fbpx

quinta, 21 de outubro de 2021

Aleam faz caridade com parte do salário dos servidores

Servidores que aderirem ao Programa Assembleia Participativa terão que contribuir com pelo menos 1% do salário mínimo. Aleam informa que todos podem cancelar a adesão.

24 de setembro de 2021

Compartilhe

(Foto: Reprodução)

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) que é a ”casa das leis”, publicou em seu Diário Oficial Eletrônico do último dia 13, uma portaria que cria o Programa Assembleia Participativa, um instrumento de filantropia que pretende beneficiar instituições amazonenses que atuem em favor da causa social bem como servidores da Casa que comprovem estar em situação de vulnerabilidade. Até aí tudo certo, o problema são os financiadores: servidores da ativa, aposentados, pensionistas e os deputados estaduais.

A portaria menciona que a participação de quem já faz parte do quadro de funcionários é voluntária. Enquanto os servidores que forem nomeados ou empossados a partir da publicação da portaria serão automaticamente incluídos no programa já com um desconto mensal de R$ 20,00. A contribuição mínima fica um pouco abaixo disso, um por cento do salário mínimo vigente, ou seja R$ 11 (R$ 11,69 baseado no salário mínimo de 2022). Aqueles que não desejarem contribuir precisam enviar um requerimento à Diretoria de Recursos Humanos da Aleam, o que causa um claro constrangimento ao servidor.

O RealTime1 procurou saber se a proposta está de acordo com a Constituição Federal. O advogado Helso Ribeiro declarou que o programa não é inconstitucional mas por querer fazer ”festa com o dinheiro dos outros” torna-se mal visto por tocar em algo inalienável, o salário do servidor.

Apesar de não infringir a lei, o programa desperta duas perguntas, que devem continuar carecendo de respostas: por que uma casa que tem um orçamento bastante considerável precisa de uma porcentagem do salário de servidores para fazer ações como essa? Será que os deputados estaduais que ganham R$ 25.322,25 (bruto) e R$ 18.682,81 (líquido) vão doar pelo menos umas cinco vezes o valor mínimo?

Texto: João Luiz Onety

Leia Mais:

Leia mais sobre Política

Após manobra para Auxílio de R$ 400, secretários de Guedes pedem demissão

A decisão ocorre no mesmo dia em que o governo definiu um acordo para rever a regra do teto de gastos em busca de garantir o Auxílio Brasil de R$ 400.

21 de outubro de 2021

Presidente do Senado quer mediar reunião entre estados e Petrobras

Os governadores reclamam que a matéria, que agora precisa passar pela análise do Senado, implica na perda de R$ 24,1 bilhões em arrecadação apenas para os estados.

21 de outubro de 2021

Militares perdem ação no TJAM e vão ter de pagar mais pela previdência

ADIN apresentada pela Associação dos Subtenentes e Sargentos da Polícia e Bombeiros questionava lei que estabelece novas alíquotas de contribuição deles para a previdência.

21 de outubro de 2021

Confira: relatório da CPI não ficou só nas sugestões de indiciamentos

Além do indiciamento de 66 pessoas e duas empresas, relatório de Renan Calheiros propõe 15 projetos de lei, um projeto de lei complementar e uma PEC.

21 de outubro de 2021

Senado avalia projeto que destina 10% das vagas no Sine às mulheres violentadas

Pesquisa encomendada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública revelou que, em 2020, uma em cada 4 mulheres acima de 16 anos afirmou ter sofrido algum tipo de violência.

21 de outubro de 2021

Semmas seguirá com baixo orçamento pelos próximos quatro anos

Plano Plurianual em análise na Câmara prevê que pasta do Meio Ambiente receberá em média, de 2022 a 2025, somente R$ 17,1 milhões, o menor orçamento dentre as secretárias.

21 de outubro de 2021

Último lugar em transparência do MPC, Aleam quer ‘ensinar’ Câmaras

Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) vai promover Fórum Estadual das Casas Legislativas do interior mesmo estando em último lugar em ranking de transparência do MPC.

21 de outubro de 2021

5 de dezembro: coarienses definirão quem vai controlar 2º maior orçamento do AM

Eleição suplementar em Coari vai escolher quem comandará o segundo maior orçamento do estado. Adail Filho aposta no nome do primo para sua sucessão.

21 de outubro de 2021