fbpx

sábado, 06 de maro de 2021

Monitor do PIB sinaliza que economia teve retração de 4% em 2020

Resultado do PIB de 2020, divulgado nesta sexta-feira (19) interrompeu a trajetória de crescimento que se estendia por três anos e retornou ao patamar de 2016.

19 de fevereiro de 2021

Compartilhe

Informação foi divulgada hoje pela FGV (Foto: Reprodução)

O Monitor do PIB-FGV sinaliza que a atividade econômica retraiu 4% em 2020. O dado foi divulgado nesta sexta-feira (19) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV).

Pela ótica da produção, dos três grandes setores (agropecuária, indústria e serviços), apenas a agropecuária cresceu no ano (2%).

Enquanto pela ótica da demanda, todos os componentes retraíram, com destaque para o consumo das famílias com recuo de 5,2% no ano.

Para o coordenador do Monitor do PIB-FGV, Claudio Considera, a expressiva queda de 4% da economia em 2020 consolida retrações disseminadas em diversas atividades econômicas, em decorrência da pandemia de covid-19.

Segundo ele, embora a economia tenha acelerado no final do ano, com crescimento de 3,4% no quarto trimestre e de 1% em dezembro, nas comparações com os períodos imediatamente anteriores e com iguais períodos do ano de 2019, os resultados não foram suficientes para compensar a perda expressiva que o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de bens e serviços produzidos no país) sofreu, principalmente, no segundo trimestre.

“Os desafios para 2021 mostram-se grandes a partir deste cenário, tendo em vista que devido ao crescimento lento de 2017-2019 a economia foi capaz de recuperar as perdas da recessão de 2014-2016. Com o choque adverso enfrentado em 2020, que ainda não foi totalmente eliminado, os resultados de 2014, pico da série histórica, parecem cada vez mais distantes de serem alcançados”, afirmou em nota.

Em termos monetários, estima-se que o PIB de 2020, em valores correntes, alcançou a cifra de R$ 7 trilhões, 434 bilhões e 248 milhões.

O resultado do PIB de 2020 interrompeu a trajetória de crescimento que se estendia por três anos e retornou ao patamar de 2016.

A preços constantes de 2020, o PIB de 2020, embora seja um pouco maior que o de 2016, ainda é inferior aos do período 2017 a 2019.

A valores de 2020, o PIB per capita equivale a R$ 35.108, menor valor desde 2008.

Já a taxa de investimento da economia foi de 16,1% em 2020, a maior desde 2015 (17,3%).

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia

Brasil e Israel estreitam cooperação científica em tecnologia e saúde

O ministro Ernesto Araújo está em Israel, com representantes dos ministérios da Saúde e da Ciência e Tecnologia, para estreitar relações.

6 de março de 2021

Veículos flex sentem impacto do aumento de 21% no preço do etanol

Expansão da demanda pelo etanol, aliada à entressafra de cana-de-açúcar, no início do ano, contribui para expansão no preço do combustível.

6 de março de 2021

Petroleiros do Amazonas anunciam greve por tempo indeterminado

Entre as reclamações estão: desrespeito a protocolos de prevenção da Covid-19 na Reman, más condições de trabalho e descumprimento de cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho

5 de março de 2021

PEC Emergencial prevê diminuição de incentivos, mas preserva a ZFM

Segundo o texto, o presidente deverá apresentar, em até seis meses após a promulgação da emenda constitucional, um plano de redução gradual desse tipo de benefício.

5 de março de 2021

Custo da cesta básica registra queda em 12 capitais brasileiras

As maiores reduções foram registradas nas cidades de Campo Grande (-4,67%), Brasília (-3,72%), Belo Horizonte (-3,16%), Vitória (-2,46%) e Goiânia (-2,45%).

5 de março de 2021

Caminhoneiros sugerem corte de benefícios que ameaça 14 mil empregos na ZFM

Retirada de benefícios do setor de bebidas da ZFM seria uma forma de compensar as perdas na arrecadação decorrentes da promessa do governo federal de zerar imposto do diesel.

5 de março de 2021

Beneficiários com nomes incorretos vão receber Auxílio Manauara

De acordo com a Semasc, como a verificação do cadastro é feita com base no número do CPF, mesmo que haja erro de digitação no nome, o cadastro do beneficiário será aprovado.

5 de março de 2021

Miséria: Mais de dois milhões de amazonenses vivem com R$ 1 por dia

Dados da PNAD Contínua do IBGE mostram que em 2019 o Amazonas era o Estado brasileiro com o maior número de miseráveis, com mais de dois milhões nessa condição degradante

5 de março de 2021