fbpx

sábado, 23 de outubro de 2021

Amazônia em chamas favorece intervenção militar externa, diz Arthur

Ex-prefeito de Manaus, Arthur Neto afirmou que irá disputar as prévias do PSDB com o objetivo de inserir as questões da Amazônia no debate eleitoral de 2022.

4 de outubro de 2021

Compartilhe

Nos dois últimos anos o ritmo do desmatamento e das queimadas na região bateram todos os recordes históricos. (Foto: Reprodução)

O ex-prefeito de Manaus Arthur Neto afirmou, nesta segunda-feira (4), que irá disputar as prévias do PSDB para a escolha do candidato à Presidência da República em 2022 com o objetivo de inserir o tema Amazônia na campanha do vencedor. Na avaliação dele, nenhum candidato a presidente pode disputar a eleição com qualidade se não entender a região e souber que uma intervenção militar aqui é possível no médio prazo se não mudarmos a orientação da nossa política ambiental.

Para Arthur Neto, pensar numa intervenção militar liderada pelos Estados Unidos na Amazônia não é algo que está fora do contexto se o Brasil continuar permitindo o desmatamento e as queimadas no ritmo atual. “Isso está mexendo com as mudanças climáticas, o mundo está olhando para essa região”, afirmou o ex-prefeito.

Diplomata por profissão, Arthur Neto explica que uma intervenção militar na Amazônia justificaria uma rearranjo na geopolítica mundial e ninguém se mexeria para reverter a invasão da nossa região. “A China reagiria invadindo e anexando províncias rebeldes, como Hong Kong e Taiwan, com muita facilidade. A Rússia não perderia tempo para anexar as antigas repúblicas que integravam a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Só tiraria o ‘Socialista’ e o ‘Soviética’ do nome, mas retomaria todas”, analisou. “Ninguém faria nada se uma aliança liderada pelos Estados Unidos invadisse a Amazônia”, completou.

Arthur Neto disputará as prévias do PSDB no próximo dia 21 de novembro contra os governadores de São Paulo, João Doria Júnior; e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite. Doria tem o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso enquanto Leite recebeu o apoio do senador Tasso Jereissatti, que abriu mão de disputar as prévias.

Texto: Gerson Severo Dantas

Leia mais:

Leia mais sobre Política

Após viagens na pandemia e diagnóstico de Covid-19, Assis volta à CMM

Vereador chamava a atenção de pessoas por aglomerações e o não uso de máscara, mas na Pandemia emendou duas viagens seguidas em agosto e voltou pra Manaus com Covid-19.

22 de outubro de 2021

Ex-ministro Esteves Colnago assumirá Secretaria de Tesouro e Orçamento

A nomeação foi confirmada há pouco pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em declaração conjunta ao lado do presidente Jair Bolsonaro.

22 de outubro de 2021

Presidência ou Senado? Sérgio Moro confirma filiação ao Podemos

O ex-juiz deve decidir se concorrerá à Presidência ou ao Senado em breve. A expectativa dentro do partido é que Moro concorra ao Palácio do Planalto.

22 de outubro de 2021

Precatórios: mudanças no teto de gastos, vacinas e Auxílio Brasil

O relator, deputado Hugo Motta, destacou que a aprovação é importante para garantir o Auxílio Brasil, com a previsão de R$ 400 para atender 17 milhões de famílias em 2022.

22 de outubro de 2021

Magistrados do TJAM custaram quase 50 mil em 2020, diz CNJ

Relatório Justiça em Números, produzido pelo Conselho Nacional de Justiça, apresenta números detalhados da atividade dos tribunais brasileiros em 2020.

22 de outubro de 2021

Grupo Samel se posiciona sobre estudo com a proxalutamida

Diretoria do grupo Samel explicou, em direito de resposta obtido na Justiça contra o jornal O Globo, qual papel da empresa na pesquisa com medicamento proxalutamida.

22 de outubro de 2021

Senado aprova PL que prevê repasse de R$ 2 bilhões para Santas Casas

As entidades a serem beneficiadas são aquelas que complementam as operações do SUS, recebendo demandas do sistema público. O texto ainda precisa ser votado na Câmara.

22 de outubro de 2021

Governo pede correção na autorização de empréstimo de R$ 452 milhões

Governo alegou que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) solicitou garantias mais sólidas para a celebração do contrato entre as partes.

22 de outubro de 2021