fbpx

domingo, 23 de janeiro de 2022

Após avaliação, médico de Bolsonaro descarta cirurgia no intestino

O presidente Jair Bolsonaro reagiu bem aos remédios e, portanto, não há indicação cirúrgica. A evolução do presidente segue satisfatória, devendo iniciar uma dieta líquida.

4 de janeiro de 2022

Compartilhe

Bolsonaro foi internado nesta segunda após sentir um desconforto abdominal (Foto: Reprodução)

Na manhã desta terça-feira (4), o médico Antônio Macedo, que cuida do presidente Jair Bolsonaro, decidiu que seguirá com o tratamento clínico do presidente. A obstrução no intestino de Bolsonaro se desfez e uma cirurgia foi, por enquanto, descartada.

Segundo apuração do UOL, Bolsonaro reagiu bem aos remédios que recebeu e, portanto, não há indicação cirúrgica. A evolução clínica e laboratorial do presidente segue satisfatória, já devendo iniciar uma dieta líquida.

O hospital confirmou as informações por meio de um boletim médico em que afirma ainda não haver previsão de alta para o presidente. A decisão de descartar a cirurgia foi comunicada por Macedo a colegas da equipe hospitalar no começo da manhã.

O médico foi um dos profissionais que operou o presidente após o atentado a faca, em 2018, e desde então acompanha a sua saúde. ​

Bolsonaro foi internado na segunda (3) no hospital Vila Nova Star, na zona sul de São Paulo, após um problema intestinal.

Ele começou a receber antibióticos e alimentação por meio de sonda nasogástrica, hidratação e reposição de glicose e eletrólitos (especialmente sódio e potássio) para que seu intestino voltasse a funcionar. Foi o chamado tratamento conservador.

Macedo estava nas Bahamas, e a decisão final sobre uma eventual cirurgia só seria tomada depois que o médico, que também interrompeu suas férias, voltasse de viagem. Um avião foi enviado pelo hospital para que ele conseguisse chegar logo ao Brasil.

As obstruções são causadas por aderências (partes do intestino que ficam coladas) decorrentes do histórico de intervenções cirúrgicas após a facada que Bolsonaro sofreu em setembro de 2018, quando houve derramamento de sangue e de fezes no peritônio, camada que reveste o abdômen.

Com informações do UOL

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Ministério prorroga por 30 dias custeio de leitos de UTI para Covid-19

O Ministério informou que a prorrogação das UTIs é uma demanda do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde

23 de janeiro de 2022

Projeto amplia participação popular no enfrentamento a queimadas

Texto altera o Código Florestal para que a gestão da Política Nacional de Manejo e Controle de Queimadas, Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais seja participativa.

23 de janeiro de 2022

Wilson Lima destaca apoio do Governo Federal para enfrentar pandemia

No Sambódromo em Manaus, Wilson Lima participou, ao lado do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, da mobilização de ações contra a Covid-19 realizada pelo Ministério da Saúde.

23 de janeiro de 2022

Governo publica regulamento para transporte hidroviário intermunicipal

Regulamento referente à Lei Estadual 5.604, de setembro de 2021, foi elaborado pela Agência Reguladora com base em contribuições de parlamentares da Assembleia Legislativa.

23 de janeiro de 2022

Prefeito de Manaus, David Almeida, testa positivo para Covid-19

Esta é a segunda vez que David Almeida (Avante) foi diagnosticado com Covid-19. A primeira foi em setembro de 2020, durante a pré-campanha para prefeito de Manaus.

22 de janeiro de 2022

Governo vai enviar doses pediátricas para estados com baixos estoques

Remessa emergencial de vacinas para crianças será enviada a estados com estoques abaixo das 40 mil doses. Segundo o Ministério da Saúde, doze estados estão nessa situação.

22 de janeiro de 2022

‘De novo’: Bolsonaro minimiza números de mortes de crianças por Covid

Bolsonaro voltou a citar remédios sem eficácia comprovada contra o coronavírus e disse que o número de mortes de crianças pela doença foram insignificantes.

22 de janeiro de 2022

Ministério da Saúde prorroga contrato do Programa Mais Médicos em Manaus

O contrato seria encerrado no final deste mês, mas foi prorrogado a pedido da Prefeitura por conta do aumento dos atendimentos por Covid-19 e outras síndromes respiratórias.

22 de janeiro de 2022