fbpx

sábado, 08 de maio de 2021

“Assumimos no pior momento da história”, diz prefeito sobre 100 dias de gestão

O prefeito David Almeida listou, nesta segunda-feira (12), os principais problemas enfrentados na sua gestão durante os primeiros 100 dias à frente da prefeitura.

12 de abril de 2021

Compartilhe

Orçamento e pandemia, segundo o prefeito David Almeida foram os principais entraves à gestão (Foto: Reprodução)

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), realizou, na manhã desta segunda-feira (12), um balanço sobre os primeiros dias 100 dias da gestão dele, em entrevista coletiva na sede da Prefeitura de Manaus – avenida Brasil, bairro Compensa, na zona Oeste.

Sem citar o escândalo dos ‘fura-filas’, que acarretou a ele um pedido de prisão feito pelo Ministério Público, em janeiro, Almeida atribuiu a redução nos números de mortos pela Covid-19 à vacinação. E disse que a cidade “estendeu os braços” para os cidadãos durante o período da pandemia com a aprovação de quatro benefícios: os auxílios Conectividade, Empreendedor, Manauara e o Merenda em Casa.

“Assumimos no pior momento da história sanitária do Brasil, Amazonas e Manaus. E ainda assim Manaus, com a ajuda de todos, conseguimos sair dos piores indicadores em relação a pandemia e nos encontramos em uma situação diferenciada em nível nacional”, ressaltou o prefeito.

David indicou como principal dificuldade para o andamento das ações municipais o orçamento “engessado” deixado pela administração anterior, com os cortes de mais de R$ 1 bilhão o que prejudicou o início das atividades. Além disso, a dívida pública com um salto de R$ 71 milhões em 2020, para R$ 120 milhões em 2021. E ainda o pagamento do subsídio de R$ 53 milhões para os empresários do transporte coletivo.

“Esses 100 primeiros dias foram exitosos em relação aos problemas que nós tínhamos com menos recursos no meio da pandemia na cidade de Manaus. Economizamos nas contas públicas com aluguéis de imóveis, vigilância, combustível, locação de veículos, conservação e limpeza”, esclareceu David.

Texto: Giovanna Marinho

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Codajás recebe quase R$ 400 mil em projetos de crédito rural do Governo

Os valores foram destinados para pesca artesanal (R$301.656,85) e agricultura familiar (R$96.288,00), sendo financiados pela Agência de Fomento do Amazonas (Afeam).

7 de maio de 2021

Pacheco escreve a embaixador chinês e fala em ‘relação construtiva’

O presidente do Senado finaliza a carta convidando Yang Wanming para uma visita à Casa Legislativa assim que as condições pandêmicas tornarem o encontro favorável.

7 de maio de 2021

Auxílio Enchente começa a ser pago em Anamã pelo governador Wilson Lima

Operação Enchente leva ajuda humanitária, água potável e ações nas áreas social, de saúde e de fomento aos municípios em Situação de Emergência.

7 de maio de 2021

Gasolina do Cotão dos 24 deputados estaduais enche 300 tanques

No período em que a presença física nas sessões é facultativa, dois dos 24 deputados consumiram gasolina suficiente para ir e voltar sete vezes a Boca do Acre.

7 de maio de 2021

Carlos Almeida não deve ser ouvido pela CPI da Covid no Senado

Essa e outras notícias na coluna TEMPO REAL do portal RealTime1: Informação com credibilidade sobre política e os últimos acontecimentos do Amazonas.

7 de maio de 2021

Vereadores gastam R$ 272 mil com assessoria e divulgação

O vereador campeão nesse gasto foi Ivo Neto (Patriota), que utilizou R$ 19.800 nessas atividades. No entanto, assessoria não evitou que ele apresentasse um projeto repetido.

7 de maio de 2021

Não vai ter ‘pizza’: para 38% dos brasileiros, CPI atingirá objetivos

Segundo levantamento EXAME/IDEIA, 38% acreditam que a CPI vai apontar culpados pelas falhas no combate à pandemia, aumentar o ritmo da vacinação e a elevar valor do auxílio.

7 de maio de 2021

Mourão diz que Pazuello foi ‘risco’ à Saúde e o quer em ‘traje civil’ na CPI

Para o vice-presidente, decisão em colocar o general Pazuello à frente do Ministério foi um risco e que ser general 'da ativa ou reserva' não o impede de ir ao Senado depor.

7 de maio de 2021