segunda-feira, 24 de junho de 2024

faça parte da Comunidade RT1

ONGs propõem à União alugar ônibus elétricos e doar a municípios

Idec e outras ONGs ligadas ao consumidor apresentaram projeto de aluguel de frota de ônibus elétrico pelo Governo Federal para doação aos municípios.
COMPARTILHE
Programa de ônibus elétricos tem benefícios financeiros e de saúde para o consumidor, de acordo com ONGs (Foto: Reprodução)
Programa de ônibus elétricos tem benefícios financeiros e de saúde para o consumidor, de acordo com ONGs (Foto: Reprodução)

ONGs de defesa do consumidor – Idec, ITDP Brasil, WRI Brasil, ISS e ICCT – apresentaram ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) um projeto de aluguel de frota de ônibus elétricos pelo governo federal para ceder, sem custo, aos municípios. A proposta visa promover a mobilidade sustentável, com redução de poluentes, e contribuir para reduzir a crise financeira generalizada do setor de transporte público no País.

Segundo Rafael Calabria, coordenador do Programa de Mobilidade Urbana do Idec, essa é uma ideia inovadora, que terá como principais benefícios: maior controle e transparência no uso do dinheiro público; redução de poluentes e de gastos com compra e manutenção de veículos, podendo gerar redução da tarifa paga pelo usuário; e inovação na gestão ao dividir a posse dos veículos com as empresas operadoras do serviço nas cidades. 

Ele destaca que a política pública terá benefício direto à saúde dos cidadãos, em razão da melhoria da qualidade do ar causada pela redução dos poluentes presentes nos gases emitidos pelos motores à combustão. “Hoje, a poluição atmosférica é responsável por 51 mil mortes por ano no Brasil, segundo dados da Opas – Organização Pan-Americana da Saúde”, completa.

O contexto da pandemia agravou uma crise que o setor de transportes coletivos enfrenta há anos. Desde o primeiro semestre de 2020 vem-se discutindo a necessidade de um socorro federal emergencial ao setor, como ocorreu em outras áreas de serviços essenciais. Entretanto, o presidente Jair Bolsonaro vetou, em dezembro de 2020, o projeto de lei que previa o auxílio financeiro com contrapartidas das cidades. 

Receba notícias do RT1 em primeira mão
quero receber no Whataspp
Quero receber no Facebook
Quero receber no Instagram

Com informações da Assessoria

Leia Mais :

COMPARTILHE