fbpx

quarta, 03 de maro de 2021

Caixa negativo impossibilita ramo de alimentos pagar os impostos

Segundo a Abrasel, ainda que os prazos para os pagamentos dos débitos sejam adiados, as empresas estão com o caixa negativo, sem qualquer recurso para quitação das dívidas.

2 de fevereiro de 2021

Compartilhe

Decreto estabelece funcionamento apenas como delivery (Foto: Divulgação)

A postergação dos prazos para pagamentos dos impostos anunciada pelo Governo do Estado é considerada como medida inválida pelos representantes do segmento de bares, restaurante e lanchonetes. O setor amarga prejuízos e informa o fechamento quase que diário de empresas.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes-Seccional Amazonas (Abrasel-AM), Fábio Cunha, considera que ainda que os prazos para os pagamentos dos débitos sejam adiados, as empresas estão com o caixa negativo, sem qualquer recurso para quitação das dívidas.

“A postergação não ajuda em nada. Todos estão endividados ‘até o pescoço’ com linhas de crédito. Não tem dinheiro para pagar nada. Acabou o dinheiro”, disse com indignação.

Cunha ainda afirmou que as restrições ao funcionamento do setor impostas por meio dos decretos publicados pelo governo estadual, em combate à disseminação da Covid-19, têm motivado o fechamento de empresas diariamente e incentivado o comércio ilegal.

“Hoje a Cachaçaria do Dedé está fechando duas lojas. O governo, o Ministério Público, a Defensoria Pública, todos acham que esse é o curso normal das coisas, mas não é. As empresas estão fechando. Tudo está incentivando a clandestinidade, o não pagamento de impostos e contratações ilegais”, disse.

O presidente afirmou que uma das alternativas para o problema seria a intermediação junto ao Governo Federal solicitando subsídio ao setor e medidas como a suspensão de contratos de trabalho.

Reportagem: Priscila Caldas

Leia mais:

Leia mais sobre Economia

Reflexos da redução de impostos sobre diesel depende de distribuidoras

De acordo com o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Amazonas (Sindicam), Geraldo Dantas, redução ainda deve passar pelas distribuidoras.

2 de março de 2021

Postos já repassam reajuste e gasolina chega a custar R$5,59 no AM

Um dia após mais um reajuste no valor do combustível anunciado pela Petrobrás, postos de combustíveis de Manaus vendem gasolina por preços que variam entre R$5,29 e R$5,59.

2 de março de 2021

Perda de renda afeta arrecadação do IPVA em janeiro

Em janeiro, o Amazonas teve redução de 24% no recolhimento de IPVA, em comparação a janeiro de 2020. Para Sefaz, números refletem a pandemia.

2 de março de 2021

Presidente Figueiredo lidera as exportações do interior em janeiro

O município contabilizou em janeiro US$ 2,80 milhões em exportações. O segundo município que mais exportou em Janeiro deste ano foi Itacoatiara, com US$ 1,05 milhão.

2 de março de 2021

Exportações do Amazonas têm alta de 26,34% em janeiro

Valores exportados alcançaram cifras de US$ 71,98 milhões em janeiro de 2021. Venezuela, Bolívia, Argentina e Alemanha foram os principais destinos dos produtos amazonenses.

2 de março de 2021

Após quinta alta seguida Bolsonaro zera alíquota sobre gás e diesel

O decreto deve minimizar a flutuação dos preços. A redução sobre o diesel será válida apenas por dois meses, já a do gás de cozinha não tem previsão para o término.

2 de março de 2021

Após deixar o PIM, Sony encerra vendas de TVs, áudio e câmeras

Serviços de garantia e suporte técnico aos consumidores serão mantido, bem como a venda de produtos dos segmentos de Games, soluções profissionais, música e entretenimento.

2 de março de 2021

Com movimento fraco durante a semana, shoppings aglomeram no sábado

Lojistas relatam que primeira semana de reabertura gradual dos shoppings teve frequência ‘tímida’ dos consumidores de segunda a sexta com registro de aglomerações no sábado.

1 de março de 2021