fbpx

domingo, 16 de janeiro de 2022

Tarifa Social de Energia deverá beneficiar 33 milhões de famílias

Inclusão automática na Tarifa Social de Energia Elétrica para famílias de baixa renda deve levar benefício a mais de 11 milhões de famílias, além das 12 milhões já inclusas.

5 de dezembro de 2021

Compartilhe

Expectativa do governo é beneficiar mais de 11 milhões de famílias (Foto: Reprodução)

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) regulamentou nesta semana a inclusão automática na Tarifa Social de Energia Elétrica para famílias de baixa renda. Atualmente, são 12,3 milhões de famílias beneficiadas pela tarifa e a expectativa do governo é que mais de 11 milhões tenham acesso ao benefício.

Conforme a Aneel, os critérios para a concessão de benefícios não mudaram. Podem receber a Tarifa Social de Energia famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo nacional; idosos com 65 (sessenta e cinco) anos ou mais ou pessoas com deficiência, que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC); ou família inscrita no CadÚnico com renda mensal de até três salários mínimos, que tenha membro portador de doença ou deficiência.

A principal mudança é que, a partir de janeiro de 2022, as famílias que se enquadrem nos critérios para recebimento do benefício, mas que ainda não estejam cadastradas serão incorporadas por meio do cruzamento de dados dos sistemas do Ministério da Cidadania e das distribuidoras de energia. O cadastramento automático ocorrerá mensalmente.

A tarifa traz descontos no valor mensal do consumo das famílias beneficiadas. Para famílias que consomem até 30 quilowatts/hora, a redução é de 65%; de 31 a 100 kWh/mês, o valor fica 40% menor; de 101 kWh a 220 kWh, a redução é de 10%. Acima dos 220 kWh/mês o custo da energia é similar à dos consumidores que não recebem o benefício.

As famílias indígenas e quilombolas têm descontos maiores. As famílias inscritas no CadÚnico têm desconto de 100% até o limite de consumo de 50 kWh/mês, de 40% para consumo a partir de 51 kWh/mês, de 10% para consumo de 101 kWh a 220 kWh. Para indígenas e quilombolas que consomem acima dos 220 kWh/mês o custo é similar à dos consumidores sem o benefício.

Segundo a Aneel, ninguém será descadastrado com a nova regra. Só deixará de receber o benefício quem deixar de atender aos critérios previstos na lei ou não fizer as atualizações cadastrais do Ministério da Economia.

Problemas

Uma família pode ser impedida de se cadastrar na tarifa se ninguém da casa tiver o nome na conta de luz recebida por mês. Nesse caso é preciso procurar a distribuidora local e regularizar as informações.

Se a família estiver com o endereço desatualizado no CadÚnico também é preciso fazer a regularização. Para receber o benefício não pode haver ligação irregular de energia, também conhecido como “gato”.

Fonte: Agência Brasil

Leia mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

Parceria busca soluções para desenvolvimento sustentável da Amazônia

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação e Rede Rhisa querem integrar por meio de soluções tecnológicas ao menos duas mil comunidades rurais.

16 de janeiro de 2022

Sine Manaus oferece 79 vagas de empregos novas nesta segunda-feira

Serviço Nacional de Emprego da prefeitura de Manaus tem vagas novas e remanescentes para diversos profissionais, que devem agendar o atendimento por meio da internet.

16 de janeiro de 2022

Burnout, a ‘nova’ síndrome que vai impactar o mundo do trabalho

Organização Mundial do Trabalho reconhece a Síndrome de Burnout como uma doença ocupacional ligada a atividade do trabalhador. Advogada relata o drama após ser diagnosticada.

16 de janeiro de 2022

Pix é a modalidade de pagamento preferida dos ‘pequenos’

Ao menos 86% dos pequenos negócios realizados no País estão utilizando o Pix como forma preferencial de pagamento. Essa modalidade foi desenvolvida pelo Banco Central.

15 de janeiro de 2022

Pandemia afetou mais empreendedores negros, diz pesquisa do Sebrae

A 13ª Pesquisa de Impacto do Coronavírus nos Pequenos Negócios, feita pelo Sebrae, apontou que 72% dos empresários negros estão faturando menos que brancos.

15 de janeiro de 2022

Supremo Tribunal recebe nova ação contra a PEC dos Precatórios

Ação apresentada ao Supremo Tribunal Federal pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil questiona vários pontos da emenda aprovada no Congresso.

15 de janeiro de 2022

Governo Bolsonaro implodiu mesa de negociação e pode encarar greves

Presidente do Fórum Nacional das Carreiras Típicas de Estado prevê que a falta de diálogo com categorias do serviço público causará sucessivas paralisações e greves.

15 de janeiro de 2022

Pagamento pela internet conquistou a preferência dos brasileiros

Levantamento feito por empresa especializada em novas tecnologias mostrou que em 2021 mais da metade dos brasileiros optaram por realizar pagamentos via internet.

15 de janeiro de 2022