fbpx

quinta, 28 de janeiro de 2021

Crime de importunação sexual nos coletivos agora deve ser divulgado

O PL que obriga a divulgação sobre o crime de importunação sexual em transportes públicos no Amazonas foi aprovado, por unanimidade, nesta quinta-feira (20).

20 de agosto de 2020

Compartilhe

Aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do Amazonas (Foto: Divulgação/Realtime1 Isaías Godinho)

Aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa do Amazonas, nesta quinta-feira (20), o Projeto de Lei n. 353/2019 que torna obrigatório a divulgação do crime de importunação sexual nos transportes públicos do Amazonas. O PL é de autoria do deputado Roberto Cidade (PV).

O autor do projeto destaca que apesar da Lei Federal n. 13.718/2018, ainda há muita ocorrência desse tipo de crime, principalmente contra as mulheres nos transportes públicos. A divulgação é uma forma de conscientizar a população e incentivar a denúncia.

“Infelizmente esse tipo de prática vem ocorrendo cada vez mais, principalmente contra as mulheres e por isso, é urgente a necessidade de divulgar a existência do crime de importunação sexual e a sua respectiva pena como informação e conscientização dos usuários”, disse.

Segundo o projeto aprovado, entende-se como transportes públicos para efeito da lei, os ônibus de transporte coletivo convencional, executivo e intermunicipais, bem como as embarcações.

No entanto, a delegada Débora Mafra, da Delegacia Especializada em Crime contra a Mulher, orienta que em casos de assédio praticados por motoristas de aplicativos, a vítima deve, com o nome completo do motorista, procurar a delegacia mais próxima e registrar a denúncia.

De acordo com o PL aprovado pela Casa Legislativa, deverá conter no cartaz de divulgação, a ser afixado nos transportes públicos, os seguintes dizeres: “A prática de ato libidinoso sem consentimento configura crime de importunação sexual, com pena de até 5 anos de prisão. Denuncie!”, conforme descreve a Lei Federal n. 13. 718/2018.

Em caso de importunação sexual, a vítima pode fazer denúncia pelos telefones da Polícia Militar (190) e do Disque 180; É importante ressaltar que a autoridade policial não pode se recusar a registrar a ocorrência.

Veja mais notícias

Vacina da AstraZeneca está liberada para distribuição em Manaus

Plano apresentado pela prefeitura está de acordo com as diretrizes da Fiocruz e do Ministério da Saúde, segundo despacho da juíza Jaiza Fraxe.

27 de janeiro de 2021

Wilson Lima contradiz Pazuello e diz que avisou sobre falta de oxigênio

Em entrevista à imprensa, governador afirmou que informou ao Ministério da Saúde assim que a White Martins avisou que teria problemas com a falta de oxigênio.

27 de janeiro de 2021

Indignado, David diz que Ministério Público agiu arbitrariamente

Após MPE solicitar à Justiça sua prisão preventiva, o prefeito emitiu nota em que afirmou estar profundamente indignado com a atuação ilegal e arbitrária de membros do MPE.

27 de janeiro de 2021

População do AM tem acesso a atendimento clínico via ChatBot

Sistema que utiliza inteligência artificial foi desenvolvido em parceria com a Samel Health Tech e Instituto Transire e entrou no ar nesta quarta-feira (27).

27 de janeiro de 2021

Oito municípios do interior já enviaram lista com nomes de vacinados ao TCE

Entregaram relação nominal dos vacinados as Prefeituras de Guajará, Silves, Maués, São Gabriel da Cachoeira, Barreirinha, Novo Aripuanã, Jutaí e Uarini.

27 de janeiro de 2021

Prefeitura cria gabinete para acompanhar vacinação contra Covid em Manaus

Os integrantes da comissão farão a auditoria das listas de vacinação e a apuração das irregularidades cometidas por servidores municipais na execução do plano de imunização.

27 de janeiro de 2021

Amom ainda na ‘briga’ para evitar cancelamento do Enem no Amazonas

O Inep solicita que a aplicação das provas no Amazonas sejam suspensas, até que seja finalizado o estado de calamidade pública. Antes o órgão não queria aceitar o adiamento.

27 de janeiro de 2021

Prefeitura de Manaus pede liberação das vacinas à Justiça

O lote referente à capital amazonense está retido na FVS-AM por ordem da juíza federal Jaiza Fraxe que, dentre algumas determinações, quer mais transparência da Prefeitura.

27 de janeiro de 2021