fbpx

quarta, 21 de abril de 2021

No Brasil, 7% receberam a 1ª dose em 10 semanas de vacinação

Proporcionalmente, Amazonas foi o que mais vacinou. Administrou pelo menos uma dose em 9,7% dos habitantes. Até as 21h30 deste sábado, 15.273.114 pessoas receberam a 1ª dose.

28 de março de 2021

Compartilhe

Amazonas lidera ranking de vacinação (Foto: Poder 360)

Depois de 10 semanas do começo da vacinação contra a covid no Brasil, em 17 de janeiro de 2021, o país chegou neste sábado (27) à marca de 7% da população vacinada com ao menos uma dose de imunizantes.

Até as 21h30 deste sábado, 15.273.114 pessoas receberam a 1ª dose de imunizantes contra a covid. Dessas, 4.679.436 tomaram a 2ª dose. Ao todo, foram 19.952.550 doses administradas no país.

O número de vacinados com as duas doses são 2,2%. Os dados são do CoronavirusBot, que compila dados das secretarias estaduais de Saúde.

A quantidade de pessoas que receberam a 2ª dose no Brasil equivale a 31% dos que tomaram a 1ª dose. As vacinas que estão em uso são a CoronaVac e a de Oxford/AstraZeneca. Ambas são administradas em duas doses.

Situação dos Estados e Distrito Federal:

1ª dose: Proporcionalmente, Amazonas foi o que mais vacinou. Administrou pelo menos uma dose em 9,7% dos habitantes. Em números totais, São Paulo está na frente: fez a 1ª aplicação em ao menos 1.379.188 pessoas.

2ª dose: Mato Grosso do Sul tem, até o momento, a maior cobertura vacinal do país. Aplicou duas doses em 3,2% da população. São Paulo também tem o maior número absoluto de segundas doses administradas: 1.379.188.

As vacinas

O país tem, até o momento, duas vacinas em uso, ambas aprovadas para uso emergencial: a CoronaVac, da biofarmacêutica chinesa Sinovac, e a desenvolvida pela farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca com a Universidade de Oxford. Ambos os imunizantes exigem aplicação de duas doses. Eis a taxa de eficácia e o intervalo entre doses seguido no Brasil:

CoronaVac:

    eficácia: 50%;

    intervalo: 2 a 4 semanas.

Oxford/AstraZeneca:

    eficácia: 76%;

    intervalo: 8 a 12 semanas.

Expansão da oferta

A vacina da Pfizer também tem uso autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O governo federal encomendou 100 milhões de doses do imunizante. O 1º lote é esperado de abril a junho deste ano.

Outras duas vacinas aguardam autorização para uso emergencial: A Suptnik V e a Janssenn. Juntos, os 2 laboratórios se comprometeram a fornecer 48 milhões de doses ao Brasil.

Com informações do Poder 360

Leia mais:

Leia mais sobre a Pandemia

AstraZeneca: novo lote completa esquema vacinal de idosos acima de 75 anos

A nova remessa de 152.250 doses do imunizante completa o cronograma vacinal dos idosos que receberam a primeira dose entre final de janeiro e início de fevereiro.

21 de abril de 2021

‘É urgente colocar em pratos limpos tudo o que deixou de ser feito’, frisa Omar

Futuro presidente da CPI da Covid, Omar Aziz diz a TV RealTime1 que Ministério da Saúde cometeu "erros feios" no combate ao coronavírus ao longo da pandemia.

21 de abril de 2021

Ministério da Saúde quer adquirir mais 100 milhões de doses da Pfizer

O início da entrega aconteceria ainda em 2021, mas o uso destes imunizantes só entraria no Plano de Vacinação a partir do ano que vem.

21 de abril de 2021

Crise de oxigênio: CPI da Covid vai chamar White Martins para depor

O senador, favorito para ser o presidente da CPI da Covid, revelou em entrevista a TV RealTime1, que diretores da empresa serão ouvidos como testemunhas da crise em Manaus.

21 de abril de 2021

Feriado não para ritmo da vacinação em Manaus; confira os locais

A programação desta quarta-feira contempla pessoas na faixa etária de 44 a 47 anos, com comorbidades. Também estão sendo vacinados com a segunda dose, idosos de 60 a 63 anos.

21 de abril de 2021

Decreto prorroga auxílio emergencial aos trabalhadores da cultura

Planalto ressaltou que o decreto não representa aumento de gastos públicos, apenas permite a execução dos restos a pagar e traz maior segurança jurídica ao setor da cultura.

21 de abril de 2021

Consultorias alertam para falta de previsão sobre impacto da Covid-19 na LDO 2022

Texto dos consultores alerta para a ausência de previsão sobre os riscos que podem afetar receitas, despesas e dívida pública em função dos efeitos da Covid-19.

21 de abril de 2021

Amazonas ultrapassa líder no ranking mundial em nº de mortos por Covid

Se fosse um país, o maior estado do Norte teria ultrapassado a República Theca que é, hoje, quem registra mais óbitos pela doença a cada milhão de habitantes.

20 de abril de 2021