fbpx

sábado, 24 de julho de 2021

Amazonas receberá doses extras suficientes para vacinar 279 mil pessoas

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o controle sanitário é necessário porque o trânsito de cidadãos de países vizinhos no Brasil pode trazer e levar doenças.

20 de julho de 2021

Compartilhe

Anúncio foi feito pelo ministro nesta terça (Foto: Agência Brasil)

Com o objetivo de criar um “cordão sanitário”, o Amazonas e outros cinco estados brasileiros vão receber cerca de 279 mil doses extras de vacina contra a Covid-19. O anúncio foi feito hoje (20), pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

De acordo com o ministro, o objetivo é avançar na vacinação nessas localidades para criar uma espécie de barreira e restringir a entrada de variantes do novo coronavírus no Brasil.

Além do Amazonas, Acre, Amapá, Pará, Roraima e Santa Catarina também vão receber as doses extras.

“O trânsito dos cidadãos de países vizinhos pode trazer e levar doenças. Por isso, o controle sanitário é necessário para que consigamos ter uma promoção em saúde em padrões que desejamos para o Brasil e para os nossos irmãos da América do Sul”, disse o ministro, após participar de um evento de vacinação em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Ontem (19), o Ministério da Saúde informou que já foram identificados 110 casos da variante delta do novo coronavírus no Brasil.

“É uma estratégia, até para que a gente possa conter variantes e criar uma espécie de cordão epidemiológico, vacinando a população fronteiriça, para evitar que variantes que vêm de outro país possam chegar ao Brasil, e dando uma atenção especial às nossas fronteiras secas”, afirmou Queiroga.

Na semana passada, o ministério já havia informado que as populações de fronteira seriam incluídas como prioritárias para vacinação. Na ocasião, foram enviadas doses extras de imunizantes para os estados do Rio Grande do Sul, de Mato Grosso e Rondônia.

De acordo com o ministro, a decisão foi tomada em comum acordo entre estados e municípios no âmbito do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Além das cidades que fazem fronteira direta com outros países, o Ministério da Saúde também pretende reforçar a proteção contra a covid-19 nas chamadas faixas de fronteira, que são cidades brasileiras próximas de outros países.

Da Redação, com informações da Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais sobre a Pandemia

Quer viajar? Saiba quais países aceitam brasileiros já vacinados

O viajante brasileiro que pretende embarcar rumo ao exterior, e que já foi vacinado, deve emitir o Certificado Online de Vacinação, por meio do aplicativo ou site ConecteSUS.

23 de julho de 2021

Sambódromo é o posto de vacinação contra Covid mais procurado em Manaus

O local, que é reconhecido por ser palco de festividades, está há quase um ano destinado ao combate à Covid-19, iniciando como ponto de testagem para diagnóstico da doença.

23 de julho de 2021

Estudo verifica eficácia em intervalo maior da Pfizer

Os pesquisadores avaliaram que o maior espaçamento entre os intervalos produziu uma resposta forte de anticorpos e de células T.

23 de julho de 2021

Caapiranga e Beruri recebem o Vacina Amazonas neste sábado

Governador anunciou o novo mutirão de vacinação contra a Covid nos dois municípios, quando o Amazonas alcançará 15 deles no programa.

23 de julho de 2021

MS prevê entrega de 63 milhões de vacinas contra a Covid-19 até agosto

De acordo com o Ministério da Saúde, 164 milhões de doses de todas as vacinas contra a covid-19 - que fazem parte do PNI -foram distribuídas aos estados.

22 de julho de 2021

Com 50 mil vacinados, 3º mutirão de vacinação continua até quinta

Com a meta de vacinar 60 mil pessoas, o mutirão continua até à meia-noite desta quinta-feira (22) em três postos.

22 de julho de 2021

Você criou algum hábito na pandemia? 61,7% da população recorreu ao autocuidado

Os dados mostram as estratégias adotadas para promover o autocuidado no primeiro ano da pandemia, um contexto de muitas incertezas e estresse, marcado pelo isolamento social.

22 de julho de 2021

Manaus alcança última idade vacinável e listas de espera são excluídas

Semsa explica que não há mais necessidade de regular a distribuição das sobras por grupos prioritários porque vacinação foi liberada a qualquer pessoa com mais de 18 anos.

22 de julho de 2021