fbpx

quinta, 23 de setembro de 2021

Pagamentos com cartões crescem 17% no primeiro trimestre

Cartões de crédito responderam por R$ 335,9 bilhões desse volume, enquanto os cartões de débito foram responsáveis por uma movimentação de R$ 204,4 bilhões.

12 de maio de 2021

Compartilhe

Aumento foi de 11,8% em comparação ao mesmo período do ano passado (Foto: Reprodução)

As transações por cartões (crédito e débito) registraram um aumento de 17,3% nos valores movimentados no primeiro trimestre deste ano em comparação com 2020. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os pagamentos totalizaram R$ 558,3 bilhões nos primeiros três meses do ano.

Os cartões de crédito responderam por R$ 335,9 bilhões desse volume, registrando um crescimento de 12,8% no período. Os cartões de débito foram responsáveis por uma movimentação de R$ 204,4 bilhões, uma alta de 19,7% no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado. Enquanto os cartões pré-pagos tiveram a maior expansão percentual (150,3%) e foram o meio usado para fazer R$ 18 bilhões em pagamentos.

Em quantidade de transações, os cartões foram utilizados para realizar 6,5 bilhões de pagamentos nos primeiros três meses de 2021, um aumento de 11,8% em comparação ao primeiro trimestre do ano passado.

Mudança de perfil

Segundo o presidente da Abecs, Pedro Coutinho, os dados mostram que houve um aumento do valor médio gasto em cada transação, com o aumento do uso de cartões para compras em estabelecimentos de setores como supermercados e bens duráveis.

O período de pandemia do novo coronavírus também se refletiu em um crescimento de 35,6% nas compras não presenciais, que chegaram a R$ 120 bilhões no período de janeiro a março deste ano. As compras remotas representam ainda 35% de todas as transações feitas por cartões de crédito. No primeiro trimestre de 2020 esse índice era de 29%.

Juros e inadimplência

O uso do cartão como método de financiamento registrou uma redução no período, com queda de 17,3% nas transações com crédito rotativo e aumento de 12,3% nos pagamentos sem juros.

A inadimplência ficou em 4,2% em março. O índice de pagadores em atraso era de 6,6% no mesmo mês do ano passado.

Previsões

A Abecs estima que o setor de cartões poderá crescer 19% neste ano, com a expectativa de uma recuperação econômica a partir do segundo semestre do ano. “Se a vacinação segue o ritmo, teremos um terceiro trimestre melhor do que o segundo e um quarto trimestre muito bom”, avaliou Coutinho. De acordo com ele, países onde a imunização da população está mais avançada já começam a ter melhora da atividade econômica.

Ele acredita que o auxílio emergencial também deverá melhorar a situação da economia. “O auxílio emergencial deve dar um fôlego à atividade econômica, mesmo com um valor e um número de pessoas muito menor do que o ano passado”, destacou.

As transações por cartões (crédito e débito) registraram um aumento de 17,3% nos valores movimentados no primeiro trimestre deste ano em comparação com 2020. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), os pagamentos totalizaram R$ 558,3 bilhões nos primeiros três meses do ano.

Os cartões de crédito responderam por R$ 335,9 bilhões desse volume, registrando um crescimento de 12,8% no período. Os cartões de débito foram responsáveis por uma movimentação de R$ 204,4 bilhões, uma alta de 19,7% no primeiro trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado. Enquanto os cartões pré-pagos tiveram a maior expansão percentual (150,3%) e foram o meio usado para fazer R$ 18 bilhões em pagamentos.

Em quantidade de transações, os cartões foram utilizados para realizar 6,5 bilhões de pagamentos nos primeiros três meses de 2021, um aumento de 11,8% em comparação ao primeiro trimestre do ano passado.

Mudança de perfil

Segundo o presidente da Abecs, Pedro Coutinho, os dados mostram que houve um aumento do valor médio gasto em cada transação, com o aumento do uso de cartões para compras em estabelecimentos de setores como supermercados e bens duráveis.

O período de pandemia do novo coronavírus também se refletiu em um crescimento de 35,6% nas compras não presenciais, que chegaram a R$ 120 bilhões no período de janeiro a março deste ano. As compras remotas representam ainda 35% de todas as transações feitas por cartões de crédito. No primeiro trimestre de 2020 esse índice era de 29%.

Juros e inadimplência

O uso do cartão como método de financiamento registrou uma redução no período, com queda de 17,3% nas transações com crédito rotativo e aumento de 12,3% nos pagamentos sem juros.

A inadimplência ficou em 4,2% em março. O índice de pagadores em atraso era de 6,6% no mesmo mês do ano passado.

Previsões

A Abecs estima que o setor de cartões poderá crescer 19% neste ano, com a expectativa de uma recuperação econômica a partir do segundo semestre do ano. “Se a vacinação segue o ritmo, teremos um terceiro trimestre melhor do que o segundo e um quarto trimestre muito bom”, avaliou Coutinho. De acordo com ele, países onde a imunização da população está mais avançada já começam a ter melhora da atividade econômica.

Ele acredita que o auxílio emergencial também deverá melhorar a situação da economia. “O auxílio emergencial deve dar um fôlego à atividade econômica, mesmo com um valor e um número de pessoas muito menor do que o ano passado”, destacou.

Fonte: Agência Brasil

Leia Mais:

Leia mais sobre Economia & Negócios

No dia do sorvete conheça os temáticos como ‘Baby Yoda’ da Sorveflix

Sorveteria temática apresenta taças com conteúdos que remetem aos filmes e séries. Além de self-service com 32 sabores de sorvetes, 15 tipos de coberturas, além de adicionais

23 de setembro de 2021

Efeito vazante pode encarecer ainda mais os preços no comércio

Embarcações reduziram o volume de cargas transportadas em 40% e o percurso que era feito em um dia, agora dura até três dias. O resultado é o aumento nos preços.

23 de setembro de 2021

IOF não financiará Auxílio Brasil em 2022, garante secretário

Aumento da alíquota pretende fornecer recursos somente para criação do auxílio, em novembro, afirma o secretário especial de Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal.

22 de setembro de 2021

Governo revisa projeção de déficit primário para R$ 139 bi em 2021

Estimativa para o déficit primário neste ano passou de R$ 155,4 bilhões em julho para R$ 139,4 bilhões. Aumento da arrecadação provocou revisão da estimativa.

22 de setembro de 2021

Feira do Empreendedor terá espaço para renegociação de dívidas

De 23 a 27 de outubro, empreendedores poderão contar com apoio do Sebrae para buscar soluções para retomada dos negócios durante a Feira do Empreendedor.

22 de setembro de 2021

Cinema pela metade do preço: PlayArte dá desconto para vacinados

Para assistir a filmes pela metade do preço, clientes precisam apresentar, no ato da compra do ingresso, o cartão de vacinação com as duas doses ou dose única contra a Covid.

22 de setembro de 2021

Novo Caged e PNAD apontam melhora do mercado de trabalho em 2021

Levantamento feito pela Fiesp mostra que o mercado de trabalho no país está em gradual melhora em 2021, impactado, principalmente pelo avanço da vacinação da população.

22 de setembro de 2021

Após novo decreto, postos e supermercados devem contratar 1,2 mil

Após flexibilização anunciada pelo governo do estado, CDLM prevê contratações imediatas ao setor comercial para atender ao terceiro turno, extinto durante pico da pandemia.

22 de setembro de 2021