fbpx

terça, 26 de janeiro de 2021

Deputados aprovam fim do canudinho de plástico no Amazonas

Os estabelecimentos que insistirem em utilizar os canudos plásticos poderão ser apenados com a aplicação de multa no valor de R$ 100 a R$ 1 mil.

12 de outubro de 2020

Compartilhe

A primeira cidade do país a abolir o uso dos canudos plásticos foi o Rio de Janeiro (Foto: Reprodução)

Até o início deste mês, oito estados brasileiros e o Distrito Federal, haviam banido os canudos de material plástico. O Amazonas se juntou a esse grupo quando a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou por unanimidade o Projeto de Lei (PL) nº 688/2019, que proíbe o fornecimento de canudos plásticos em estabelecimentos comerciais e órgãos públicos no Estado. A proposta agora aguarda a sanção do governador Wilson Lima (PSC).

“Espero que esse projeto sirva para abrir os caminhos a novas propostas que melhorem a nossa cidade. Nada justifica a sujeira nos nossos igarapés”, disse o deputado Serafim Corrêa (PSB), autor do projeto. O parlamentar explicou que o objetivo, além de reduzir o lixo plástico, é incentivar a consciência ecológica da sociedade e a proteção do meio ambiente.

Corrêa (PSB) disse que o canudinho de plástico representa 4% de todo o lixo plástico do mundo e como não é biodegradável pode levar algumas centenas de anos para se decompor no meio ambiente. No Amazonas, destacou, os produtos feitos de polipropileno e poliestireno (plástico) são os principais poluidores dos rios e igarapés.

O Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico do mundo, produzindo cerca de 11,3 milhões de toneladas por ano, segundo levantamento realizado pela organização não governamental WWF (Fundo Mundial para a Natureza), baseado em dados do Banco Mundial. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia, países mais populosos. E apenas na capital Manaus, são retiradas 887 toneladas de lixos dos igarapés da cidade, segundo a Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp).

O fato é que os canudos plásticos entraram na mira desde que um vídeo da bióloga Christine Figgener, da Costa Rica, viralizou nas redes sociais mostrando a retirada de um canudo do nariz de uma tartaruga marinha. Outros vídeos e fotos mostrando animais em mares e rios afetados por lixo e canudos plásticos surgiram, inclusive no Brasil.

Por isso os canudos plásticos, que são usados por poucos minutos, passaram a ser vistos como inimigos do meio ambiente. É preciso destacar, que em alguns municípios brasileiros também foram proibidas sacolas e outras embalagens plásticas.

Multa

Segundo o texto aprovado pela Aleam, os estabelecimentos que insistirem em utilizar os canudos plásticos poderão ser apenados com a aplicação de multa no valor de R$ 100 a R$ 1 mil. Em caso de reincidência as multas serão aplicadas em dobro. Os valores arrecadados com as multas serão destinados à projetos e programas ambientais indicados pelo governo.

A proibição é de canudos de material plástico que poderão ser substituídos por canudos em papel reciclável, material comestível ou biodegradável; embalados individualmente em envelopes hermeticamente fechados feitos do mesmo material.

Serafim Corrêa declarou contentamento com a aprovação da lei pela Casa Legislativa, porém, destacou, a maior satisfação foi ver aprovada uma proposta que teve sua origem num grupo de jovens, liderados por Helena Monteiro de Paula.

Estados sem canudinhos

A primeira cidade do país a abolir o uso dos canudos plásticos foi o Rio de Janeiro (RJ), quando em 2018 a Câmara Municipal aprovou a lei proibindo a oferta desse produto nos bares e restaurantes da capital fluminense. Lá, a multa é de R$ 3 mil. No mesmo ano os municípios de Porto Velho (RO) e Vitória (ES) também proibiram os canudos plásticos.

Em 2019 Porto Alegre (RS), Goiânia (GO), Teresina (PI), São Luís (MA), Brasília (DF) e São Paulo (SP) seguiram os mesmos passos e instituíram leis permitindo apenas o uso de canudos biodegradáveis. No mesmo ano foram aprovadas leis estaduais com o mesmo propósito. Segundo a WWF, nas demais unidades da federação que ainda permitem o uso dos canudos de material plástico já existem pelo menos um projeto de lei para proibi-lo.

Fonte: Aleam

Veja mais notícias

Manifesto na internet quer viabilizar auxilio de R$ 500 no Amazonas

De acordo com os organizadores, as assinaturas são fundamentais para que esta proposta possa ser apresentada para a Câmara Municipal de Manaus e para a Assembleia Legislativa

25 de janeiro de 2021

Em Manaus, Pazuello pede reforço aos atendimentos na Atenção Básica

A recomendação foi feita ao prefeito David Almeida, durante reunião do Comitê de Crise – Controle de Operações Especiais (COE), na manhã desta segunda-feira (25).

25 de janeiro de 2021

Deputado quer investigação de preços abusivos na venda de oxigênio

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, o aumento sem justa causa de preços constitui em prática abusiva. Tal ação é expressamente proibida, conforme art.39 do CDC.

25 de janeiro de 2021

Idosos do Doutor Thomas recebem 1ª dose da Coronavac nesta terça

Ao todo, entre idosos e profissionais de saúde que atuam na Fundação, 346 devem receber a primeira dose da Coronavac. Vacinação em drive-thru não tem data para iniciar.

25 de janeiro de 2021

TCE-AM dá 72h para Prefeitura justificar falhas na lista de vacinados

Os técnicos da Corte de Contas identificaram dezenas de nomes repetidos e centenas de CPF´s inexistente ou errados, além da falta de especificações de cargos e lotações.

25 de janeiro de 2021

Cartórios ganham na Justiça direito de permanecer abertos no AM

Decreto estadual limitou a abertura dos cartórios apenas para serviços de registro de nascimento e óbito. Juiz atendeu pedido da Anoreg e derrubou a restrição.

25 de janeiro de 2021

Por vacinação indevida, SES-AM exonera diretora do HPS da Criança da ZL

Apuração da pasta identificou que foi a servidora que incluiu, indevidamente, um servidor da Casa Civil na lista de trabalhadores de saúde que deveriam ser vacinados.

25 de janeiro de 2021

Wilson Lima manda demitir motorista que furou fila da Coronavac

O funcionário que tem cargo de assessor técnico consta na lista de vacinados. Governador disse que não compactuará com esse tipo de conduta e determinou que seja exonerado.

25 de janeiro de 2021