam disputa sobre valor do Auxílio Brasil

Após acusação do petista de que o auxílio tem duração até o fim do ano e de que pretende, se eleito, mantê-lo em 2023, Bolsonaro disse que o benefício será mantido em 2023.

14 de agosto de 2022

Presidenciáveis dão largada na campanha com foco no Sudeste

Região Sudeste concentra 42,6% dos eleitores do país. A dois dias do início da propaganda eleitoral gratuita, Lula se mantém na dianteira, enquanto Bolsonaro cresce.

14 de agosto de 2022

TRE-AM dá nome a cartório eleitoral de indigenista assassinado em Atalaia do Norte

O pleno do TRE-AM reconheceu, por unanimidade, colaboração do indigenista Bruno Pereira, assassinado em junho no Vale do Javari, par a instalação de novas seções eleitorais.

13 de agosto de 2022

Michelle assume protagonismo na marcha para Jesus com evangélicos

Durante a marcha, presidente falou em 'luta contra o comunismo' e convocou população para ato em Copacabana no Sete de Setembro.

13 de agosto de 2022

Wilson adere ao TikTok para ampliar comunicação com eleitores

Wilson Lima anuncia adesão ao TikTok convocando seguidores e fazendo dancinha, para buscar o eleitorado mais jovem, maioria dos perfis do aplicativo.

13 de agosto de 2022

Com medo de rejeição, aliados escondem Bolsonaro nas redes sociais

Aliados oficiais do PL não mencionaram o mandatário nenhuma vez no atual semestre. Dos 27 palanques que Bolsonaro já garantiu, 10 não fazem menção a ele nas redes sociais.

13 de agosto de 2022