fbpx

domingo, 09 de maio de 2021

Uso emergencial de coquetel de anticorpos contra Covid é autorizado pela Anvisa

O coquetel não é vendido em farmácias e seu uso é restrito aos hospitais. Em março, a agência aprovou o registro do antiviral experimental Remdesivir.

20 de abril de 2021

Compartilhe

Imagens de microscópio mostram partículas do coronavírus (Foto: Reprodução)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou nesta terça-feira (20) o uso emergencial de um medicamento contra a Covid19. Trata-se de um coquetel que contém a combinação de casirivimabe e imdevimabe (Regn-CoV2), dois remédios experimentais desenvolvidos pela farmacêutica Roche. É o segundo medicamento aprovado pela agência. O primeiro foi o remdesivir.

O que é o Regn-CoV2 e como ele será administrado:

  • Os medicamentos devem ser administrados juntos por infusão intravenosa;
  • O coquetel é composto por dois anticorpos monoclonais (casirivimabe e imdevimabe) que bloqueiam a entrada do vírus na célula;
  • O tratamento é indicado para adultos e pacientes pediátricos (com 12 anos ou mais que pesem no mínimo 40 kg) que não necessitam de suplementação de oxigênio;
  • Ele não é recomendado para pacientes graves;
  • Ele não é indicado para prevenção da Covid-19;
  • O coquetel já foi aprovado para uso emergencial nos Estados Unidos, Canadá e Suíça. Também teve recomendação de uso pela agência europeia de medicamentos (EMA);
  • Ele não substitui as vacinas contra a Covid-19.

A aplicação é intravenosa e o medicamento é indicado para o começo da doença. O uso é restrito a hospitais e a venda é proibida ao comércio.

“Esses produtos são o que a gente chama de anticorpos monoclonais. A ideia dessa proposta é neutralizar o vírus para que ele não se propague nas células infectadas e assim controlar a doença”, explica o gerente geral de medicamentos e produtos biológicos, Gustavo Mendes.

Segundo a Anvisa, o tratamento é indicado para adultos e pacientes pediátricos (com 12 anos ou mais que pesem no mínimo 40 kg) que não necessitam de suplementação de oxigênio, com infecção por SARS-CoV-2 confirmada por laboratório e que apresentam alto risco de progressão para Covid-19 grave.

O medicamento não é recomendado para pacientes graves. “Anticorpos monoclonais como casirivimabe e imdevimabe podem estar associados a piora nos desfechos clínicos quando administrados em pacientes hospitalizados com Covid-19 que necessitam de suplementação de oxigênio de alto fluxo ou ventilação mecânica”, alerta a Anvisa.

O pedido de uso emergencial foi feito no dia 1º de abril.

Uso em outros países

coquetel já foi aprovado para uso emergencial pela FDA, agência de saúde dos Estados Unidos, após apresentar bons resultados em pacientes com sintomas leves e moderados da Covid-19. Ele também foi usado no tratamento do ex-presidente americano Donald Trump.

Segundo o órgão americano, a combinação “reduziu a hospitalização relacionada a Covid-19 ou as visitas ao pronto-socorro em pacientes com alto risco de progressão da doença em 28 dias após o tratamento, quando comparados ao placebo”.

O medicamento também foi aprovado para uso emergencial no Canadá, Suíça e teve recomendação de uso pela agência europeia de medicamentos (EMA).

Remdesivir

Em março, a Anvisa anunciou o registro do primeiro medicamento para pacientes hospitalizados com Covid-19, o antiviral remdesivir, que ainda está em estudos.

O Remdesivir é produzido pela biofarmaceutica Gilead Sciences e o seu nome comercial é Veklury. Trata-se de um medicamento sintético administrado de forma intravenosa (injetado na veia). Ele age impedindo a replicação viral.

O gerente geral de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, esclareceu que o remdesivir não é vendido em farmácia e pode ser utilizado apenas com supervisão médica. “É uso restrito pelos hospitais para que os pacientes possam ser adequadamente monitorados”, disse.

Fonte: G1

Leia Mais:

Leia mais sobre a Pandemia

Mulher vence a Covid-19 e comemora o primeiro Dia das Mães

A mãe começou a ter sintomas da Covid-19, como tosse e cansaço, após o parto de Valentina, realizado no dia 13 de fevereiro deste ano. Karen teve 80% do pulmão comprometido.

9 de maio de 2021

Em 24h, interior do Amazonas não registra nenhum óbito por Covid-19

A informação foi divulgada pelo governador do Amazonas, Wilson Lima, através de suas redes sociais, neste domingo (9). Ele pede que sejam mantidos os cuidados necessários.

9 de maio de 2021

Covid: Governo alerta para cuidados nas comemorações do Dia das Mães

Manter cuidados como o distanciamento social, uso de máscara e a higiene das mãos continuam sendo as recomendações essenciais para evitar transmissão do vírus.

9 de maio de 2021

Prefeitura instala novo ponto de vacinação contra a Covid-19

O novo local vai substituir o ponto que funcionava no Terminal de Integração 6 (T6), no Lago Azul. A mudança foi necessária porque a Semsa quer facilitar o acesso à vacina.

9 de maio de 2021

Pfizer deve produzir 4 bilhões de doses de vacina contra covid em 2022

Aprovação total da vacina, que foi autorizada em caráter emergencial, pode ajudar a aliviar a hesitação sobre a aplicação do imunizante nos Estados Unidos e em outros países.

8 de maio de 2021

Amazonas recebe lote com 14.700 doses de vacina contra a Covid-19

Imunizantes fazem parte da 19ª remessa de vacinas enviada ao estado pelo Ministério da Saúde (MS), por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI).

8 de maio de 2021

Policiais Militares recebem a 2ª dose da vacina contra Covid-19 em Parintins

A ação está sendo realizada pela Secretaria Municipal de Saúde de Parintins (Semsa), conforme a campanha de vacinação dos servidores da segurança pública do Estado.

8 de maio de 2021

Fiocruz: pandemia de covid-19 faz vítimas cada vez mais jovens

A semana epidemiológica 16 apresenta idade média dos casos internados de 57 anos, versus idade média de 63 anos na semana epidemiológica 1. Para óbito, a média foi 71 anos.

8 de maio de 2021