fbpx

quinta, 28 de janeiro de 2021

Deputado nega crime de xenofobia contra médica durante votação

Dr. Gomes disse que a médica não teria propriedade para pedir o afastamento do governador e que utilizou a tribuna para falar porque não aceitava viés político.

7 de agosto de 2020

Compartilhe

Foto: Divulgação

O deputado estadual Doutor Gomes (PSC), nesta sexta-feira (7), negou que tenha cometido crime de xenofobia contra a secretária-geral do Sindicato dos Médicos (Simeam), a médica Patrícia Sicchar, durante pronunciamento na tribuna da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

Patrícia Sicchar e Mário Vianna protocolaram denúncias de crime de responsabilidade contra o governador Wilson Lima (PSC) e o vice-governador Carlos Almeida (PRTB), que foram arquivadas na quinta-feira (6), pelos deputados estaduais da Aleam, com 12 votos contrários ao processo dos médicos.

Durante a votação, o Doutor Gomes disse que a médica Patrícia não teria propriedade para pedir o afastamento do governador e do vice porque ela não tem nacionalidade brasileira.

“Por isso que tinha uma senhora de nacionalidade estrangeira querendo interferir nos destinos do povo do Amazonas. Desrespeitando a lei do país”, disse Gomes na ocasião.

Por meio de nota, o Sindicato dos Médicos do Amazonas repudiou o discurso do deputado e classificou as palavras de Gomes como “preconceituosas”, “desequilibradas” e que se caracterizam como crime de xenofobia.

“O Simeam manifesta a sua solidariedade a Dra. Patrícia Sicchar e irá recorrer à Justiça na busca do direito de resposta e reparação do dano à imagem e ao emocional da colega. Não aceitamos que um parlamentar tente enxovalhar a honra de ninguém”, disse o Simeam em trecho da nota.

Viés político

Ao RealTime1, Doutor Gomes disse que utilizou a tribuna para falar não aceitava a denúncia da médica por conta do viés político. O deputado afirmou que as declarações foram proferidas por ela ter se candidatado como vereadora pelo PR, em 2016.

“Ela é uma profissional zelosa, cuidadosa, séria e competente. Porém, não posso concordar com o viés político dela e dele (Mário Vianna). São militantes, todos os dois”, concluiu.

Texto: Izaías Godinho

Leia Mais:  

Veja mais notícias

Vacina da AstraZeneca está liberada para distribuição em Manaus

Plano apresentado pela prefeitura está de acordo com as diretrizes da Fiocruz e do Ministério da Saúde, segundo despacho da juíza Jaiza Fraxe.

27 de janeiro de 2021

Wilson Lima contradiz Pazuello e diz que avisou sobre falta de oxigênio

Em entrevista à imprensa, governador afirmou que informou ao Ministério da Saúde assim que a White Martins avisou que teria problemas com a falta de oxigênio.

27 de janeiro de 2021

Indignado, David diz que Ministério Público agiu arbitrariamente

Após MPE solicitar à Justiça sua prisão preventiva, o prefeito emitiu nota em que afirmou estar profundamente indignado com a atuação ilegal e arbitrária de membros do MPE.

27 de janeiro de 2021

População do AM tem acesso a atendimento clínico via ChatBot

Sistema que utiliza inteligência artificial foi desenvolvido em parceria com a Samel Health Tech e Instituto Transire e entrou no ar nesta quarta-feira (27).

27 de janeiro de 2021

Oito municípios do interior já enviaram lista com nomes de vacinados ao TCE

Entregaram relação nominal dos vacinados as Prefeituras de Guajará, Silves, Maués, São Gabriel da Cachoeira, Barreirinha, Novo Aripuanã, Jutaí e Uarini.

27 de janeiro de 2021

Prefeitura cria gabinete para acompanhar vacinação contra Covid em Manaus

Os integrantes da comissão farão a auditoria das listas de vacinação e a apuração das irregularidades cometidas por servidores municipais na execução do plano de imunização.

27 de janeiro de 2021

Amom ainda na ‘briga’ para evitar cancelamento do Enem no Amazonas

O Inep solicita que a aplicação das provas no Amazonas sejam suspensas, até que seja finalizado o estado de calamidade pública. Antes o órgão não queria aceitar o adiamento.

27 de janeiro de 2021

Prefeitura de Manaus pede liberação das vacinas à Justiça

O lote referente à capital amazonense está retido na FVS-AM por ordem da juíza federal Jaiza Fraxe que, dentre algumas determinações, quer mais transparência da Prefeitura.

27 de janeiro de 2021