fbpx

sábado, 08 de maio de 2021

Oito dias após anúncio, Queiroga toma posse como ministro da Saúde

Decreto foi assinado pelo presidente Bolsonaro e publicado em edição extra do Diário Oficial da União. A mesma publicação traz também a exoneração de Eduardo Pazuello.

23 de março de 2021

Compartilhe

Médico cardiologista substituirá o general Eduardo Pazuello (Foto: Reprodução)

O médico cardiologista Marcelo Queiroga tomou posse nesta terça-feira (23) no cargo de ministro da Saúde, em solenidade privada no Palácio do Planalto. O decreto de nomeação foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e publicado em edição extra do Diário Oficial da União.

Na mesma publicação, também consta a exoneração de Eduardo Pazuello do cargo. O anúncio de substituição do comando da pasta foi feito na noite do último dia 15 de março por Bolsonaro.

No dia seguinte, Queiroga concedeu entrevista e destacou a importância da população se engajar nas medidas de prevenção à Covid-19, incluindo o uso de máscaras e distanciamento social.

Marcelo Queiroga é natural de João Pessoa e se formou em medicina pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ele fez especialização em cardiologia no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro. Ele atua na área de hemodinâmica e cardiologia intervencionista. Atualmente, preside a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que o novo ministro “atende aos critérios técnicos e ao perfil de reputação ilibada exigidos para o cargo, com ampla experiência na área, não só da saúde, mas de gestão”. De acordo com o ministério, o nome de Queiroga foi submetido ao procedimento de consulta, obrigatório a quem assume cargos em comissão e funções de confiança.

Na análise de vida pregressa, não foram encontrados óbices jurídicos à nomeação, segundo a pasta. “Dentre os registros verificados, constatou-se que a Ação Penal – noticiada recentemente pela mídia – por suposta apropriação indébita previdenciária foi julgada improcedente, com absolvição de Marcelo Queiroga, conforme certidão emitida pela 16ª Vara Federal da Seção Judiciária de Paraíba”, diz a nota.

Com a nomeação, Queiroga é o quarto ministro da Saúde desde o começo da pandemia de covid-19. Passaram pela pasta, neste período, os médicos Luiz Henrique Mandetta, que estava desde o início do governo Bolsonaro, e Nelson Teich, seguido depois pelo general Eduardo Pazuello, do Exército.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre a Pandemia

Governadores pedem à Anvisa nova análise da vacina Sputnik V

Representante da União Química, Fernando Marques, responsável pelo imunizante russo no país, disse que apresentará novo pedido de uso emergencial de mais 10 milhões de doses.

7 de maio de 2021

Primeira semana de maio tem 37 óbitos por Covid-19 no Amazonas

A FVS tem destacado que os números vêm caindo em todo o estado, mas frisa que as medidas de proteção contra a Covid devem continuar, inclusive para quem recebeu a vacinação.

7 de maio de 2021

Covid-19: mortes seguem caindo lentamente, mas casos voltam a subir

No período de 25 de abril a 1º de maio, foram registrados 16.945 óbitos, enquanto na semana anterior foram contabilizadas 17.814 mortes para a doença, segundo dados do MS.

7 de maio de 2021

Queiroga quer fiscalizar recursos repassados aos estados na pandemia

A portaria publicada pelo ministro vem após Jair Bolsonaro reforçar a narrativa de que governadores têm utilizado recurso para enfrentamento da Covid-19 para outras áreas.

7 de maio de 2021

Fiocruz prevê produção de insumos da vacina contra Covid para junho

A produção do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) leva cerca de 45 dias, mas os insumos ainda precisarão passar por etapas regulatórias e de testes.

7 de maio de 2021

‘Queima de arquivo’: recomendação para uso de cloroquina é tirada do ar

Após 337 dias no ar e com CPI acontecendo no Senado, Ministério da Saúde apagou recomendação para uso de cloroquina em casos leves, moderados e graves de Covid-19.

7 de maio de 2021

Aplicação da 1ª dose será retomada em Manaus ; confira o calendário

A partir deste sábado (8), a Semsa volta a aplicar a primeira dose do imunizantes nas pessoas com idade entre 18 e 59, que possuam algum tipo de comorbidade.

7 de maio de 2021

Estudo mostra que máscaras de algodão têm eficiência de 20% a 60

Pesquisadores da USP mediram a eficiência de filtração de aproximadamente 300 máscaras faciais. A de algodão é a mais comumente usada pela população.

7 de maio de 2021